08

fev11

Rei e Rainha do Carnaval do Recife: amostra de brancocentrismo

As fotos da seleção do Rei e Rainha do Carnaval 2011 do Recife não deixam o movimento negro mentir: nossa sociedade é brancocêntrica, se não literalmente racista. E não precisa xingar negr@s na rua para comprovar isso.

Repare que os negros e as negras são os “pontos estranhos” no meio de um farto conjunto de brancos e brancas. São exceções raras. Nada surpreendente quando lembramos que o padrão de beleza vigente no Brasil é branco, sendo a negritude esteticamente considerada um desvio.

Algo muito e muito parecido é visto na mídia – televisão e propagandas em geral. @s negr@s são escassas exceções, os atores e atrizes negr@s de destaque podem ser contad@s nas mãos quando post@s no hall de celebridades brasileiras.

Pense bem: quem são os atores e atrizes negr@s que você se lembra ter se destacado na Globo? Eu pessoalmente lembro de Taís Araújo (que deslanchou à fama no papel da escrava Xica da Silva), Lázaro Ramos, Ronnie Marruda (que já fez papel de bandido uns anos atrás), Milton Gonçalves e o falecido Norton Nascimento. E só.

E atores e atrizes branc@s de destaque? Na minha memória, há dezenas e dezenas de nomes que eu posso pôr aqui! Desde @s históric@s (como o veterano casal Tarcísio Meira e Glória Menezes) até @s mais recentes (Thaila Ayala, Monique Alfradique, Cauã Reymond etc.)

Enfim, o resultado parcial do concurso de Rei e Rainha do Carnaval recifense é um espelho do racismo que existe na nossa sociedade. Não (necessariamente) aquele racismo de xingar a pessoa por causa de sua cor, mas o brancocentrismo.

@s
imagrs

Seja a primeira pessoa a comentar

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo