22

set10

Deixar o carro em casa um só dia ou fazer algo melhor e mais decisivo pelo planeta?

É a pergunta que um inteligente texto, do blog Pausa prum Café, nos faz sobre o dia de hoje, o Dia Mundial Sem Carro. (Texto com poucas correções)

Você vai deixar seu carro em casa?
por “The Headshaker”

O próximo dia 22 de Setembro será o tal Dia Mundial Sem Carro.

O objetivo, entre outros, é conscientizar as pessoas sobre a poluição, meios alternativos, meio-ambiente, a vida no planeta e blá, blá, blá…

O real problema de nosso mundo é que nos tornamos a “sociedade do atalho”. Sempre que nos deparamos com algum problema sério, real, tomamos a iniciativa mais fácil, preguiçosa e rápida, que invariavelmente se mostra inócua e burra.

Quer fazer algo DE VERDADE pelo ar que respiramos, pelo planeta, pela vida?

Então antes de começar a enviar mensagens a todos sobre deixar o carro em casa saiba que uma matéria do Le Monde mostra que, na escala mundial, a criação de gado é responsável por 65% das emissões de hemióxido de nitrogênio (azoto, essencialmente imputável ao esterco), enquanto o gado engendra 37% das emissões de metano.

É preciso 4 kg de cereais para produzir 1 kg de frango, e 6 kg de grãos para 1 kg de porco. Este último necessita, além disso, de 4.600 litros de água. Esta quantidade aumenta para 13.500 litros para 1 kg de boi, enquanto apenas 1.000 litros de água são necessários para produzir 1 kg de trigo.

As produções de origem animal – carne, ovos, laticínios – são extremamente poluentes. Os bilhões de toneladas de excreções que delas se originam engendram resíduos nitrogenados nos solos e nos rios. Além disso, a pecuária, por si só, representa 18% das emissões mundiais de gases de efeito-estufa.

Ou seja, uma contribuição para o aquecimento climático que é mais elevada do que aquela dos transportes.

Um outro ponto negativo desta produção é constituído pelo seu próprio consumo. Os pastos ocupam 30% das superfícies emersas, enquanto mais de 40% dos cereais que são colhidos servem para alimentar não diretamente os seres humanos, e sim o gado. Uma vez que as áreas disponíveis são insuficientes para atender à demanda, a criação de gado pode provocar o desmatamento de florestas. Além disso, a pecuária é grande consumidora de matéria-prima e de água…

Resumindo, a produção animal vem sendo objeto de muitos questionamentos. Tanto mais que a Terra, daqui até 2050, terá 9 bilhões de bocas para alimentar.

Você quer MESMO fazer algo pela vida, pelo planeta, pelo meio-ambiente?… Neste próximo dia 22 vá de bike até o resturante vegetariano mais próximo.

FATOS

• No relatório A longa sombra da pecuária a ONU conclui que a indústria da carne gera aproximadamente 40% mais gases de efeito estufa do que todos os carros, caminhões, veículos utilitários, navios e aviões combinados do mundo. O relatório afirma que a devastação causada pela indústria da carne é “um dos dois ou três mais significativos fatores que contribuem para os mais graves problemas ambientais, em qualquer escala do local ao global”.

• Pesquisadores da Universidade de Chicago determinaram que mudar para uma dieta vegana (que não inclui carnes, nem ovos e nem laticínios) é cerca de 50% mais eficaz em contrapor mudanças climáticas do que trocar um carro americano por um Prius. E de acordo com o Live Earth Global Warming Survival Handbook, “não comer carne” é “a coisa mais simples e eficaz que se pode fazer para reduzir a pegada de carbono”.

imagrs

2 comentário(s). Venha deixar o seu também.

Bárbara de Almeida

maio 31 2011 Responder

Venho apenas comentar que o termo creófilo é ótimo, hahaha.

Samory Pereira Santos

setembro 22 2010 Responder

Eu sou um cara motorizado, que roda mais de 240 quilômetros por semana com um pequeno veículo. Mas também sou vegano. Quando fui colocar no papel, constatei que ao que interessa aos impactos ambientais atmosféricos, sou responsável por menos que um creófilo urbano que somente utiliza de suas pernas. Curioso, não?

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo