26

jun10

Apoio aos agrotóxicos, mais um motivo para expulsar a bancada ruralista do poder

Como se não bastassem sua sede por exploração animal, sua sanha de destruir ecossistemas, seu interesse de deixar o trabalho escravo impune e sua oposição visceral a qualquer iniciativa de reformas agrárias verdadeiramente distributivas, a bancada ruralista, senhora do agrocriminegócio e de tudo o mais que não presta na ruralidade brasileira, nos dá mais um motivo para que nos empenhemos em expulsá-la de Brasília e dos poderes estaduais.

Leia os links:
Agrotóxicos: ruralistas querem que Anvisa suspenda fiscalização de produtos

Ruralistas tentam liberar venda de agrotóxicos

O crime dos agrotóxicos:

Diante de tal medida [a Anvisa e os Ministérios da Saúde e do Meio Ambiente iniciarem a reavaliação da comercialização e uso de 14 tipos de agrotóxicos no Brasil], o que fizeram os fabricantes de agrotóxicos e a bancada ruralista desta Casa, com o apoio, mais uma vez, do ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes? Espernearam. O Sindicato das Indústrias de Defensivos Agrícolas recorreu até ao Judiciário para impedir que os resultados da reavaliação da Anvisa sejam publicados. O Ministério da Agricultura quer retirar da Anvisa sua prerrogativa de fiscalizadora do setor, entregando para os representantes dos ruralistas que ali estão instalados a tarefa de avaliar e registrar agrotóxicos no país. Será a raposa cuidando do galinheiro.

Importação brasileira de agrotóxicos cresce 240%:

A bancada ruralista no Congresso Nacional, juntamente com o Ministro da Agricultura, Reinhold Stephanese e os fabricantes de agrotóxicos se posicionaram contra a medida da Agência [reavaliar as liberações do uso de 13 tipos de agrotóxicos comercializados no Brasil, produtos que já foram proibidos em diversos países e regiões, entre eles os Estados Unidos e a União Europeia]. Eles recorreram ao Judiciário, solicitando que não sejam publicados os resultados das reavaliações.

Isso mesmo. A mesma canalha ruralista que afirma querer “alimentar” a população brasileira está deixando claro que não se importa nem um pouco com a saúde de quem ela “alimenta”. Ela não está nem aí se está nos “alimentando” com comida envenenada. Não importa se pessoas adoecem e morrem das mais nefastas doenças por causa do veneno que os grandes latifundiários compram e metem em suas plantações — tanto as que realmente alimentam parte da população brasileira como as que abastecem os animais explorados e/ou mortos para fornecer carne, leite e ovos. O que importa para @s ruralistas é ganhar dinheiro. É faturar em cima do que @s brasileir@s e @s estrangeir@s compram.

Os arautos do ruralismo criminoso que temos, como a Band e o Inferno.com.br, propagandeiam que sua missão maior é nos prover “alimentos” (não considero produtos de origem animal alimentos válidos, como vegano que sou). Mas seu argumento cai por terra quando vemos esse detalhe nefasto, de que o veneno é parte integrante da “comida” que nos fornecem.

Ao contrário do que os interesses da bancada ruralista inspiram para que comamos, não queremos comer veneno.

A esse ponto, as eleições se tornam questão de vida e morte não só para os animais e para @s sem-terra, mas também para cada brasileir@ que ainda depende do agrocriminegócio para ter uma alimentação razoável.

Repito: a bancada ruralista deve ser expulsa de Brasília. Usemos nossos votos para isso.

imagrs

Seja a primeira pessoa a comentar

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo