14

abr10

A vergonha da desvalorização da educação: professores/as pernambucanos/as recebem o pior salário do Brasil

Com vocês, uma das duas maiores pérolas do governo de “É” Motosserra, ao lado da sede de desmatamento: o maltrato salarial contra professoræs.

Pois bem, noss@s professoræs estaduais ganham o pior salário de todo o Brasil.

E depois Seu Motosserra e seu governo vêm com todo o trololó sobre Suape, afirmando que Pernambuco vai se desenvolver, que vamos nos tornar praticamente um “Tigre Asiático Brasileiro” (às custas de destruição ambiental implacável, diga-se de passagem). Porém a realidade é que esse desenvolvimento vai fracassar, porque os Tigres Asiáticos só estão aí graças a investimentos pesados em educação, incluindo valorização d@s professoræs.

É uma trágica vergonha que aquela que considero a profissão mais nobre de todas, a de professor/a do ensino básico, seja tão maltratada, vista por esse governo ecocida como uma questão supérflua que não merece a mesma atenção que a “necessidade” de desmatamento massivo do verde pernambucano recebe.

Faço minhas as palavras de Pierre Lucena:

Enquanto isso, fazendários e procuradores ganham no mínimo 13 vezes o que ganha um professor, e muitos ganham até 22 vezes mais.

Na verdade professor ganha mal no Brasil todo, mas aqui é uma bizarrice. Só para ter uma idéia da desproporção do salário do nosso professor, um professor do Acre ou do Amapá ganha 120% mais que um colega pernambucano. Em Alagoas e Tocantins paga-se o dobro. Até o Piauí, conhecido pela pobreza, paga 30% mais que Pernambuco.

Essa situação vergonhosa chegou no limite, e Eduardo e Jarbas terão que explicar porque nunca mudaram esta situação vergonhosa. Eduardo ainda poderá aproveitar o momento eleitoral, e explicar porque aumentou para míseros R$ 22 mil o salário pouco mais de de 200 fazendários.

Eu já avisava no fim do ano passado no Consciência Efervescente, e aviso novamente: meu voto com total certeza não será para “É” Motosserra, inimigo d@s professoræs e do meio ambiente.

imagrs

Seja a primeira pessoa a comentar

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo