14

jan11

Tortura em nome da ciência (Parte 16)

Cientistas desenvolvem técnica que protege fígado em casos de câncer de cólon

Uma equipe de cientistas espanhóis desenvolveu uma técnica de tratamento genético que, com a combinação de imunoterapia e quimioterapia, ajuda a proteger o fígado de pacientes com câncer de cólon –é comum que a doença se expanda para esse órgão.

Por enquanto, os resultados foram obtidos apenas em testes com animais, informaram os responsáveis pela pesquisa, Jesús Prieto e Rubén Hernández, da Universidade de Navarra, no norte da Espanha.

O câncer de cólon apresenta uma tendência de se expandir para o fígado, de modo que mais da metade dos pacientes apresenta metástases hepáticas, o que limita as opções de cura, afirmam os pesquisadores.

Nos estágios iniciais, as metástases podem ser eliminadas por cirurgia, mas na maioria dos pacientes isso não é possível –ou as metástases reaparecem depois de um tempo–, por isso que a quimioterapia muitas vezes é a única alternativa, embora sua eficácia a longo prazo seja limitada.

“Este tratamento combinado elimina metástases pré-existentes e protege o fígado contra possíveis recidivas”, disseram a dupla de pesquisadores.

“Os resultados obtidos em modelos animais confirmam que é uma modalidade terapêutica sumamente promissora”, acrescentaram.

Ou seja, mais animais torturados com um câncer enfiado em seus corpos. Mais sofrimento, mais mortes – se não morreram com metástase hepática, morreram por outro motivo, incluindo o assassinato, eufemizado como “sacrifício”.

Sinceramente ronda a vontade de torcer pelo fracasso de pesquisas como a acima, de modo que o modelo animal seja definitivamente abandonado num futuro próximo e pare de maltratar e ceifar vidas não humanas e humanas, mas não chego a esse ponto.

Pergunto novamente: é essa ciência que queremos para nós, uma ciência que tem a tortura e o assassinato como instrumentos de trabalho?

imagrs

3 comentário(s). Venha deixar o seu também.

Ivo S. G. Reis

janeiro 15 2011 Responder

Caro amigo:

Voltamos uma vez mais a nos encontrar pelos caminhos cibernéticos. Não costumo muito passar por aqui, já que perco muito tempo administrando a Rede DDD (hoje com 14 sites). Mesmo assim, sempre que me deparo com uma notícia sua eu pelo menos leio (embora nem sempre comente, por falta de tempo). Parabéns por mais esta.

Coloquei hoje um interessante vídeo de minha autoria aqui no Facebook. Se tiver tempo, assista-o! (s~çao só 6 minutos). O vídeo é chocante e curioso e servirá para ilustrar um artigo meu lá no Irreligiosos.

Abs!

    Robson Fernando

    janeiro 15 2011 Responder

    Grande Ivo… Tô devendo umas visitas ao DDD, viu?

    E, já que você apareceu por aqui, me lembrou bem de trazer meu artigo mais recente pra lá.

    Sobre o vídeo, vou ver logo-logo. Você tem a mim (Robson Fernando) lá no Facebook?

    Abração

ruth iara

janeiro 14 2011 Responder

Concordo plenamente contigo, Robson. Infelizmente, não sei até que ponto, ao divulgarmos muito estas experiências, possamos ampliar seu campo para cientistas sem escrúpulos. Fazes bem em divulgar, mas vou ser discreta a respeito. Posso esclarecer as pessoas e fornecer idéias macabras ao mesmo tempo se opto por divulgar tal sorte de maldades.

Pergunto mais uma vez aqui se a humanidade deseja realmente viver muito. Como acredito na reencarnação acho que vou ganhar mais cedo ou tarde um corpo novo de bebê como ferramenta, mas se não acreditasse nisso não gostaria de ficar no mundo para semente quem sabe até tirando a oportunidade de outras pessoas de terem todas as coisas que já tive e ainda hei de ter por acréscimo. Dez anos gastei fumando e se tivesse um efizema nem um animal mereceria pagar pelo meu erro.

Pode me contestar se estou errada.

Um abraço.

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo