21

abr10

Minha “comemoração” aos 50 anos de Brasília: por que foi construída longe das grandes cidades?

“Comemoro” os 50 anos da fundação de Brasília trazendo do passado (lá das férias de inverno de 2009) uma breve reflexão sobre o fato de aquela cidade ter sido construída bem no meio do cerrado.

É só viagem minha ou Brasília foi construída lá no Planalto Central, no meio do nada (urbanamente falando) e longe das maiores populações urbanas brasileiras, justamente para proteger o centro político do país de revoluções populares e evitar o contato da turma política com massas em protesto?

Se a capital brasileira continuasse no Rio, seria muitíssimo mais fácil que os três poderes enfrentassem cara-a-cara manifestações populares contra os desmandos políticos e/ou a favor de políticas públicas satisfatoriamente competentes. Seria muito mais prático concentrar uma grande massa de paulistas, cariocas e mineir@s no Rio, localizado mais próximo a seus estados, do que em Brasília, situada a não menos que 600 quilômetros de distância — chegando a mais de 900 no caso do Rio e de Vitória — das capitais do Sudeste.

É de se pensar essa questão. A fundação de Brasília pode ter sido a maior banana dada por políticos contra o povo na história do país.

imagrs

4 comentário(s). Venha deixar o seu também.

Edu Marques

abril 21 2010 Responder

Entendi o que você quis dizer com o termo, mas o mesmo dá vários sentidos negativos, obrigado por ser maleável com seus textos e com as criticas de seus leitores.

Novamente parabéns pelo Blog e parabéns pra Brasília, hauhau…

    Robson Fernando

    abril 21 2010 Responder

    Obrigado também , Edu =)

Edu Marques

abril 21 2010 Responder

Cuidado Robson, termos como “fim do mundo” é muito forte, eu sou do estado de Goiás e particularmente não gostei do termo baixo, e ao meu ver um tanto pejorativo.

Abraços, parabéns pelo Blog,

    Robson Fernando

    abril 21 2010 Responder

    Blz, vou alterar, embora “fim do mundo” tenha se referido a um lugar remoto, longe das cidades.

    Abs

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo