25

mar10

Educação desprezada, vergonha do Seu “É”

Enquanto fazendário pode ganhar R$ 22 mil, Governo faz proposta onde professor doutor ganha R$ 2.519,24

Não, isso não é uma piada. No meio da negociação salarial promovida pelo Governo do Estado, onde o blog [Acerto de Contas] denunciou a manobra, aumentando de maneira fictícia o salário do Governador para elevar o teto do funcionalismo, a proposta aprovada hoje na Assembléia para os professores é ridícula.

Um professor com 200 horas de trabalho. Em outras palavras, aquele que trabalha em tempo integral, vai ganhar entre R$ 1016,00 (se for graduado em licenciatura plena), e R$ 2.519,24 se tiver doutorado. Acho que nenhum doutor em sã consciência deve estar no Estado neste momento, a não ser que seja um abnegado completo, que deveria merecer uma indicação ao Prêmio Nobel da Paz.

É isso mesmo, um professor que passou 5 anos fazendo licenciatura, mais dois anos fazendo mestrado, e mais quatro fazendo doutorado, vai ganhar míseros R$ 2,5 mil bruto. E isso a partir de junho. A proposta está estampada na página do Sintepe.

Quer dizer, o topo da carreira é essa merreca que o Governo estampa como se fosse negociação salarial satisfatória. E o que dizer de alguém que é graduado, e vai receber R$ 1.016,00 bruto? Como explicar a ele que tem um fazendário que tem o mesmo título universitário que ele, e ganha 22 vezes mais.

Claro que até agora não se ouviu uma única palavra do Secretário de Educação Danilo Cabral (foto acima), que nestas horas mergulha tão profundamente que nem o Capitão Jack Sparrow é capaz de encontrá-lo. A estratégia sempre é colocar o Secretário de Administração para essas tarefas árduas. Só me lembro do meu amigo Maurício Romão, que era o escalado para essa espetacular aparição durante o Governo Jarbas.

O Sintepe foi mais uma vez deixado de lado, até porque desmoralizou o instrumento da greve, promovendo paralisações ineficazes de um dia ao longo de vários anos, e tudo vai ficando pior do que já está. Os Governos e a população já se acostumaram a greves e nem dão conta dos problemas que ela causa. Todos entraram na “zona de conforto”.

Logicamente o Sintepe rejeitou essa piada que representa R$ 39,00 de aumento para quem está começando a carreira, e pediu aos deputados que votassem contra.

Dos governistas, apenas as deputadas Teresa Leitão e Isabel Cristina tiveram a coragem de votar contra essa proposta indecente. Seis oposicionistas foram contrários ao “VALE R$ 39,00” proposto pelo Governo.

(A notícia completa está no link do título dela)

A notícia transmitida pelos irmãos de consciência do Acerto de Contas fala por si só, mas quero fazer uns poucos comentários:

Esse é o tão glorioso governo de Eduardo Campos? Esse que, ao mesmo tempo em que “constrói o desenvolvimento” com a turbinada de Suape e promove o Pacto Pela Vida em prol da segurança,  investe também em desmatamento e dá banana aos/às professoræs da rede estadual de educação básica e ao vegetativo sistema ferroviário?

Desculpe, seu “É”, mas, entre o “desenvolvimentão” de Suape e uma educação pública digna e valorizada, prefiro de longe a segunda. Só pessoas alienadas pela propaganda oficial e capitalistas bitolad@s preferem um porto robusto a escolas decentes.

Tristemente não temos uma terceira via válida nessas eleições que se aproximam. Ou é o seu “É” reloaded ou algum/a fedorent@ da direita — Jarbas era a maior esperança dessa segunda laia, mas ele mesmo já mandou Serra se catar e confessou que só se candidataria para servir de cabo eleitoral da direita federal que quer a presidência de volta.

imagrs

1 comentário(s). Venha deixar o seu também.

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo