15

abr10

A perigosa hipertrofia da economia chinesa

Economia chinesa cresce 11,9% no 1º trimestre

O crescimento da economia da China acelerou no primeiro trimestre de 2010, para 11,9% na comparação com igual período do ano anterior, ante taxa de 10,7% no quarto trimestre de 2009, informou a agência nacional de estatísticas nesta quinta-feira

Economistas previam para o Produto Interno Bruto (PIB) uma alta de 11,5%. Foi a maior taxa de expansão desde 2007.

A agência acrescentou que os preços ao consumidor chinês caíram 0,7% em março sobre fevereiro e subiram 2,4% na comparação com o mesmo mês do ano anterior. Os preços no atacado subiram 0,5% mês a mês e aumentaram 5,9% na comparação anual.

A produção industrial do país cresceu 18,1% em março sobre o ano anterior, ante estimativa do mercado de 18,2%.

A formação bruta de capital fixo – uma medida do investimento – saltou 26,4% no período de janeiro a março comparado a igual intervalo de 2009, ligeiramente acima das previsões de 26%.

Na época do Consciência Efervescente eu insisti diversas vezes que essa hipertrofia da economia chinesa não é motivo de comemoração, mas de muita apreensão. E volto hoje a insistir nesse ponto.

Tenhamos em mente que esse boom de produção industrial só acontece porque:
– trabalhadoræs são explorad@s de forma cruel, com salários ridículos, jornadas de trabalho imensas, proibição de greves — lembre-se que a China tem um Estado totalitário a controlando — e outras privações trabalhistas;
– utiliza-se as fontes de energia principais mais sujas possíveis — carvão e petróleo — para se impulsionar essa economia — lembre-se que a China já superou os Estados Unidos como país mais poluente do planeta;
– a indústria chinesa desviou o interesse industrial de grande parte das empresas do planeta de modo que elas deixaram de fabricar muitos produtos pelo mundo e passaram a concentrar essa produção na China, onde os baixíssimos custos — inclua-se a mão-de-obra barata e desprovida de direitos — permitem alto lucro a curto prazo. Isso causa desemprego e fraqueza na economia de muitos outros países industrializados;
– a negação de direitos trabalhistas e a fácil obtenção de energia (suja) e matéria-prima desoneram muito os produtos industrializados e, assim sendo, eles são vendidos a preço de banana em todo o mundo.

Daí temos uma China de economia hipertrofiada. O recanto do que há de pior no capitalismo cresce na faixa dos dois dígitos a cada ano na base de muito mal.

E lembre-se que, quanto mais a economia chinesa cresce desse jeito, mais desgraçada é a poluição que ela emite e mais recursos naturais ela consome. O mundo já teve sua capacidade de renovação de recursos (renováveis) superada em 30%, e a China só vem piorando esse quadro.

Como já falei uma vez, tornou-se impossível boicotar a indústria chinesa para se fazer oposição consciente à megalomania totalitária, capitalista, poluente e antitrabalhista do regime ex-comunista daquele país. Diversos produtos, como lâmpadas fluorescentes, virtualmente só são produzidos na China hoje em dia.

Não sei o que pode ser feito no momento como ação direta, mas sei que o que se pode fazer no momento é conscientizar outras pessoas sobre o que está por trás da hipertrofia chinesa.

imagrs

3 comentário(s). Venha deixar o seu também.

Isaac

junho 10 2010 Responder

Devemos então pensar também, se antes dessa reformas capitalistas aparecerem o povo chinês vivia melhor. Será que antes a população chinesa estava em melhores condições sociais e econômicas, quando imperava apenas o comunismo? ou será que antes o índice de miséria e pobresa e outros índices sociais para a população chinesa eram piores?

    Robson Fernando

    junho 11 2010 Responder

    Isaac, riqueza material (ainda a nivel que não pode ser considerado alto) sem liberdade e outros direitos é tão miséria quanto a ausência dessa riqueza.

Giancarlo

junho 5 2010 Responder

É, a migração do capital tem como lógica maior a obtenção de mais-valor (lucro), atualmente o local mais interessante para se investir na produção é a China, que conta com toda estes “privilégios” que você disse: baixíssimos salários, pouquíssimos direitos trabalhistas, repressão máxima aos trabalhadores, quase ausência de leis ecológicas, etc…
Esta é uma das vantagens do sistema de Capitalismo de Estado, como Deng Xiaoping gostava de dizer, “na China nos temos o controle de tudo e podemos mudar as coisas rápido”.

A decisão que está colocada para a humanidade, e principalmente para os oprimidos e explorados ainda é socialismo ou barbárie, ou melhor, autogestão ou barbárie.

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo