24

maio11

Tortura em nome da ciência (Parte 40)

Terapia com células-tronco ainda não é uma realidade

A impossibilidade de andar é o menor dos males para quem tem lesão na medula espinhal, diz o neurocientista Hans Keirstead, 44. “Existem muitos outros problemas, como impotência sexual. É doloroso”.

Foi em busca de um tratamento para reverter danos medulares que o pesquisador chegou a uma alternativa que define como “revolucionária”: a terapia utilizando células-tronco embrionárias.

O tratamento foi o primeiro a conseguir, em 2010, aprovação para ensaios clínicos nos EUA pelo FDA, órgão que regula a liberação de medicamentos naquele país.

Mas a terapia, destaca Keirstead, ainda está em fase de pesquisa e deve levar anos até virar realidade.

[…]

[Folha de S. Paulo:] Como foi o processo de levar os resultados de sua pesquisa com ratos ao ambiente clínico, com aprovação do FDA?
[Hans Keirstead:] Como eu queria produzir um tratamento para humanos, usei células-tronco humanas. E de todos os tipos de células-tronco, apenas um “”o embrionário”” tem a habilidade de gerar uma grande quantidades de tecido.
Então, utilizamos células-tronco embrionárias humanas. E, nos testes, quando implantamos essas células em ratos com paralisia, mostramos que os animais recuperaram a capacidade de andar.
Foi a primeira vez que um material com alto grau de pureza foi utilizado e isso foi muito importantes para obter a aprovação do FDA.
A Geron [empresa farmacêutica] teve papel fundamental nesse processo, pois patrocinou toda a pesquisa e, agora, está trabalhando, em parceria conosco, na fase de ensaios clínicos.

[…]

[Folha de S. Paulo:] Que tipo de risco os estudos com células-tronco indicam? O pior que pode acontecer é a terapia não fazer efeito ou pode trazer danos ao paciente?
[Hans Keirstead:] Ambos. Uma vez aplicada no corpo humano, a célula-tronco não pode ser removida, pois é um tecido biológico vivo. É diferente de você tomar um medicamento que, se provoca efeitos colaterais, você interrompe o uso.
Com tecidos muito jovens, há preocupações com eventuais tumores e dor, pois podem crescer fibras nesse tecido. Fizemos tudo o que pudemos imaginar para reduzir esses riscos, mas pesquisamos em ratos. Humanos são muito mais complexos.

[…]

Ou seja, no fundo pesquisas-tortura em ratos e camundongos não querem dizer praticamente nada sobre os humanos. Se esses bichos, depois de violentados, são recuperados depois – ou pior, muitos não vivem para desfrutar do seu corpo salvo, pois são assassinados para que os resultados possam ser estudados melhor numa dissecação -, isso não quer dizer que seres humanos vão ter a sorte de serem recuperados com experiências do mesmo tipo.

A mídia divulga, sem nenhuma objeção moral, notícias de tortura contra animais em laboratório despertando grandes esperanças nas pessoas, que comentam essas notícias dizendo ter fé que essas experiências macabras proporcionem resultados excelentes em seres humanos também. Mas quando vemos depois, fiascos e mais fiascos quando os seres humanos voluntários entram na jogada.

Não é à toa que apenas uma pequena minoria de experiências-tortura implicam benefícios de verdade aos humanos. Na imensa maioria dessas violentas pesquisas, a tortura, o sofrimento e os assassinatos acabam sendo em vão, no máximo incrementando o currículo dos torturadores.

Já dizia Charles R. Magel:

“Pergunte aos testadores por que eles experimentam em animais e a resposta é: ‘Porque eles são como nós!’ Pergunte à eles por que é moralmente correto experimentar em animais e a resposta é: ‘Porque eles não são como nós!’ A experimentação animal assenta-se numa contradição lógica.”

Eis que o cientista-algoz Hans Keirstead assume mais uma contradição da vivissecção: o organismo dos ratos é ao mesmo tempo semelhante (por isso faz-se neles experiências com implicações humanas) e diferente (pois não permite resultados conclusivos e seguros sobre a possível implicação humana da experiência) do organismo humano.

Essa é a ciência biomédica da qual dependemos para salvar nossas vidas. Sustentada numa violência torturadora e assassina e no desperdício de vidas.

imagrs

1 comentário(s). Venha deixar o seu também.

Edmeiry Lidiane

maio 25 2011 Responder

Robson estou precisando falar com vc qual é o seu telefone?ou se vc puder ligue pra mim.

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo