28

jun11

Antilaicismo e ateofobia: Câmara de Vereadores de Montes Claros homenageia igreja e vereador difama “falta de Deus”

Esta notícia eu só encontrei agora, 11 dias depois de publicada no O Norte de Minas, mas vale colocar aqui, uma vez que não foi denunciada em lugar nenhum mais.

No último 15 de junho, a Câmara Municipal de Montes Claros/MG prestou homenagem à Igreja Presbiteriana Cidade Nova, homenagem essa requerida pelo vereador Cláudio Rodrigues de Jesus, o Claudim da Prefeitura, e autorizada por unanimidade pela Câmara, em desacordo com o Artigo 19, inciso I, da Constituição Federal, onde se vedam cultos religiosos por parte do Estado e relações de aliança entre o Estado e qualquer denominação religiosa, exceto quando há em jogo a colaboração de interesse público.

Colaboração de interesse público não foi o que se viu em evidência central, pelo menos de acordo com O Norte de Minas e o vereador Claudim da Prefeitura:

O vereador Cláudio Rodrigues de Jesus ressaltou a relevância da homenagem que ele considera justa, tendo em vista o papel desempenhado por esta igreja tanto no âmbito espiritual como humano.

– Além de propagar as boas novas de Jesus, esta conceituada denominação religiosa também realiza diversos projetos sociais. Nesta caminhada encontraram pessoas que por diferentes razões precisam de assistência urgente. Dentre as atividades destaca-se a realização de curso pré-vestibular para estudantes carentes. Sediou, em 2010, o programa Poupança Jovem, e, atualmente, assiste a comunidade Conferência Cidade Cristo Rey, com atendimento a crianças e adolescentes levando conforto, carinho e, sobretudo, as boas novas do Reino de Deus – justificou.

Pela notícia podemos perceber que as alegadas contribuições sociais da igreja – ou seja, o interesse social – não foram a razão principal para a sessão solene de homenagem:

A homenagem pelos 21 anos da denominação religiosa no município foi proposta por meio de requerimento do vereador Cláudio Rodrigues de Jesus (PPS) e aprovado por unanimidade pelos demais parlamentares.  Lideranças da igreja em nível local e no Norte de Minas prestigiaram a sessão. Orações pelas autoridades municipais e louvores como a apresentado pela jornalista e editora chefe do O Norte que faz também parte da membresia, que cantou ao som do violão, fizeram parte da sessão solene que contou com a presença, ainda, de seis dos 15 vereadores da Casa.

O motivo principal foi sim o aniversário de 21 anos da denominação presbiteriana Cidade Nova no município de Montes Claros.

Não satisfeito em violar o princípio do Estado Laico, o mesmo Claudim da Prefeitura aproveitou para destilar preconceito explícito contra quem não tem religião e não acredita no deus cristão (em outras palavras, ateus):

Em seu discurso, o parlamentar citou Mahatma Gandhi que em certa ocasião afirmou que uma vida sem religião é como um barco sem leme [frase curiosamente também atribuída a B. C. Forbes, fundador da revista Forbes]. Rodrigues salienta que na sociedade atual a violência que impera é fruto da falta de Deus no coração das pessoas.

Segundo o douto vereador, a violência é culpa dos ateus. Faz coro a José Luiz Datena em propagar o preconceito contra quem comete os “crimes” de não ter religião e não acreditar em divindades.

É hora de protestar contra mais esse despejo de preconceito, ainda mais vindo de alguém que, como político, deveria em teoria zelar pela dignidade e bem-estar de todas as pessoas de sua cidade independente de suas (des)crenças religiosas.

Enviem e-mails de repúdio à Câmara Municipal de Montes Claros e aos comentários do blog do vereador Cláudio Rodrigues de Jesus, o Claudim da Prefeitura, dando basta à intolerância contra ateus.

imagrs

11 comentário(s). Venha deixar o seu também.

rodrigo

agosto 26 2011 Responder

Alguem saberia dizer se violação de laicidade da base pra uma ação popular ou até impeachment?

    Robson Fernando de Souza

    agosto 26 2011 Responder

    Rodrigo, não tenho certeza alguma, mas acho que dá base sim. Vc pode mandar e-mails pra escritórios de advocacia, alguns deles podem lhe responder com precisão.

      Edward

      novembro 18 2011 Responder

      E daria espaço por alguma ação de responsabilidade contra a Band por conta do preconceito inconstitucional que ela prega nas palavras do Datena?

      Não acho que o Datena tenha que ser processado, pois quem tem a concessão pública é a Band e é ela quem contrata o Datena e era em nome da Band que ele falava (e ainda com a assinatura da Band no canto da tela)…

        Robson Fernando de Souza

        novembro 19 2011 Responder

        Edward, eu acho que dá sim espaço pra ação de corresponsabilidade. Mas Datena usou de convicções religiosas próprias, não falou em nome da Band (se tivesse falado, seria nomeadamente um editorial), o que não quer dizer, no entanto, que a emissora não foi cúmplice no crime.

Marcelo

agosto 18 2011 Responder

Caraca, cada coisa que aparece… Como podem políticos não saberem que o Brasil é laico, e chegarem ao absurdo desses… Deviam ser cassados!!! Tanto quem propõe como quem votou a favor… Independente da religião, nada contra essa em específico.

http://www.liberdadelivre.com

wgonzalez

julho 29 2011 Responder

“DEUS PROVAVELMENTE NÃO EXISTE…” a recíproca tem, pelo menos, 50% de probabilidade de ser verdadeira.

“SE DEUS EXISTE, TUDO É PERMITIDO” conota certa culpa de Deus (se é que ele existe) pelas monstruosidades provocadas pelo insano livre arbítrio do homem.

“A FÉ NÃO DÁ RESPOSTAS, SÓ IMPEDE PERGUNTAS” A não-fé não impede as perguntas, mas também não dá respostas à maioria delas.

“RELIGIÃO NÃO DEFINE CARÁTER”, nem tampouco o ateísmo.

“SOMOS TODOS ATEUS COM OS DEUSES DOS OUTROS” Se isso é verdade, por quê o faccionismo ?

Não tenho religião, acho que ter religião não é o mesmo que acreditar ou não na existência de um ser supremo, porque isso é de foro íntimo de cada qual e deveria ser respeitado por todos para que pudéssemos viver em paz.

    Romário Carlos

    dezembro 13 2011 Responder

    A reciproca para a 1ª frase é irrelevante, pois ateus acreditam em fatos concretos, provados cientificamente, com argumentos, e não por um livro escrito por Judeus.

    Quando se diz que religião não define caráter, você está certo em sua reciproca, mas quando pararem com preconceito conta ateus, a gente conversa, valeu?

    A fé sim impede perguntas, veja o exemplo de pesquisas com células tronco.

    Quando se diz que todos são ateus com deuses dos outros, diz que para um muçulmano, um católico é um ateu, ou vice-versa.

    Não há nada que diga que você não possa acreditar em um “deus” qualquer… mas para um ateu mesmo… isso nada mais é que uma conversa… quando conseguirem provar isso… a gente conversa…

rogerio caetano

julho 2 2011 Responder

esse vereador provavelmente usa essa igreja como lavagen de dinheiro

Leres Cress

junho 28 2011 Responder

Que absurdo!! Vergonha deste país (com p minúsculo)…

Chico Rulez!

junho 28 2011 Responder

Barco sem leme? Quem disse essa frase nunca velejou na vida. Não é a coisa mais fácil do mundo, mas dá pra velejar usando só as regulagens da vela grande e da buja. Ou então, o autor era exímio velejador e esse foi realmente o objetivo: mostrar que tanto velejar sem leme quanto não ter religião são tarefas para os mais habilidosos, inteligentes e experientes. hahahahahahaha

Petulância à parte, é uma boa contra-trollagem para quem usá-la contra a gente.

    Robson Fernando de Souza

    junho 28 2011 Responder

    E contratrollagem das boas, Chico =)

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo