09

mar11

Para quem diz que brancos não têm privilégios sobre negros

Achei no blog Escreva Lola Escreva uma lista interessante de fatos que são um tapa-na-cara de quem nega que exista racismo e desigualdade de tratamento entre branc@s e negr@s no Brasil. Mostre para aquelæ colega que acreditou no livro de Ali Kamel essa lista. São algumas características que dizem tudo – embora, segundo a própria Lola, seja uma lista incompleta – sobre as desigualdades de tratamento entre as raças no Brasil (considerando-se “negr@s” tod@s aquelæs que no IBGE estão categorizad@s como pret@s e pard@s, incluindo-se @s mestiç@s):

– Ninguém mudar de calçada ao me ver.
– É não me confundirem com o garçom/atendente/serviçal.
– É ter muito menos chance de ir pra cadeia.
– A primeira coisa que as pessoas reparam em mim não é a minha cor.
– Se um vizinho me vir pulando o muro da minha casa, porque esqueci a minha chave, ele provavelmente irá me ajudar, e não chamar a polícia.
– É poder usar o elevador que quiser sem que ninguém me olhe feio.
– Quando eu entro num supermercado ou numa loja, os seguranças não ficam de olho em mim.
– Se eu faço alguma coisa errada, as pessoas vão julgar que esse foi um erro individual, não um erro do meu grupo.
– A polícia não vai me parar a toda hora por eu ser um suspeito em potencial.
– É receber um salário mais alto que meu colega negro, ainda que desempenhando a mesma função.
– Meu cabelo é considerado sempre bom, mesmo quando eu estou num “bad hair day”.
– Posso dirigir um carrão que ninguém vai achar que eu o roubei.
– Numa faculdade, as pessoas vão achar que estou lá porque estudei muito e mereci entrar, não porque uma lei me beneficiou.
– As pessoas não me descrevem apenas pela minha cor.
– Não tenho que fazer cirurgia plástica no meu nariz pra ele ser considerado adequado.
– Vou viver mais: minha expectativa de vida é maior que a de um negro.
– As pessoas que aparecem na TV e nos filmes são da minha cor.
– O padrão de beleza começa por ser branco (pelo menos essa vantagem eu já tenho).
– Quando eu era criança e brincava de boneca, as bonecas eram da minha cor.
– Cresci ouvindo que tudo que é branco é bom, e tudo que é preto é ruim. Isso afeta a minha autoestima.
– Raramente a família de alguém vai se opor a me ter como genro ou nora.
– Tenho muito mais chance de ingressar numa faculdade por ser branco (sim, apesar das cotas. É só ver as estatísticas. Por que as cotas foram criadas? Não pra atazanar a minha vida, mas porque há tão poucos negros nas universidades).
– Meus antepassados não foram escravizados (no caso dos negros) ou varridos da face da Terra (no caso dos índios).
– Tenho muito mais chance de me tornar um professor universitário.
– Pra eu ser preso, terei que cometer um crime hediondo.
– A maquiagem produzida pela indústria é feita pra pessoas da minha cor.
– Não associam a minha religião à macumba (esse é tema de outro privilégio, o religioso).
– Muitos defeitos meus são perdoados por causa da minha cor.
– Eu não pareço ameaçador para outras pessoas.– Posso parar uma pessoa na rua para pedir informações sem que ela ache que vou assaltá-la.
– As pessoas que me avaliam geralmente são da minha cor.
– Numa entrevista de emprego, o entrevistador quase sempre é branco.
– Numa banca de defesa de monografia/mestrado/doutorado, os membros são quase todos da minha cor.
– Nunca parei para pensar como pessoas da minha cor oprimiram pessoas de outras cores ao longo da história.
– Ninguém se nega a sentar do meu lado no ônibus.
– Na hora de alugar um apartamento, o dono do apê é branquinho como eu.
– Quando vejo comerciais ou programas sobre a minha cidade, todo mundo é da minha cor.
– As pessoas nunca associam a minha cor ao meu cheiro.
– Todos os heróis da minha pátria são brancos.
– Os escritores que fazem parte da grade curricular da minha escola/faculdade são quase todos brancos.
– Eu não sou responsável pelo que meus antepassados brancos fizeram contra os negros, mas os negros de hoje são responsáveis pelo que seus antepassados negros fizeram contra sua própria raça. [Nota do Arauto: interpreto eu, é uma alusão às acusações vindas de quem nega o racismo.]
– É ver meus gostos pintados como universais e naturais.
– É não ser compararado com macaco.
– Serei ouvido se quiser reclamar de alguma coisa.
– Quando me junto com outras pessoas da minha cor, raramente somos considerados uma gangue.
– Na adolescência, não fui chutado e espancado por policiais.
– Eu posso ser preguiçoso e não gostar de trabalhar sem que associem isso a minha cor.
– Se eu tiver uma arma, vai ser pra autodefesa, não pra matar alguém.
– Quase todos os ministros, juízes, e congressistas que me representam são brancos.
– O meu Deus me fez a sua imagem e semelhança. Até o filho Dele é da minha cor.
– Eu posso pintar a minha casa de amarelo brilhante sem que meus vizinhos critiquem a minha escolha, dizendo ser “coisa de branco”.
– Todos os presidentes do meu país (o cargo mais alto a que alguém pode aspirar) foram da minha cor.
– Eu não preciso me superar pra me destacar no trabalho ou nos estudos.
– Quando cometo um erro, ninguém acha que o cometi por ser branco.
– As piadas que ouço não giram em torno da minha cor.
– É poder acreditar que todas as minhas conquistas são baseadas no meu mérito, e não no meu privilégio racial.

imagrs

1 comentário(s). Venha deixar o seu também.

rayssa gon

março 9 2011 Responder

eu concordo completamente com a lista.

muitas pessoas simplesmente não enxergam isso e criticam ações afirmativas como as cotas. ou mesmo o dia da consciencia negra.

acontece o mesmo com o dia da mulher. dizem q isso é sexismo. e q o dia da consciencia é racismo.

:S

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo