09

dez10

Preço da carne subindo: eu comemoro

Preço da carne bovina cresce 11%

De acordo com o Dieese em Aracaju, o preço da carne atingiu R$ 12,83 com uma alta de 3,98% em novembro

O consumidor que não abre mão de um bom churrasco será surpreendido com o valor do preço da carne. De acordo com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), as carnes tiveram alta de 10,79%. O preço da carne bovina teve aumento de 11,01%, a suína foi de 6,26%. Segundo a Dieese a carne bovina já acumula alta de 26,12% em quatro meses.

Na capital sergipana, a informação é que o preço da carne atingiu R$ 12,83 com uma alta de 3,98% em novembro. Para o empresário Júlio César Cardoso, proprietário de uma empresa de alimentos, em relação ao ano passado o aumento das carnes é de até 40%. Segundo Júlio César as carnes como filé mignon e picanha que antes poderiam ser compradas no frigorífico pelo valor de R$ 17, hoje não saí por menos de R$ 31.

“Até o final de ano, não acredito que sofrerá mais aumento, o preço deve se manter, mas o preço está elevado. Em relação ao ano passado o consumidor vai pagar 35% a 40% mais caro”, diz.

Eu comemoro todas as vezes em que os preços das carnes sobem. Como veg(etari)ano que respeita os animais não humanos, acho ótimo que o consumo de animais se torne cada vez mais proibitivo economicamente.

No entanto, não vejo a inflação como tão decisiva assim para o avanço do vegetarianismo na sociedade, uma vez que o que acontece nessas ocasiões é mais a substituição por carnes mais baratas do que a supressão do consumo de animais.

E reconheço que, melhor que notícias do aumento dos preços de carnes, muito melhor seria vermos notícias dizendo que o consumo de carne (qualquer uma) caiu. E mil vezes melhor seria se o crescimento do vegetarianismo fosse apontado como uma das razões para a boa notícia.

imagrs

Seja a primeira pessoa a comentar

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo