12

fev. 16

privilegiado-sendo-oprimido

Uma palavra, ao longo desses últimos anos, caiu no gosto de muitos reacionários e opositores dos Direitos Humanos: “vitimismo” (ou seu sinônimo “coitadismo”). Para eles, pessoas insubmissas que, em nome das minorias políticas às quais pertencem, se revoltam contra a discriminação e o preconceito que sofrem cotidianamente são “vitimistas”. Mas o que realmente significa essa palavra? E, aliás, quem realmente está sendo “vitimista”? Leia mais »

Nenhum Comentário

-

Leia mais aqui
10

fev. 16

Os liberal-reacionários foram peças-chave nos protestos de direita pró-impeachment que aconteceram no ano passado

Os liberal-reacionários foram peças-chave nos protestos de direita pró-impeachment que aconteceram no ano passado

Tem tido destaque no Brasil, por meio de diversos “institutos liberais”, outros think tanks e formadores de opinião de direita, uma corrente político-ideológica ao mesmo tempo a favor da “dinamização” da economia e agressivamente contra avanços sociais e políticos. É o que eu chamo de liberal-reacionarismo, que ostenta um rótulo de “liberal”, mas tem uma essência conservadora e antipopular. Leia mais »

Nenhum Comentário

-

Leia mais aqui
10

fev. 16

reaca-6

Gostou da imagem? Baixe-a e compartilhe-a nas redes sociais, ou compartilhe diretamente este post.

2 Comentários

-

Leia mais aqui
08

fev. 16

Categorias: Artigo, Política
Segundo algumas pesquisas, a diferença entre as posições políticas das pessoas é uma questão cerebral. Na imagem, o elefante é símbolo do Partido Republicano estadunidense, conservador, e o burro é do Partido Democrata do mesmo país, mais à esquerda.

Segundo algumas pesquisas, a diferença entre as posições políticas das pessoas é uma questão cerebral. Na imagem, o elefante é símbolo do Partido Republicano estadunidense, conservador, e o burro é do Partido Democrata do mesmo país, mais à esquerda.

Têm sido divulgadas, de tempos em tempos, notícias relacionando questões mentais, como o QI e diferenças neurológicas, com posições políticas. Segundo elas, quem tem mais QI e/ou determinada estruturação de neurônios e atividades cerebrais tende a ser de esquerda, enquanto pessoas de QI menor e/ou com outras disposições neurais tendem a abraçar posições de direita. Mesmo que algumas dessas matérias tendam a elogiar sutilmente pessoas de esquerda, elas todas convergem para uma visão de mundo conservadora, fatalista, determinista. Leia mais »

Nenhum Comentário

-

Leia mais aqui
04

fev. 16

A transfobia destrói vidas. Destruiu as de Kayla e de dezenas de outras pessoas trans ao longo deste ano

A transfobia destrói vidas. Destruiu as de Kayla e de dezenas de outras pessoas trans ao longo deste ano

Aviso de conteúdo: contém menções a transfobia e suicídio

Eu soube, consternadamente, hoje de manhã, que Kayla, uma moça trans que eu tinha em meus contatos no Facebook (provavelmente era leitora deste Consciencia.blog.br), se suicidou. Saber disso me deixou em choque, já que foi a primeira vez que o apartheid social imposto contra pessoas trans no Brasil matou alguém relativamente próxima a mim. E me fez pensar tanto em meus privilégios, de homem branco cisgênero heterossexual e sem deficiências, como nos reacionários que chamam pessoas de minorias políticas de “vitimistas” enquanto se queixam eles mesmos que são “oprimidos” pelos movimentos sociais. Leia mais »

3 Comentários

-

Leia mais aqui
03

fev. 16

movimento-ambientalista

Diante de fatos indignantes relativos à degradação do meio ambiente no Brasil, como o crime ambiental das mineradoras Vale e BHP em Mariana/MG e no Rio Doce e a pior política “ambiental” federal desde a redemocratização, pudemos perceber a apatia e impotência, quando não o simples silêncio, do movimento ambientalista. Nos perguntamos diante disso: o que será que aconteceu com o ambientalismo brasileiro, que o deixou tão fraco e inaudível como está hoje? Leia mais »

1 Comentário

-

Leia mais aqui
03

fev. 16

reaca-5

Gostou da imagem? Baixe-a e compartilhe-a nas redes sociais, ou compartilhe diretamente este post.

Nenhum Comentário

-

Leia mais aqui
02

fev. 16

Dilma à direita de FHC: a situação absurda a que se chegou

Dilma à direita de FHC: a situação absurda a que se chegou

Fala-se muito de que Fernando Henrique Cardoso deixou uma “herança maldita”, por ter feito um sufocante governo de direita – privatizador, sucateador do serviço e funcionalismo públicos, submisso ao FMI, promotor de uma política econômica desastrosa. Mas uma análise desapaixonada da atual conjuntura política brasileira, que deixe no escanteio eventuais paixões políticas antitucanas e antipetistas, pode nos revelar algo surpreendente e estarrecedor: considerando-se diversos aspectos de políticas públicas, Dilma Rousseff, nesse segundo mandato, está sendo ainda mais de direita do que FHC, ou tão direitista quanto ele. Leia mais »

Nenhum Comentário

-

Leia mais aqui
01

fev. 16

vitor-amorim-entrevista-globo

Em março do ano passado, alguns dias depois do protesto nacional de direita do dia 15 que exigia o impeachment da presidenta Dilma Rousseff, a filial da Rede Globo no Espírito Santo chamou o professor, cientista político e historiador Vitor Amorim de Angelo para falar sobre a responsabilização do governo federal petista pela corrupção no Brasil. Ouviu o que não queria: uma verdadeira aula sobre democracia e corrupção. Leia mais »

1 Comentário

-

Leia mais aqui
31

jan. 16

Charge escrita por defensor do desenvolvimentismo. Perceba-se a carga de aversão reacionária contra ambientalistas contida no desenho

Charge escrita por defensor do desenvolvimentismo. Perceba-se a carga de aversão reacionária contra ambientalistas contida no desenho

Tentando parecer “não neoliberais” e desvencilhados da “herança maldita tucana”, os governos Lula e Dilma (esta no primeiro mandato) promoveram uma política desenvolvimentista, que jogou um “dane-se” aos propositores do “desenvolvimento sustentável” e passou por cima literalmente do meio ambiente e da dignidade humana. Obras (ou obradas mesmo) como a Usina de Belo Monte e a transposição do Rio São Francisco, a permissividade do poder público perante crimes ambientais como o da Samarco/Vale/BHP no Rio Doce e a promoção, no governo Dilma, da “política ambiental” menos ambiental desde a ditadura militar nos fazem retomar velhas críticas ao desenvolvimentismo, cabendo a nós apontar as contradições deste, que é uma ideologia ao mesmo tempo defensora do progresso e reacionária. Leia mais »

Nenhum Comentário

-

Leia mais aqui