09

mar10

Experiência da “senciência vegetal” refutada

Obs. (21/11/2016): Esta postagem está no Veganagenteclique aqui para ler a postagem atualizada.

imagrs

5 comentário(s). Venha deixar o seu também.

Alexandre

julho 1 2010 Responder

“Show de bola. Vou até contar um caso.

X é plantador de flores profissional, começou a muito tempo ele dedicava muito mesmo, fazia com gosto.

Dai outro dia diziam q antes as flores tavam mais bonitas, curiosamente quem cuida dos negocios agora é o filho q nunca gostou de flores, tanto q tentou varios tipos de negocios q foram um fracasso, só ta no negocio de flores pelo dinheiro.

Sera q as flores sentiram a mudança? Porisso ja nao saem tão belas como antigamente qdo era o pai q tocava?”

Comentário que achei num blog, sobre o mesmo assunto.

http://www.saindodamatrix.com.br/archives/2007/06/a_mente_das_plantas.html

Alexandre

julho 1 2010 Responder

Qualquer pessoa com o conhecimento mínimo sobre biologia, como eu, sabe as plantas são tão simples se comparada à complexidade do organismo humano. Como esperar que um um aparelho feito para medir reações fisiológicas de um humano se comporte da mesma com uma planta?

“Cleve Backster ficou famoso, e tem sido desde 1968, quando foi o primeiro a afirmar que as plantas possuem percepções primárias capazes de sentir pensamentos humanos e responder a eles.”

Porque o cérebro e a capacidade de raciocinar surgiram depois, o “sentir pensamento humano” é primário? Por que, então, não consigo sentir o pensamento de uma pessoa próxima a mim? Preciso não ter um cérebro ou de uma lição com uma senhora planta para aprender a telepatia?

Desta pesquisa pude concluir que: ou invetamos outro para medir as reações humanas, já que o polígrafo capta tão bem as sensações da planta e deixa passar as humanas, ou somos tão inteligentes quanto os vegetais, o que é estranho, pois eu sendo um vegetal e cheio de percepções, criaria um meio de fugir de tal experiência sem pé e cabeça.

*acho que agora não escrevo mais errado..haha

Bruno Moreira Guedes

março 20 2010 Responder

Eu realmente rí dos métodos de Backster, principalmente pelos teus comentários.

Agora, realmente o fato de alguém não ter descoberto/comprovado algo não significa que não exista. Bom, cada um tem suas crenças, mas eu não acredito que estejamos sozinhos no universo. Agora, você acredita que as formas de cérebros e redes neurais de qualquer ser vivo tenham que ser exatamente iguais às dos animais da terra? Se hipotéticamente um ser inteligente viesse de outro planeta para cá, tu afirmas que ele necessariamente teria que ter algo similar a um cérebro humano para ter senciência??

E depois algumas pessoas me dizem que ciência não está virando uma religião. Pensar isso não é semelhante a pensar que “se a religião B não tem um ‘deus’ com as características XYZ então é porque o ‘deus’ deles não existe, e o meu existe”??

A Ciência é composta de homens dogmáticos que crêem em teses que nem sempre temos como ter certeza de que são uma verdade absoluta(tanto que a própria ciência derruba teorias). E quando um cientista mais “renomado”(ou um “GRANDE Cientista”) cria uma tese ele é aplaudido por todos, enquanto os demais que discordam são desacreditados por todos. Estes “demais”, por sinal, tem suas teses desacreditadas porque algum cientista mais “renomado” disse o oposto.

Sinceramente… É complicado! Mas se eu não acredito em Deus eu não posso querer o bem do próximo e fazer um trabalho comunitário no qual a Igreja esteja envolvida. E se eu não acho que o que Darwin diz faça sentido, eu devo ir para a Igreja(que por sinal também não me aceita).

    Robson Fernando

    março 20 2010 Responder

    Agora, realmente o fato de alguém não ter descoberto/comprovado algo não significa que não exista. Bom, cada um tem suas crenças, mas eu não acredito que estejamos sozinhos no universo. Agora, você acredita que as formas de cérebros e redes neurais de qualquer ser vivo tenham que ser exatamente iguais às dos animais da terra? Se hipotéticamente um ser inteligente viesse de outro planeta para cá, tu afirmas que ele necessariamente teria que ter algo similar a um cérebro humano para ter senciência??

    Não precisa haver um sistema nervoso igual ao dos animais terráqueos. Mas é necessário que o sistema nervoso tenha alguma função útil, como prover movimentos e alertar a presença de perigos através da dor.

    A Ciência é composta de homens dogmáticos que crêem em teses que nem sempre temos como ter certeza de que são uma verdade absoluta(tanto que a própria ciência derruba teorias). E quando um cientista mais “renomado”(ou um “GRANDE Cientista”) cria uma tese ele é aplaudido por todos, enquanto os demais que discordam são desacreditados por todos. Estes “demais”, por sinal, tem suas teses desacreditadas porque algum cientista mais “renomado” disse o oposto.

    Essa é uma fraqueza de muitos cientistas, não da ciência por si só. O método científico exige comprovações e revisão isenta de pares. Agora, se um cientista é tratado como uma autoridade eclesiástica, o defeito é de quem o faz, não da própria ciência.

    Mas se eu não acredito em Deus eu não posso querer o bem do próximo e fazer um trabalho comunitário no qual a Igreja esteja envolvida.

    Isso não é sua opinião não, né?

    animadruga

    fevereiro 24 2015 Responder

    A primeira coisa que deve ser respondida é como pode haver mente sem cerebro. Isso abre espaço até para discussão sobre espiritos.

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo