20

fev11

Geraldo Alckmin afirma que idosos descrentes são infelizes e revolta ateus

Na semana passada, o governador de São Paulo Geraldo Alckmin, o mesmo que representa o que há de mais direitista e conservador na política brasileira, veio da organização católica reacionária Opus Dei e vetou o Código de Proteção Animal de seu estado em favor dos rodeios, deu uma declaração bastante desrespeitosa ao dar conselhos sobre como evitar depressão e estresse.

Segundo o Jornal da Tarde,

Os conselhos de Alckmin para uma vida saudável foram inspirados no livro Curar – o stress, a ansiedade e a depressão sem medicamento nem psicanálise, do neurologista e pesquisador francês David Servan-Schreiber, um dos seguidores da “medicina das emoções”. Resultado de cinco anos de estudos científicos, o livro aponta sete atitudes para manter a saúde sem recorrer a tratamentos e remédios.

A comparação entre as listas do neurologista francês e do governador paulista, porém, revela uma diferença: Alckmin acrescentou religião ao grupo. “Para quem não acredita em nada, a velhice é muito triste”, disse. “Quem crê, consegue ter mais saúde”, completa.

E o pior de tudo foi que a declaração “foi dada no lançamento do programa SP Educação com Saúde, que prevê atendimento médico preventivo para professores, secretários e agentes de serviço das escolas estaduais”, o que caracteriza um discurso público que viola a laicidade do Estado, já que Alckmin falou isso na condição de governador, chefe de Estado e de governo do estado de São Paulo. Com o agravante de que, segundo um dos comentários à notícia, “apesar de falar como governador, sua formação como médico faz com que as suas palavras tenham a autoridade de um profissional de medicina e cabe questionar se é eticamente correto para um médico prescrever como tratamento algo sem comprovação científica.”

E, aliás, foram os comentários da versão online da notícia que demonstraram a reação revoltada dos ateus contra mais um ato de preconceito contra quem não crê em deuses. Vale ressaltar que divers@s foram incitad@s a reagir graças à denúncia de Daniel Sottomaior da ATEA, que escancarou a atitude de Alckmin no grupo-newsletter Dignidade sem Divindade.

Entre os 28 comentários, cuja grande maioria é de ateus indignad@s, destaco estes:

O governador em questão deveria pensar um pouco mais antes de falar absurdos em relação aqueles que não acreditam em divindades, como os ateus. Pergunto a ele: Baseado em quais evidências ele afirma que quem não tem fé tem uma velhice triste? Aonde está a pesquisa? Os dados? Se for apenas para especular, posso especular igualmente que aqueles que tem fé num ser divino do qual não tem qualquer prova tem não só uma velhice triste, mas sim uma vida toda extremamente triste, por viverem acreditando em um ser inexistente.
Acredito que um homem que representa um estado deve saber medir suas palavras e em seus discursos usar apresentar apenas dados concretos, não especulações grosseiras. (Fernando Favero)

***

Embora não me surpreenda – já que sei que Alkmin faz parte da opus dei, uma ordem religiosa das mais conservadoras e retrógradas, ela é extremamente infeliz por ser ele um representante de um Estado laico.
É muito triste que ele se sinta no direito de falar esse tipo de bobagem, mas o mais triste é que não se veja nenhuma represália contra esse tipo de atitude vergonhosa. Como ateu me sinto extremamente desrespeitado por esse tipo de comentário. Além de, como já se disse aqui, não estar sustentada em fatos, pesquisa, etc, a mensagem ajuda a disseminar e firmar ainda mais o preconceito contra os ateus. Deveria ser processado por danos morais o tucano. E deveria observar a sua volta quantos homens ilustres, nas artes, nas ciências e que prestaram grandes serviços à humanidade foram ateus convictos e muito felizes. Quem precisa de crença à beira da morte são exatamente aqueles que tiveram uma vida infeliz e querem compensar numa vida após-a-morte. Fora isso, a realidade da morte é dura para todos, crentes e descrentes. E apesar doque dizem acreditar, não vejo muitos crentes felizes com a perspectiva de se encontrarem com seu criador. Será que é porque ninguém voltou de lá para dizer como é bom? (João Teixeira)

***

Se por “não acreditar em nada” o governador quer dizer ser ateu, não crer em divindades e ou fenômenos sobrenaturais, ele foi preconceituoso, pois fala sem conhecimento de causa, baseado exclusivamente em seus valores pessoais que ele não consegue deixar de misturar com a sua vida política. Ateus não crêem em vida após a morte, por isso cada etapa de suas vidas possui valor em si mesmas, não é preciso atribuir um sentido para a vida fora da vida. (Luciana)

***

A manifestação preconceituosa do governador Geraldo Alkimen [sic], de que “para quem não acredita em nada a velhice é muito triste”, leva-o a ser digno, com toda a sua “espiritualidade”, de refletir sobre o fato de que dar mais motivos para as pessoas lúcidas não crerem nos políticos em geral e nele, Geraldo Alkmin, em particular, traz realmente mais tristeza não só para os idosos, mas para todos os adultos e jovens do país, pela constatação da estultícia do conteúdo filosófico dos que têm conseguido nossos votos. Viraremos esse “jogo”, santo e desestressado governador!

Enio, ateu por dignidade e cidadão brasileiro que exige respeito.

***

Fico decepcionado que o governador Geraldo Alckmin venha usar de suas funções como figura pública e representante do Estado para declarar suas idéias preconceituosas e infantis a respeito dos ateus ao dizer que nós temos uma velhice infeliz, informação que não faço idéia de onde ele possa ter tirado, a não ser da própria ignorância. Ele deveria guardar para si seus preconceitos, principalmente, quando no exercício da sua atividade como governador. Com certeza ele não diria jamais as mesmas palavras contra um grupo religioso específico. O governador deve um pedido público de desculpas aos ateus. (Raphael Gomes)

***

Sou ateia, velha e muito feliz. Sou muito bem sucedida profissionalmente e tenho uma família muito legal. Além disso sou muito lúcida a ponto de não votar em proconceituosos como o Sr. Alckmin. Se depender de mim ele nunca terá cargo público, pois tenho muito medo de fanáticos religiosos. (Vera Menezes)

***

Quer dizer então que se eu ficar velho e continuar ATEU não vou ser uma pessoa boa e vou morrer de stress???

Religião não forma caráter, e não livra do stress.

PROTESTO CONTRA Geraldo Alckmin (PSDB), EU NÃO PRECISO SAIR NA RUA GRITANDO OU PROCURAR A IMPRENSA PARA “ARREBATAR” FIÉIS …..

Não fazemos nada de mal …. chega de preconceito.

Júlio S. Peppe.
Programador – ATEU

***

A fala do governador coloca a responsabilidade pela depressão e estresse nos professores, ignorando o ambiente de trabalho hostil e a co-responsabilidade de alunos, pais e do próprio governo na criação deste ambiente. Além disso, apesar de falar como governador, sua formação como médico faz com que as suas palavras tenham a autoridade de um profissional de medicina e cabe questionar se é eticamente correto para um médico prescrever como tratamento algo sem comprovação científica. Segundo o governador, o ateu Oscar Niemeyer seria um idoso muito triste. Como pode o governador saber como os ateus se sentem na velhice? Além disso, não é correto que um representante de um Estado laico adote uma posição religiosa específica e oriente outros servidores públicos a adotarem a mesma posição. A crença religiosa é assunto de foro particular. Ateísmo não é doença e o governador deveria tratar os ateus com o mesmo respeito com que trata os religiosos. (Noriberto A. Pradie)

Declarações do tipo, somando-se às de José Luiz Datena, Frei Betto, José Serra, Pe. Robson Pereira e Claudio Lembo, vão solidificando na mentalidade da população religiosa brasileira que nós ateus somos infelizes, amorais, tendentes à criminalidade, marginais perante a “retidão moral” supostamente proporcionada pelas religiões. Os ateus precisam agir contra esses ataques de preconceito e intolerância que nos desmoralizam e nos tolhem a dignidade perante o restante d@s brasileir@s. E com mais força quando @ ofensor/a é titular ou pretendente de mandatos ou cargos políticos ou formador/a de opinião.

Se você também é ateu, faça parte também da massa indignada pela declaração preconceituosa de Alckmin e envie comentários na página da notícia demonstrando que não gostou da afirmação pseudocientífica dele em relação à Terceira Idade dos ateus.

imagrs

12 comentário(s). Venha deixar o seu também.

J

agosto 13 2012 Responder

Sou ateísta e sou infeliz por causa do meu ateísmo, mas sei que nem todo ateu é como eu. Pelo menos esse bom senso eu tenho, e seria ótimo se os carolas também se tocassem disso.

Pr Deo

março 15 2011 Responder

A saúde é a consequencia daquilo que nós praticamos seja na infância até a idade mais avançada, ou ainda uma herança genética. Mas quando analisamos com um nutricionista o que comemos (na maioria das vezes o que não é saudável) podemos chegar a conclusão que aqui reside muitas das enfermidades, isso aliado ao extresse e ao sedentarismo vira uma bomba relógio. Mas crer que Deus tem poder para curar, segundo a vontade dele é fundamental e ajuda muito. Saúde e paz para todos.

    Robson Fernando de Souza

    março 15 2011 Responder

    Mas crer que Deus tem poder para curar, segundo a vontade dele é fundamental e ajuda muito.

    Realmente, efeito placebo ajuda bastante a pessoa a se livrar das dores de uma doença.

carmem lopes

fevereiro 23 2011 Responder

Acho que o Governador não foi preconceituoso com ninguem, falou somente de sua experiência como médico e como tal já deve ter vivido a experiência da fé, então não devemos julgar, pq fé é de cada um. Acho que ele não se dirigiu aos Ateus.

    Robson Fernando

    fevereiro 23 2011 Responder

    Carmem, ele foi preconceituoso sim, além de pseudocientífico. Ele afirma, de forma quase explícita, que quem não tem fé (leia-se religião) tem uma velhice triste e quem tem uma crença religiosa tem mais saúde do que quem não tem, e não mostra comprovação científica nenhuma de sua afirmação. Ou seja, pra ele, Paulo Autran, Oscar Niemeyer, Jorge Amado, Dercy Gonçalves, Ian McKellen (Gandalf), James Randi, Richard Dawkins, José Saramago, Lima Duarte etc., ateus ou agnósticos, são/eram todos idosos muito tristes.

      Carmem Lopess

      fevereiro 24 2011 Responder

      A fé independente de religiões :) pelo que me consta já foi comprovado cientificamente que quem acredita na cura de uma enfermidade tem mais chance de se curar do que aquele que entra em depressão e não acredita na cura, é a Fé. Não se trata de religião. Podemos dizer que até o ateu tem fé, já que ele crê na inexistência divina. A fé é o firme fundamento daquilo que vc não vê.

      Vivemos num País laico, mais ainda predominantemente cristão, por exemplo se eu falar que DEUS faz a diferença na minha vida, vou estar agredindo alguem que não crê ? acho que não. Convivo com pessoas de varias denominações religiosas e até com ateus e agnósticos, respeito a escolha de cada um..mais não posso deixar de falar de coisas que me fazem bem, cada um à sua maneira esta buscando uma forma de ser feliz, se vc é feliz ateu, quem sou eu para dizer que não.

        Robson Fernando

        fevereiro 24 2011 Responder

        A fé independente de religiões :) pelo que me consta já foi comprovado cientificamente que quem acredita na cura de uma enfermidade tem mais chance de se curar do que aquele que entra em depressão e não acredita na cura, é a Fé.

        Você poderia me apresentar essa comprovação?
        E não teria a ver com a crença de estar curado, o chamado “efeito placebo”?

        Não se trata de religião. Podemos dizer que até o ateu tem fé, já que ele crê na inexistência divina. A fé é o firme fundamento daquilo que vc não vê.

        Não é fé, é razão. É descrença pela ausência de provas e pelas incoerências lógicas dos mitos e dogmas teístas.

        Vivemos num País laico, mais ainda predominantemente cristão, por exemplo se eu falar que DEUS faz a diferença na minha vida, vou estar agredindo alguem que não crê ? acho que não.

        Não agride (mas estará incomodando muito caso o faça como pregação, e com insistência, a alguém de descrença convicta). O que agride é dizer que quem não crê em deuses tem uma saúde pior do que a de quem crê, ou que ateus são pessoas que não conhecem limites morais e tendem à criminalidade por sua descrença, ou que o ateísmo faz mal pra sociedade.

          carmem lopes

          fevereiro 25 2011

          Eu teria aqui vários argumentos que poderia debater suas palavras, caro amigo Robson, mais não quero entrar em uma discussão com uma pessoa com experiências e modos de vida tão diferentes do que acredito, quero te dizer que entendo você e sua opinião, porque um dia já fui como você. Por isso hoje eu não julgo ninguém. Existem pessoas más e boas em todos os seguimentos seja eles religiosos ou não, o importante é o respeito pela opinião de cada um, por saber que cada ser humano trás consigo uma carga de experiências tão diferentes e antagônicas, eu passei por experiências que vc não passou, vc nunca me entenderá até passar, se passar, e se não passar, não vou te condenar. Eu ia te dizer fica com DEUS meu irmão, mais posso te ofender e isso não quero, não sei o que te dizer, o que dizer? sendo assim desejo à vc muita sáude e muito amor. abraçosssss

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo