26

jun10

Mais uma perversão de cientistas torturadores (Parte 44)

Respiração artificial

Pela primeira vez na história, um animal [cujo organismo não tem que ver com o humano] respirou graças a um pulmão desenvolvido com a ajuda de células-tronco. O feito foi obtido por uma equipe de pesquisadores da Universidade de Yale, em Connecticut, nos Estados Unidos. Os especialistas criaram em laboratório um tecido pulmonar que foi implantado em ratos e substituiu com êxito o órgão natural. O estudo foi publicado na quinta-feira na edição on line da revista especializada Science.

“Nós mostramos que é possível usar a engenharia genética para criar um pulmão que pode desempenhar perfeitamente sua função mais importante: a troca de gases”, disse ao site do periódico científico Laura Niklason, uma das autoras do estudo. “Esse é um primeiro passo na regeneração de pulmões inteiros para animais maiores e, eventualmente, para humanos”, acrescentou.

Na pesquisa, a equipe da universidade retirou do pulmão de um rato as células que poderiam causar rejeição. Depois, na “casca” que sobrou, foram injetadas células-tronco específicas dos pulmões, levando o material para um biorreator, espécie de incubadora. “O que descobrimos, para nossa grande surpresa, foi que as células em geral ‘pousaram’ na sua localização anatômica correta. Achamos que isso significa que a matriz descelularizada tem uma espécie de CEP (que orienta as células-tronco)”, comparou a cientista.

Depois de pronto, o pulmão artificial foi implantado no rato e funcionou praticamente como um pulmão normal por até duas horas. Durante esse período, os cientistas chegaram a acreditar que o órgão criado com células-tronco funcionaria perfeitamente. Porém coágulos começaram a se formar, indicando o mau funcionamento do órgão. [E o rato certamente morreu. Mais uma vítima da vivissecção.]

Laura afirmou à Science que agora os cientistas têm um desafio que ainda deve tomar cerca de 20 a 25 anos de estudos até que a tecnologia seja aplicada com sucesso em seres humanos [Ou seja, décadas torturando mais e mais animais, implantando células-tronco em animais que morrerão com os pulmões “artificiais” imperfeitos, até que o pulmão perfeito apareça — e isso para cada espécie, ou seja, depois do pulmão perfeito para ratos, haverá experiências em cães, que morrerão até que seja alcançado o pulmão de cães, em seguida vai ser a vez de primatas.]. Para isso, os pesquisadores terão de provavelmente identificar células-tronco adultas que possam reconstituir o tecido pulmonar sem provocar a reação do sistema imunológico, maior problema que ameaça a recuperação de pacientes que passam por um transplante.

Atentemos também para o fato extremamente provável de que essa foi a primeira experiência a alcançar o limiar de sucesso depois de muitas tentativas-e-erro nas quais muitos ratos morreram com muito sofrimento por causa de implantações malsucedidas de células-tronco nos pulmões.

E a indústria da vivissecção vai seguindo, tratando animais como propriedade sua, torturando-os e matando-os para fins de “salvar vidas” — salvação estritamente humana, que acontece porque outras vidas, não-humanas, foram eliminadas de forma cruel.

ALF, socorro!!!!!

imagrs

Seja a primeira pessoa a comentar

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo