17

fev10

Crueldade contra animais nas seções de curiosidades: jornalismo antiético

Diversos sites insistem em postar notícias gozando do sofrimento animal dentro de suas seções de bizarro. Clique na imagem para vê-la em tamanho completo.

Muitos portais noticiários online possuem uma seção voltada a notícias inusitadas, consideradas bizarras. Recordes e situações esquisitas são os principais temas desses setores. Nada mal até aí. Acontece que alguns desses sites extrapolam o bom senso e inserem notícias nada engraçadas ou inusitadas: animais em situação angustiante, entretenimentos centrados na exploração animal, episódios de caça ou pesca na maioria dos quais há assassinato de animais, comercialização de bichos “esquisitinhos”. O bizarro perde o sentido de inusitado, curioso e engraçado e toma ares de mau gosto, falta de compaixão e, em última análise, sadismo e estupidez.

É infelizmente comum encontrar esse tipo de notícia pela internet sendo tratado como tão curioso quanto notícias inofensivas. Rinhas de animais em outros países, animais caçados, gatos entalados durante dias em canos ou bueiros, cães perdidos, elefantes “treinados”, entre tantas outras notas recheadas de crueldade, dividem o espaço das seções de notícias bizarras como recordes, corpos esquisitos, prisões de bandidos atrapalhados etc.

Notícias que envolvem animais em apuros geralmente têm seus equivalentes humanos postados em seções policiais, cotidianas, nacionais ou internacionais ou simplesmente não publicados. Não esperemos para ver, ao lado de uma notícia de um cão entalado num cano PVC, uma sobre uma criança presa num tubo largo para esgoto, porque esta última, ao contrário da primeira, nunca será postada em seções de bizarro.

Os noticiários que postam esse tipo de nota em seções de curiosidades mostram claramente sua visão editorial acerca dos animais: como seres menos dignos que os humanos, como brinquedos utilizáveis para entretenimento, como motivo de admiração ou chacota mesmo quando estão sofrendo ou mortos. Falta-lhes ética, empatia, senso de igualdade moral entre animais humanos e não-humanos.

Além da total falta de senso ético em caçoar dos animais por pôr-se seu sofrimento na seção de curiosidades, ocorre também uma verdadeira “educação contra-ambiental”, uma apologia aos crimes de maus tratos contra animais ou caça de animais silvestres. Postagens sobre caça (uma vez foram divulgadas notícias sobre crocodilos caçados por uma criança e um jogador de rugby) ou sobre animais com comportamentos anormalmente inteligentes induzidos (como elefantes jogando basquete ou cães pintando quadros, animais geralmente torturados durante o “treinamento”) correm o risco de induzir crianças e adolescentes a matarem, “treinarem” ou entalarem bichos para, quem sabe, virarem notícia na seção de “bizarrices” desses portais.

Felizmente vários desses portais criaram seções dedicadas ao mundo animal e estão lhe direcionando notícias, boas, neutras ou ruins, que outrora eram postadas na seção de inusitados. Porém é relevante também que diversos outros resistem em reservar espaços exclusivos a bichos e insistem em misturar seu sofrimento e exploração com curiosidades. Está nascendo uma pressão popular para que esses sites teimosos criem vergonha e ética, mas, ainda fraca e reduzida, vem sendo ignorada.

Postar animais sofrendo ou morrendo em seções de bizarro é uma atitude antiética que deve parar. Chamo a atenção às entidades de defesa dos animais para que tomem logo uma posição sobre esse fato, antes que aconteça o pior – crimes ambientais induzidos pelo status de curiosidade bizarra dado por esses sites. Não podemos mais deixar que o sofrimento, a exploração e a crueldade continuem sendo tratados como coisas inocentes, curiosas e engraçadas.

imagrs

5 comentário(s). Venha deixar o seu também.

Hime-chan Himura Voigt

março 3 2010 Responder

Olá, boa tarde!

Eu realmente gostei do texto, ele traz uma abordagem muito boa para vegetarianos com boas estratégias de “combate”. Mas, eu gostaria de abordar um outro ponto… O “correto” ao invés do “possível”.

Bem, todos temos que concordar que nossa luta não é apenas um jogo pra ver “quantos vegetarianos conseguimos trazer pro nosso lado”. Não. Cada um dos pobres animaizinhos mortos agonizantemente tinham uma vida inteira a seguir, cada hambúrguer comido está acabando, completamente, com um mundo, com o mundo daquele animal que nunca mais poderá ver as flores, a terra, sentir cheiros, sabores…

Então, mesmo que finjamos que pensamos “Ah, só mais um pouco e ele virará vegetariano”, temos que entender que a verdade é “meu deus, ele ainda vai matar mais alguém! isso tem que parar!”… Não por ser o que possibilita que eles se tornem vegetarianos e que algumas vidas futuras sejam salvas, mas por ser o que nos torna humanos, a compaixão.

Não estou dizendo que saio destruindo o estabelecimento onde cadáveres de animais são vendidos para consumo de ‘seres superiores’ (leia-se: açougue), estou apenas dizendo que deveria fazer isto.

Precisamos de muita integridade e racionalidade para apenas seguir o caminho que torna possível salvar alguma vida e fechar os olhos para os que estão morrendo agora. Não fazendo o correto, apenas o possível. Segurando as lágrimas e os gritos em direção àqueles que, definitivamente, não merecem as vidas que têm…

Não culpo os vegetarianos por lutarem bravamente contra aqueles que oprimem os mais fracos, afinal, se cada animal fosse nossa mãe ou algum ente querido, nós não ficaríamos parados vendo-a ser dilacerada nos dentes de uma pessoa aleatória que nem a conheceu, certo?

Mas, devemos exaltar nosso egoísmo e fingir que é apenas mais um “pedaço de comida” e não vida; fingir que aquele ser nunca teve sentimento, nunca respirou e que ele não vai se importar de ter seu futuro inteiro jogado fora por conta de uma tarde de churrasco na casa de alguém… fechar nossos olhos e apenas ouvir os gritos deles nos implorando pra, por favor, tirar aquela faca das mãos daqueles assassinos…

Entretanto, eu concordo que devemos agir “civilizadamente” ao invés de “como humanos”, senão, seremos como os animais… Afinal, os diferentes não são aceitos, sendo animais ou humanos. Apenas finjamos que está tudo bem e continuemos enumerando as vantagens daqueles que não introduzem cadáveres em seus organismos para tentar “ganhar mais pontos” como em um triste e sofrido jogo no qual se apostam vidas alheias…

Mas, pra tudo tem um limite… acredito que a pior falta de respeito é chamar um vegetariano pra um churrasco e esperar uma resposta civilizada…

Ah, obrigada pelo texto… tirei umas boas coisas dele ^__^x Sou frutariana e é realmente muito difícil pra mim lidar com a hipocrisia e fingir ser hipócrita também… Mas, sei que é a forma mais inteligente.. É como uma prova de vontade… Aliar-se aos “inimigos” e aguentar tudo o que você odeia para conseguir poder até eliminá-los e libertar os que restarem dentre os “mocinhos”…

    Robson Fernando

    março 3 2010 Responder

    Concordo com boa parte do que você disse. No entanto, diplomacia é necessária no exercício da conscientização. Muitos onívoros não entendem ou digerem a ética vegetariana como ela é, então precisamos ser diplomáticos em nossos esforços.

    Abs

    P.S.: Creio que você comentou no post errado.

      Hime-chan Himura Voigt

      março 3 2010 Responder

      Eu também concordo com a diplomacia, afinal, é como eu disse… sou obrigada a fingir que eles não são assassinos a sangue frio que degolam pobres e indefesos animais apenas por prazer e tratá-los como pessoas… Só estava exprimindo minha dificuldade em relação a isso, pois, desde que estes hipócritas são assassinos, aprendi a odiar hipócritas, tornando uma grande ironia o fato de eu ter que me tornar uma hipócrita (ou fingir ser) para fazê-los parar de matar…

      Ps. : Ah… por favor, desculpe! realmente postei no topico errado.. (estava lendo os dois ao mesmo tempo)

        Robson Fernando

        março 3 2010 Responder

        De fato as pessoas que ao mesmo tempo se preocupam com touros de rodeio e comem carne de outros touros nos parecem hipócritas, mas não são na (contraditória) visão de mundo onívora.

        A visão de mundo onívora é extremamente contraditória, mas não podemos resolver isso de formas não amigáveis – leia-se acusar os onívoros de hipocrisia e assassinato.

        Abs

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo