09

set10

Ataque de leão em hotel euamericano expõe realidade dos animais prisioneiros de cativeiros

Leão surpreende e ataca tratador em hotel de Las Vegas

Um casal americano em lua-de-mel filmou um impressionante ataque de um leão a um tratador no dia 1º de setembro.

Titus e Drew Ellis passavam férias em Las Vegas, nos Estados Unidos, e filmavam os leões do hotel MGM Grand. O cinegrafista amador acabou filmando a agressão do felino.

O leão parecia estar relaxando quando, de repente, parte para cima de um dos tratadores.

Com algum esforço, além da ajuda do colega e da leoa, que tentaram dissuadir o leão da briga, o tratador conseguiu fugir.

Segundo o MGM, o homem foi levado a um hospital e liberado após ter recebido tratamento na perna.

O que a mídia omite ao mostrar esse tipo de notícia, de bichos atacando seus “tratadoræs”, apenas como algo “curioso” e “interessante” é a realidade de violação de direitos que marca a vida dos animais prisioneiros de zoológicos, aquários e cativeiros, tais como o leão que vive aprisionado no MGM Grand.

Esses animais deveriam estar vivendo no seu habitat natural – no caso do leão e da leoa aprisionados no cativeiro do hotel, a savana. Estarem num cativeiro de hotel é uma situação de prisão, que vem sendo tratada com o tradicional duplipensamento moral da sociedade – se fossem seres humanos em cárcere privado, a coisa seria caso de polícia e chocaria o mundo inteiro por ser uma abominável agressão aos direitos humanos; mas, como são “apenas animais”, seu aprisionamento é tolerado, visto como algo normal, e a mídia o ignora e enxerga apenas o ataque  ao tratador como um fato digno da atenção das pessoas.

E o pior é que tudo indica que esse casal de leões foi raptado de seu lar por caçadores e traficado para que @s euamerican@s que administram o MGM Grand pudessem trazê-los e acomodá-los como “nobres” objetos de decoração.

Hoje é necessário os grupos de defesa dos direitos animais fazerem estardalhaços para que a sociedade enfim perceba o quão antiético é manter animais silvestres presos a milhares de quilômetros de seu habitat natural, já que a mídia não denuncia isso. Só essas organizações têm consciência bastante para mostrar à população que tratar animais como mercadorias e objetos de decoração, tal como o MGM faz, não é algo eticamente prezável.

É questão de dias, ou mesmo de horas, para que os grupos euamericanos defensores dos animais comecem a protestar exigindo a libertação do casal de leões.

imagrs

Seja a primeira pessoa a comentar

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo