25

maio11

Dilma Rousserra cede à pressão religiosa-homofóbica e suspende kit educativo anti-homofobia

Dilma suspende ‘kit gay’ após protesto da bancada evangélica

A presidente Dilma Rousseff determinou nesta quarta-feira a suspensão da produção e distribuição do kit anti-homofobia em planejamento no Ministério da Educação, e definiu que todo material do governo que se refira a “costumes” passe por uma consulta aos setores interessados da sociedade antes de serem publicados ou divulgados.

Segundo o ministro Gilberto Carvalho (Secretaria Geral), Dilma considerou o material do MEC “inadequado” e o vídeo “impróprio para seu objetivo”.

A manifestação ocorreu na esteira de uma reunião de Carvalho com a bancada evangélica da Câmara. O grupo de parlamentares chegou a ameaçar o governo com obstrução da pauta no Congresso, colaborar com assinaturas para convocar o ministro Antonio Palocci (Casa Civil) a se explicar sobre sua evolução patrimonial e propor uma CPI para investigar o MEC.

Ontem, no plenário, o deputado Anthony Garotinho (PR-RJ) chegou a pedir a demissão do ministro da Educação, Fernando Haddad. Na semana passada, o mesmo Garotinho, que é vice-presidente da Frente Parlamentar Evangélica, afirmou que a bancada evangélica, composta por 74 deputados, não votaria “nada”, nenhum projeto na Câmara, até que o governo recolhesse os vídeos anti-homofobia.

Mesmo depois das declarações do Planalto, Gilberto Carvalho afirmou que não há “toma lá, dá cá” entre o governo e a bancada evangélica na questão do kit e da convocação de Palocci.

O MEC nega que o kit e os vídeos que vazaram na internet tenham sido aprovados pelo ministério. Eles teriam sido produzidos por ONGs que prestam serviços à pasta e estariam em avaliação.

Os deputados da bancada evangélica afirmam que os vídeos e a cartilha anti-homofobia “são um estímulo ao homossexualismo [sic].

“Mostramos ao ministro Gilberto Carvalho que é virulenta a maneira como o material está sendo aplicado”, disse o ex-governador do Rio.

Para quem reclamava de José Serra, que ameaçou na campanha eleitoral vetar o PL 122/06 (que criminalizará preconceitos e discriminações em função de orientação sexual, gênero, necessidades especiais e geração) se fosse eleito, essa foi uma decepção enorme.

Cedendo à bancada do ódio cristão anti-LGBT, queimando a bandeira dos Direitos Humanos e vetando um importante instrumento de conscientização escolar contra o preconceito e a discriminação contra LGBTs, Dilma se queima perante os tantos movimentos sociais que haviam devotado esperança nela por ela ter representado a contraparte da ameaça reacionária trazida por Serra.

Disse um membro da comunidade Conservadores são um atraso sobre o kit educativo: “O kit não tinha o objetivo de ensinar a ser gay, e sim de demonstrar que a homossexualidade não é defeito nem doença e que agredir essas pessoas é crime. Não entender isso é burrice ou má fé. E o nome do projeto não é kit gay, e sim kit anti-homofobia.”

Dilma esqueceu isso e usou a desculpa do “costume”, a mesma que funcionaria nos 350 anos de escravidão humana brasileira para manter a exploração dos negros em contraponto aos abolicionistas, para claramente aplacar a chantagem e o ódio dos deputados-pastores e evitar uma devassa anticorrupção em seu governo – aliás, teme porque deve à ética, porque “quem não deve não teme”.

Com bancadas reacionárias tão fortes e uma autoridade tão fraca e condescendente com nocividades, o governo Dilma não parece se diferenciar muito de um governo Serra em termos de políticas de direita, negação de direitos e governo para poucos.

Parabéns, Dilma. Você começou a perder o respeito das centenas de movimentos sociais que viam em você a única chance concreta de fazer um governo pró-direitos humanos e anti-intolerância.

imagrs

10 comentário(s). Venha deixar o seu também.

Rodrigo

novembro 9 2011 Responder

Postei com o email errado, só postando de novo pra ver se chegar resposta 8D

Rodrigo

novembro 9 2011 Responder

Desculpa, mas sou totalmente contra esse kit homofóbico. Crianças são totalmente influenciaveis e ao invés de pensarem apenas que aquilo é normal, iam querer imitar. Eu não permitiria que meu filho ainda criança assistisse isso.

    Robson Fernando de Souza

    novembro 9 2011 Responder

    Rodrigo, o kit anti-homofobia não iria ser usado com crianças, mas sim com adolescentes no ensino médio.

      yuri

      novembro 11 2011 Responder

      que estão predispostos a experimentar qualquer coisa que seja relacionada a sexo e em maioria não sabem nem oq é um relacionamento. O kit não combate a homofobia, diz que se você tem duvida então você é gay e só não se descobriu.

        Robson Fernando de Souza

        novembro 11 2011 Responder

        Você teve acesso ao verdadeiro conteúdo?

Bárbara de Almeida

maio 26 2011 Responder

Vejamos, para o comentário acima posso ver duas respostas:
1. Se o cara for teu amigo e está de brincadeira com a tua cara, ou se for um leitor que já leu a sua página de perfil (onde diz que você é heterossexual, apenas que se sensibiliza com as causas das minorias)e se considere íntimo o suficiente para fazer uma brincadeira dessas, como se fosse um homofóbico que prestasse um favor aos homossexuais “deixando-os” reconhecerem seus relacionamentos, um simples “vá tomar no c*”, dito com som de amizade é uma boa pedida.

2. Mas se o cara é simplesmente mais um babaca otário que não tem mais o que fazer da vida do que ficar comentando asneiras em posts relacionados ao que não é direcionado para pessoas babacas otárias como ele, que não pensam antes de escrever um comentário ridículo e jocoso que possa vir a ofender seus semelhantes, bem, ai um simples “vá tomar no c*” também seria uma boa pedida, mas sem o tom de amizade.

    Robson Fernando de Souza

    maio 26 2011 Responder

    A saber: o comentário do ofensor foi apagado.

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo