20

jun10

Dessa eu não sabia: a-ha já tocou no Inferno de Barretos

Depois da presepada que foi Mariah Carey ter aceito cantar no rodeio de Barretos, algumas notícias mostraram que o a-ha, uma das bandas de que mais gosto — e que está se despedindo dos palcos –, também cometeu a infelicidade de tocar nesse tipo de evento.

Pelo menos três vídeos no YouTube mostram a atitude condenável, que caiu em mim agora como um balde cheio de água com gelo pronto para causar hipotermia:

aha at Rodeio de Barretos, Barretos, Brazil – 1
aha at Rodeio de Barretos, Barretos, Brazil – 2
aha – I’ve Been Losing You (small video in Brazil a-ha Barretos – Brasil 2002)

Nunca pensei que o a-ha, banda que foi o emblema da gloriosa música dos anos 80, que embala meu gosto musical desde 2005, tivesse sido capaz de ter essa atitude, de dar uma banana aos animais que sofrem nas arenas, abusados pelo sedém e pelas esporas dos peões, e pensar apenas no dinheiro ganho dos ingressos e do pagamento pelos organizadores do Inferno e no entretenimento d@s fãs.

Não consigo me ver hoje sem gostar do a-ha, mas a banda perdeu bons pontos comigo depois dessa. Infelizmente é tarde demais para a banda se redimir e afirmar que não tocará mais em rodeios, já que está chegando ao seu fim, está na turnê final. Mas bem que Morten, Paul e Magne poderiam depois dar explicações por que cometeram essa violência indireta, de ganhar dinheiro em cima da exploração animal, de animar uma festa que só existe porque bichos são torturados nas arenas (“cócegas” e “incômodo”, os efeitos que os próprios organizadores de rodeios afirmam que o sedém causa, são sensações agradáveis, por acaso?), de aumentar os lucros de quem vive desse tipo de atividade hedionda. Se afirmarem arrependimento, recuperarão os pontos que perderam comigo hoje.

imagrs

16 comentário(s). Venha deixar o seu também.

Edimar Masioli

março 6 2011 Responder

Eu concordo plenamente com você,Robson Fernando!

gabriel

julho 31 2010 Responder

Do jeito que você fala do “sofrimento” do touro parece que estamos falando de touradas,os touros de rodeio são criados desde pequenos para o rodeio,o “pai” era touro.

o touro sofre com oque?

    Robson Fernando

    julho 31 2010 Responder

    Pior é quando são “treinados” desde pequeno. Isso quer dizer que são forçados com um sedém desde idade tenra. E o sedém causa dor local na virilha, já que é uma região sensível do corpo do touro.

    Recomendo que leia artigos sobre rodeio em sites de defesa animal.

gabriel

julho 29 2010 Responder

repito você nao nasceu aqui e nunca vai entender.
que conparaçao infeliz essa do estrupo em cara.

    Robson Fernando

    julho 29 2010 Responder

    O exemplo do estupro mostra que não existe uma tortura mais ética do que a outra. Há uma que causa menos sofrimento que a outra, mas isso não torna o sofrimento mais palatável. Continua sendo sofrimento, fruto de uma violência.

    Por isso o caso do mendigo não faz sentido. Poderia até ser que ele escolhesse ser torturado 10min por dia em troca de uma vida de rei, mas isso não seria ético por isso.

    Pior são os animais: eles não podem escolher. São explorados e abusados e só se livram dessa vida na morte ou depois de anos de rodeio.

gabriel

julho 29 2010 Responder

“Quanto a animais domésticos, já tutelei uma cadelinha, mas ela não era minha propriedade. Quando um tutor diz que “tem” um animal, o diz da mesma forma que diz “tenho pais, namorada e amigos”
e eles tem touros,isso nao colou cara você se contradiz

mas em relaçao ao sedém,no maximo ele incomoda o touro.

“Sobre a “vida de rei”, repito: você aceitaria uma vida de luxo desde que aceitasse ser propriedade de um senhor e fosse torturado dez minutos por dia?”
faça essa pergunta para um mendigo ele nao ira pensar duas vezes

“Sobre veterinários, ser veterinário também não significa ser ético. O que mais há em rodeios e criações intensivas (pecuária) de animais são veterinários, a serviço da exploração.”
entao você quer dizer que todo veterinario que trabalha em rodeios nao sao eticos?

estou vendo que isso nâo vai mudar nada eu vou continuar pensando em rodeios de forma positiva e você negativa.

você ja foi a um rodeio?

    Robson Fernando

    julho 29 2010 Responder

    A tutela respeitosa é diferente da arrogância de propriedade. Se um pecuarista possui touros como propriedades suas, não tem nada a ver com eu tutelar a cadelinha que adotei.

    Tutelar animais é uma coisa, possuí-los, tê-los como propriedade, é outra. E ambos têm propósitos bem diferentes. Na tutela você cuida do bicho como alguém da família, sem esperar que ele satisfaça qualquer interesse utilitário seu. Já na propriedade o animal é obrigado, contra sua vontade, a satisfazer os interesses do seu “dono” – seja fornecendo carne de seu corpo, seja sendo explorado num rodeio.

    Sobre o mendigo: você acharia ético se isso de fato acontecesse? E tem certeza que o mendigo gostaria de ser torturado?

    Sim, veterinários de rodeio e de pecuária não são éticos. Porque trabalham em favor da exploração animal, contribuem pra um sistema que oprime seres que tudo o que queriam era viver, ser livres e não sofrer – e nada disso lhes é permitido.

    Se eu fui a um rodeio, não fui. Mas não sou obrigado a ir pra um pra saber que explora e maltrata animais, da mesma forma que não precisaria ir pra um gulag soviético pra saber que o stalinismo era cruel com seres humanos.

      gabriel

      julho 29 2010 Responder

      “A tutela respeitosa é diferente da arrogância de propriedade. Se um pecuarista possui touros como propriedades suas, não tem nada a ver com eu tutelar a cadelinha que adotei.”
      “adotou” certo.sem comentarios

      “Sobre o mendigo: você acharia ético se isso de fato acontecesse? E tem certeza que o mendigo gostaria de ser torturado?”
      a vida do mendigo ja e uma tortura substituir por 10min como você disse nao e nada para ele

      Rodeio esta na cultura oque você nao entende,nao conhece,nao nasceu em lugar que ocorrem rodeios entao nao entende o espirito do rodeio,os bois que pasam a participar dos rodeio sao treinados desde pequenos para o rodeio,sao feitos para isso os “pais” eram touros de rodeio esta no “sangue” deles.você nunca viu peoes,berrantes etc nao nasceu aqui entao nunca vai entender e vai continuar com sua opniao,e pelo visto nunca vai entender.

        Robson Fernando

        julho 29 2010 Responder

        O mendigo não aceitaria substituir uma tortura por outra. É quase como um estuprador perguntar pra vítima: “Você prefere o quê? Penetração vaginal ou anal? Você tem duas opções, nenhuma outra mais.”

        Sobre os bois, compreenda que eles são escravizados. Eles não corcoveiam, seja em treinos, seja na arena, porque assim decidiram. Não o fazem por escolha própria, não escolheram essa vida. Nem podem optar por desistir da “carreira”. Isso – forçar algum animal, humano ou não, a fazer algo contra a vontade, alheado da capacidade de escolher entre sim e não, por si só já é um abuso inadmissível.

        Sobre peões, berrantes e toda a cultura centrada na pecuária e nos pseudoesportes com animais, sinceramente não tenho interesse nenhum de conhecer. Não simpatizo com nenhuma cultura que se baseie na exploração de animais.

gabriel

julho 29 2010 Responder

tambem peço que leia
http://www.arenapbr.com/profiles/blogs/acredite-ainda-tem-gente-que?xg_source=activity

“Vamos esclarecer alguns pontos: o rodeio é regulamentado por lei. E de rodeio entende-se montarias. Montarias! Nada de vaquejadas, nem farra do boi, nem tourada. Isso, não. O rodeio em si não maltrata os animais, pelo contrário. Esses “atletas” têm vida de rei, possuem um Hospital próprio para suas lesões, têm a seu dispor todo o equipamento da mais alta tecnologia e comem tudo do bom e do melhor. Os grandes rodeios, que seguem à risca a legislação, têm um veterinário nos bretes que fica de plantão caso seja necessário.

oque eu disse.

“E você acha certo que os animais tenham um dono, sejam propriedade de humanos?”
você nao tem um cachorro,gato etc.
Se nao tiver,nao concorda com isso tambem?

    Robson Fernando

    julho 29 2010 Responder

    Lei não quer dizer ética hoje em dia. Há uma lei regulamentando pesquisas com cobaias, há leis pelo mundo regulamentando criação e abate de animais na pecuária.

    E se rodeio não maltrata animais, guerras não matam. Rodeios precisam pelo menos do sedém, que espreme o ventre do animal, pra funcionar. Sem falar que são exploração de animais em nome de interesses humanos, algo que, se submetesse seres humanos, seria considerado o pior e mais criminoso dos absurdos.

    Sobre a “vida de rei”, repito: você aceitaria uma vida de luxo desde que aceitasse ser propriedade de um senhor e fosse torturado dez minutos por dia?

    Sobre veterinários, ser veterinário também não significa ser ético. O que mais há em rodeios e criações intensivas (pecuária) de animais são veterinários, a serviço da exploração.

    Quanto a animais domésticos, já tutelei uma cadelinha, mas ela não era minha propriedade. Quando um tutor diz que “tem” um animal, o diz da mesma forma que diz “tenho pais, namorada e amigos”.

gabriel

julho 29 2010 Responder

como eu já disse antes eles sao tratados como estrelas pelos donos,você acha que o dono do boi bandido que por sinal era famoso,”participou ate de novela” iria deixar alguem maltratalo,me explique melhor onde você ve o sofrimento do animal no rodeio,e nossa agora você se superou comparou rodeio com nazismo.

gabriel

julho 29 2010 Responder

certo cara,ofende uma cultura inteira sendo que é a festa cultural mais rentavel no pais,alem de ofender a cidade que pelo visto nem conhece.

    Robson Fernando

    julho 29 2010 Responder

    O que critico não é a cidade em si, mas a festa de peão e essa “cultura” que se sustenta no abuso e sofrimento de animais.

    “Culturas” que se pautam pela exploração animal não merecem meu respeito.

    O nazismo foi uma “cultura” que se pautou no sofrimento humano, e hoje é repudiado em todo o planeta. Já o rodeio, que se pauta no sofrimento animal, é apreciado? Isso não faz sentido ético.

    Aliás, é uma vergonha que uma cidade centre sua importância cultural e econômica no abuso de animais num pseudoesporte como o rodeio.

gabriel

julho 28 2010 Responder

Comentário editado por ofensa e discordância desrespeitosa. O “otário” aqui não aceita comentários mal-educados.

Refaça seu comentário, explicando de forma respeitosa como os touros “de rodeio” são “bem”-tratados, se quiser que eu libere comentário seu (não sem uma tréplica minha).

Att.,
RF

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo