11

out10

[Pernambuco] Zoológico barganhando animais para exposição no Mês das Crianças

Zoológico do Recife é opção de diversão no Dia das Crianças

Dica para quem está planejando passeios para fazer com os filhos, na tarde desta segunda (11) e nesta terça-feira (12). O Parque Dois Irmãos, no Recife, está cheio de novidades que prometem divertir a garotada.

Os tigres siberianos (foto 1) vieram de uma troca feita com um zoológico de São Paulo. Eles pesam, em média, 200 quilos e já estão entre as principais atrações do parque.

Os quatro cisnes negros (foto 2) e os seis pavões (foto 3) foram doados e vieram de uma fazenda em Sairé, no agreste, a 141 quilômetros do Recife. Os cisnes, de origem australiana, chamam atenção pela beleza.

Os pavões também despertam muito interesse, sobretudo os machos, por causa da cauda colorida, que eles exibem para conquistar as fêmeas. A criançada gostou das novidades. “Eu acho bonito as penas coloridas”, disse Laís Barbosa, de 7 anos.

Os adultos também se divertem e entendem a importância desse [falso] contato com a natureza. “Eu acho que a gente deve preservar com carinho, porque eles mostram amor [não correspondido] pelo ser humano[, que lhes retribui com exploração e aprisionamento e ganha dinheiro com seu sofrimento]”, falou a funcionária pública Gevânia Lima.

Os veterinários alertam para os riscos de alimentar os bichos. “Esse hábito de dar comida tem que terminar para não prejudicar a saúde do animal, que pode ter diarréia e outros problemas”, explicou a veterinária Luciana Rameh.

Até esta terça, fora os 590 animais em exposição, o zoológico está com programação especial para as crianças. “Nós temos parque de diversão gratuito, personagens de desenhos animados, palhaços, pinturas e maquiagem infantil. Amanhã, pela manhã, teremos duas peças teatrais”, disse a gerente do Parque Silvana Silva.

O horário de funcionamento do Parque de Dois Irmãos é das 8h às 16h. O ingresso custa R$ 2. Crianças com menos de um metro de altura não pagam.

Nos zoológicos os animais são expostos como se fossem objetos de museu, tão exóticos e admiráveis em aparência quanto. E, para o lamento de quem defende os direitos animais, o público que mais se deleita em ver os animais aprisionados e exibidos são as crianças.

Estas, por sua vez, são acostumadas a crer que lugar de animais exóticos é no zoológico, atrás das grades ou das cercas de proteção e limite “territorial”, e não em seu habitat natural, em sua terra-mãe. Da mesma forma que as fazendinhas de shopping lhes incutem a ideia de que lugar de bois, cavalos, porcos, galinhas etc. é na propriedade rural e os peixes foram “feitos” para serem confinados em gaiolas.

E, como se viu acima, há a questão da barganha, do escambo de animais. Trocam-se animais – creio que se trocam os envelhecidos e necessitados de sossego por filhotes cujas vidas servirão para arrecadar dinheiro para o zoológico – para deixar a coisa mais interessante para a meninada e o zoológico faturar mais.

Os zoológicos são uma das grandes demonstrações de que a exploração animal, com sua mercantilização, confinamento e coisificação, dá certo por render dinheiro e interessar pessoas.

Se você tem respeito legítimo aos animais e seus direitos, NÃO leve seus filh@s para os zoológicos. Evite acostumá-l@s a tratar a exploração de animais como algo natural, normal e aceitável. Sugiro que prefira, ao invés, levá-l@s a trilhas ecológicas – o próprio bairro de Dois Irmãos tem, adjacente ao zoológico, sua reserva florestal com diversas trilhas. Lá conhecerão animais em liberdade quase absoluta – quase, no caso dos animais não voadores, porque não há corredores ecológicos que lhes permitam migrar para outros cantinhos de mata atlântica, bioma tão estraçalhado ao longo da história brasileira.

imagrs

Seja a primeira pessoa a comentar

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo