27

mar10

Governo Eduardo Campos quer destruir toda a vegetação em torno de Suape e se tornar o maior ecocida da história pernambucana moderna

Quem tem medo de Blairo Maggi e da bancada ruralista é porque não conhece Eduardo Campos.

Projeto de lei em tramitação na Assembleia prevê desmatamento de 1.076 hectares de vegetação nativa

Está em tramitação na Assembleia Legislativa projeto de lei enviado pelo governo do Estado que prevê o desmatamento, de uma só vez , de 1.076 hectares de vegetação nativa no Porto de Suape.

São  893,4 ha de mangue, 17,03 ha de mata atlântica e 166,06 ha de restinga.

O objetivo é a ampliação da área do complexo portuário, entre Ipojuca e Cabo de Santo Agostinho, no Grande Recife, para a implantação de um estaleiro.

É o maior, asseguram ambientalistas, desmatamento de mangue já realizado no Brasil. Para se ter uma ideia da abrangência da devastação, a área que será suprimida equivale a mais de 1.000 campos de futebol. É que um campo corresponde a quase um hectare (10 mil metros quadrados).

A área a ser desmatada é maior do que o mangue que foi aterrado, na década de 80, para a implantação do próprio complexo: 600 hectares.

Se o procedimento é legal? É. A lei prevê esse tipo de ação, em caso de obras de utilidade pública ou interesse social, mediante decreto do governador, desde que se faça o replantio de área de igual tamanho. Como todo mundo sabe, não há mais área tão extensa disponível no litoral pernambucano. Mas, nesse caso, existe uma outra brecha legal: se não pode replantar, o empreendedor pode fazer a compensação ambiental promovendo a conservação de uma outra área de vegetação nativa.

E, também como todo mundo sabe, o governo tem maioria na assembleia. Ou seja, o projeto certamente será aprovado e virará lei.

Bem, fica a pergunta. Alguém já parou para mensurar a relação custo-benefício da geração de emprego e renda com o estaleiro e dos inumeráveis danos ambientais que serão causados com o corte, a uma só canetada do governador, de tanta vegetação?

Conheça aqui esse infame projeto de lei.

Faz lógica dona Luciana Santos não ter respondido às minhas perguntas sobre desmatamento. Ela consentiu que o seu governo é um grande vilão do meio ambiente.

Em nome do desenvolvimento tão anunciado pelas propagandas, com a vinda de estaleiros, refinaria de petróleo (sangue negro, energia altamente suja), pretende-se arrasar o ambiente natural pernambucano. A vida em torno de Suape está ameaçada, e dessa vez não haverá mais como repor os ecossistemas litorâneos que estão prestes a ser arrasados.

O governo planeja derrubar nada menos que  mil campos de futebol de vegetação, não satisfeito em pemitir casas de gente rica por cima de vegetação litorânea, destruir mata atlântica para duplicar rodovia, destruir mangue no Rio Jaboatão para construir uma ponte e ser conivente com o desmatamento em Aldeia, Porto de Galinhas e Maracaípe. Ou seja, seu governo promoverá o maior ecocídio rápido da história de Pernambuco, e o maior ecocídio em extensão territorial desde a destruição sistemática da Mata Atlântica pelos senhores de engenho ao longo dos séculos 16 a 20.

Eduardo Campos, obrigado por ajudar a imbecilizar nossas crianças e adolescentes pela desvalorização d@s professoræs e do sistema educacional estadual, promover o que há de pior em desenvolvimento insustentável e destrutivo e alienar a população com a mesma publicidade desenvolvimentista que governos e regimes ditatoriais fazem com total desprezo ao ambiental.

O povo pernambucano, que se mobilizou contra a destruição do Parque da Jaqueira e a transformação do Hospital Psiquiátrico da Tamarineira em shopping tem a obrigação de se mobilizar contra esse ato terrorista que visa “desenvolvimento” e “empregos” através da brutal devastação do ambiente natural.

E é uma pena tão grande que não teremos nenhuma alternativa válida nas próximas eleições… Com a imprestável direita fraca (lembre-se que Jarbas, se concorrer ao governo, será nada mais que para ser cabo eleitoral de José Serra) e a total ausência de uma terceira via conhecida e prestigiada, Pernambuco está condenado a ser governado por mais quatro anos por esse Máquina de Free Willy do Nordeste. E nem nossos senadores serão flor que se cheire: Armando Monteiro Neto é especialista em indústria e Fernando Bezerra Coelho, como secretário de Desenvolvimento, é um dos que mais estão ajudando nessa “limpeza” ambiental em Pernambuco.

"O desenvolvimento vem aí, moçada desempregada! O verde de Suape já era! Em compensação, vai chover outro verde... o do dinheiro! HAHAHAHAHAHAHA!!!!"

imagrs

3 comentário(s). Venha deixar o seu também.

Raissa

maio 10 2010 Responder

Esse projeto de Lei é um ABSURDO! São decisões como essas que abre nossos olhos para os representantes do povo que elegemos. Apesar de conter em lei específica a permissibilidade de desmatamento de área em caso de interesse social ou utilidade pública, devemos olhar o outro “lado da moda” visto que o dano ao meio ambiente e a população em si serão irreparáveis!

Precisamos reverter essa situação, caso contrário seremos vítimas dos nossos próprios atos, sem perspectiva de futuro para para as próximas gerações…

Marilia

março 28 2010 Responder

Poxa… sou pernambucana e moro em Minas Gerais e fiquei apavorada com esta notícia! Por favor, é nossa OBRIGAÇÃO não aceitar esse tipo de atitude. Boa matéria, afinal é extremamente importante que as pessoas saibam o que rola no governo.

Malu

março 27 2010 Responder

Já tá tudo certo.
O blog tava dando erro.

Obrigada.
Beijo

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo