13

abr10

Desmatamento: tinha que ser a pecuária de novo!

CPRH realiza maior flagrante de desmatamento no interior do Estado

A Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) anunciou hoje o maior flagrante de desmatamento realizado desde 2006, quando tiveram início as fiscalizações na área florestal pelo órgão estadual. Após denúncias, os fiscais constaram o desmatamento de 21 hectares de Mata Atlântica e fizeram uma apreensão recorde de madeira ilegal em uma fazenda de criação de gado do município de Maraial, na Mata Sul.

De acordo com a CPRH, parte do desmatamento, feito para plantio de capim, ocorreu em uma área com declive acima de 45 graus e em margem de rio, que são consideradas Áreas de Preservação Permanente (APP). Em alguns pontos, houve queimadas na vegetação sob linhas de transmissão, o que poderia causar a queda do fornecimento de energia. Nessa grande área de supressão de vegetação, medida por GPS, a equipe da agência encontrou pelo menos 300 estéres de madeira, o equivalente a 100 toneladas, o que motivou um auto de apreensão da lenha.

Como o desmatamento foi em região de Mata Atlântica – bioma protegido por leis específicas-, a multa deve chegar a R$ 5 mil por hectare desmatado. O proprietário também será obrigado a recuperar toda a área degradada.

Mais uma vez é a pecuária destruindo os ecosssistemas. E dessa vez foi a Mata Atlântica, que sobrevive hoje com 7% da cobertura original (menos de 5% em Pernambuco).

Pense que a carne que você come pode estar vindo dessa fazenda que promoveu o desmatamento.

imagrs

Seja a primeira pessoa a comentar

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo