31

ago10

Propaganda militarista de um governo democrático

Encontrei o vídeo abaixo numa comunidade antimilitarista do Orkut:

Daí eu pergunto: que sentido faz homenagear guerras, eventos baseados na agressão de um dos lados e na matança? Que orgulho dá em se lembrar de um evento como esse, onde milhares de pessoas foram mortas de forma mais que violenta?

Lembremo-nos que exércitos só existem porque exércitos existem. Se um dos lados não investisse no militarismo, na agressão e opressão de outros povos pelas armas, o outro não precisaria investir em forças armadas defensivas.

Penso que a guerra defensiva é nada mais que um mal necessário. Não deveria ser motivo de orgulho relembrar derramamentos de sangue como a Batalha Naval do Riachuelo. E o pior, fala-se muito que a Guerra do Paraguai foi causada em parte pelo imperialismo brasileiro do século 19.

Além do mais, soa muito irônico um governo democrático homenagear uma instituição – o corpo militar – antidemocrática por excelência.

imagrs

2 comentário(s). Venha deixar o seu também.

Álvaro Diogo

agosto 31 2010 Responder

Ótima reflexão!

Pra quem duvida que um país possa viver sem exércitos segue o link do meu blog com o post intulado “A Força do País Sem Armas”: http://ideianossa.blogspot.com/2010/07/forca-de-um-pais-sem-armas.html

@alvarodiogo “Compartilhe suas ideias”
http://www.ideianossa.blogspot.com

rayssa gon

agosto 31 2010 Responder

exércitos só existem porque exércitos existem. [2]

eu vou pensar sobre essa frase porque gostei muito dela. :D

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo