09

jun11

Tortura em nome da ciência (Parte 45)

Uma pesquisa do Institute of Child Health de Londres causou ataques cardíacos em ratos e descobriu haver células regenerativas latentes no coração desses animais. A esperança é que no futuro haja remédios que regenerem os corações de seres humanos.

A violência causada é descrita pelo IG:

Os cientistas da equipe de Riley descobriram que se injetassem os ratos com uma substância específica e causassem um ataque cardíaco nos animaizinhos, as células migravam para o local do infarto e criavam músculo novo.

Ou seja, envenamento cardiopático que causou infarto nos animais e consequente sofrimento. Não se revelou na notícia citada quanto tempo demorou entre o envenenamento e a regeneração das células cardíacas ou se algum animal morreu por causa do infarto. Ou seja, os animais podem ter agonizado durante horas ou mesmo dias com os corações danificados.

Outra questão que não foi revelada foi se o exame dos corações das vítimas da pesquisa foi feito com a secção dos animais vivos, eles foram assassinados para o exame detalhado das células cardíacas ou as duas coisas aconteceram. Duas formas claramente cruéis de experimentação.

Apesar do otimismo dos torturadores, a própria notícia revela que a experiência não conseguiu chegar a constatações conclusivas sobre o que realmente levou os corações das vítimas a voltarem a funcionar bem e tem altas chances de fracassar, de ser incompatível com seres humanos, de acordo com esses trechos:

Eles também encontraram vários sinais que o coração estava funcionando melhor, embora não esteja claro se isso foi devido à regeneração ou algum efeito terapêutico do remédio.

[…]

No entanto, ele [Steve Houser, diretor de centro de pesquisa cardiovascular] foi cauteloso, afirmando que “poucos estudos em ratos conseguiram chegar a humanos, no mundo cardíaco”.

O que nos leva a concluir que há chances notáveis de o experimento ter sido uma violência vã. Sem falar no fato de a grande maioria das torturas científicas de ferimento cardíaco contra roedores fracassarem ao serem aplicadas (de forma não violenta, deixe-se claro) em seres humanos. O que leva a resultados decepcionantes, mas ainda assim não faz cair a ficha da violência científica.

Pareço meloso ao dizer isso, abrindo exceção para a exposição de um pouco de emocionalidade, mas a tortura que feriu o coração desses animais foi causada por pessoas sem coração, que não enxergam animais como os ratos e camundongos como seres dotados de interesses próprios e vítimas de um método científico antigo (centenário) e violento, mas apenas como pequenos objetos autômatos passíveis de qualquer violação.

imagrs

Seja a primeira pessoa a comentar

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo