15

abr10

Outra boa notícia ambiental: Justiça diz não à usina de Belo Monte

Justiça suspende leilão para a usina de Belo Monte

A Justiça Federal em Altamira (PA) aceitou liminarmente um pedido do Ministério Público Federal e suspendeu o leilão e a licença prévia da hidrelétrica de Belo Monte, no Pará. O leilão estava marcado para o dia 20 de abril.

A decisão levou em conta apenas uma das duas ações propostas pelo MPF para barrar a obra, principal aposta do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) e calculada em R$ 19 bilhões.

Segundo a Justiça, de forma “inequívoca” a obra afetará diretamente terras indígenas. Por isso, desrespeita o artigo 176 da Constituição Federal, que exige a criação de lei específica nesses casos.

Palpite

Mais cedo, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu a construção da usina hidrelétrica de Belo Monte dizendo que “ninguém tem mais interesse em defender a Amazônia e os índios do que o próprio Brasil”.

“Nós ficamos 20 anos proibidos de fazer até os estudos de viabilidade para Belo Monte, e agora estão aparecendo ONGs do mundo inteiro para protestar contra a hidrelétrica. Não precisam vir aqui dar palpite. Fizemos revisões do projeto e o lago vai ser um terço do se havia pensado no início”, afirmou. [E essa proibição faz sentido. Tanto quanto faz sentido não se pensar em destruir a cidade de São Paulo para fazer um complexo industrial futurístico.]

Entre as queixas, moradores e associações afirmam que vilas serão alagadas pela hidrelétricas. [A Folha se esqueceu da questão da inundação da floresta?]

Na última segunda-feira, até o diretor James Cameron (do filme “Avatar”) deu opinião sobre a construção da usina. No Brasil para lançar o filme produzido em 2009, Cameron disse que o governo brasileiro deveria buscar alternativas à construção e que ouviu lideranças a respeito do assunto.

Acompanhado da atriz Sigourney Weaver, que compõe o elenco de “Avatar” e viaja para divulgar o longa, Cameron participou em Brasília de uma manifestação organizadas por representantes do MAB (Movimento dos Atingidos por Barragens) e de organizações indígenas.

Na noite de domingo, Cameron se reuniu com a candidata à Presidência Marina Silva (PV) e disse que gostou muito do discurso da senadora. Marina afirmou a ele que o processo para a construção da usina não incluiu todos os envolvidos.

Belo Monte será a terceira maior hidrelétrica do mundo, com 11,2 mil megawatts de potência instalada, com garantia física de 4.571 megawatts médios. O projeto enfrentou por décadas resistência de populações indígenas e de ambientalistas, que condenam o empreendimento. A usina entrará em operação em 2015 (1ª fase) e 2019 (2ª fase). [Pior é que a Folha fala de Belo Monte como se sua construção já fosse uma realidade inexorável.]

Parcialidade da Folha Online à parte, recebo esta notícia com sorriso. Só espero que a cambada interessada em inundar até 516 quilômetros quadrados não vença a batalha na Justiça para reativar a construção dessa usina que causará um ecocídio territorialmente dezenas de vezes mais maciço e trágico que o de Suape (mas a grande extensão da floresta amazônica adjacente ainda torna Belo Monte aparentemente menos catastrófico que a quase pontual vegetação de Suape).

Meu desejo é que o projeto de Belo Monte seja definitivamente interditado e o governo federal crie vergonha e recorra a meios renováveis e não destrutivos de geração de energia. Mas é bem difícil que o governo desista de destruir esses mais de 500 quilômetros quadrados de floresta, já que a referida usina da destruição é meio que a menina-dos-olhos do PAC de Lula e Dilma Rousseff.

imagrs

1 comentário(s). Venha deixar o seu também.

Cristina Seabra Amiga do Brasil

abril 27 2010 Responder

Nos brasileiros de verdade nao queremos belo monte,os povos da florestas representantes de liderancas nao querem mas brancos mandando na sua area,quem chega e quem tem que respeitar o territorio dos outros.Mexer com o RIO XINGU nao mexe so com a cultura indigena mas mexe com todo Brasil,historias de invasoes e as mortes e abusos praticados da epoca das invazoes ate hoje praticadas.Mexe com a alma do povo brasileiro que luta por um Brasil verde e isto nao e democratia mexer com a alma de um povo a sua cultura,o RIO XINGU e um ponto de referencia para todos os brasileiros de verdade quando falo isto estou falando da mistura do lado bom que nao quer mas sofrimentos e injusticas socias com os povos da floresta,moro fora do Brasil e sei o que e ser estrangeira,poes bandeiras em varandas,janelas e grandes mastros nos jardins das casas nao queremos isto para o Brasil nao precisamos por bandeiras em todas as partes,mas precisamos ser ouvidos pelo governo afinal o governo e a voz do povo nao aceito e nao vou aceitar igaul falou o grande guerrei (Cacique Raoni nascido na floresta amazonia)O meu coracao esta partido so em pensar numa tragedia dessa e outra focas demoniacas e esta barragem que esta mexendo com o povo brasileiro,nos temos o direito de falar pois nao estamos no tempo da ditadura,queremos paz e nao guerras ja chegam os imigrantes que sai dos seus paises por guerras a Suecia por ser um pais pequeno tem fugitivos de guerras de varias nacionalidades nao tem mas nem lugar aqui muitos poblemas e racismo,nao queremos isto para o Brasil estamos sendo obrigados a aceita esta barragem nao se trata de ongs e outras inteferencias se tratam de nos brasileiros em todo o Brasil.Amiga sempre do Brasil orkut!

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo