21

jun11

Tortura em nome da ciência (Parte 51)

Agora a crueldade vem do Brasil, mais precisamente da UFSC. Expôs o Terra Notícias: vivisseccionistas expuseram roedores a situações traumáticas, mediante eletrocução, pelo seguinte método:

[…] os animais receberam um choque moderado nas patas, simulando uma situação traumática. Quando eram novamente expostos ao ambiente de condicionamento, os animais “congelavam” de medo, sem poder reagir. Contando o tempo de imobilidade, os pesquisadores avaliam a intensidade do medo.

Depois ministraram doses (a notícia não diz se foram injetadas, inaladas ou ingeridas) de canabidiol, composto presente na maconha, para diminuir o trauma causado. O estudo intencionou, mediante técnica de tortura e traumatização, pesquisar o efeito ansiolítico da substância.

Choques e trauma. Tortura e sofrimento. É assim que funciona a pesquisa com animais não humanos, que a maioria dos cientistas não está interessada em mudar.

imagrs

Seja a primeira pessoa a comentar

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo