10

jul11

Exceção na mídia mainstream: Estadão publicou reportagem favorável aos vegetarianos

Numa mídia cheia de reporcariagens que tocam o terror contra o vegetarianismo, o Estadão foi uma feliz exceção. No último dia 8, publicou uma reportagem bastante favorável aos vegetarianos, de autoria de Ciça Vallerio. E o melhor de tudo: sem nenhum nutricionista pró-carne metendo poréns e pedidos de cautela na alimentação veg(etari)ana. Sem falar na seguinte frase, uma válida repreensão a quem não tem previsão de quando vai deixar de ser ovolactovegetariano e aprofundar a mudança de sua alimentação:

Porém, os vegetarianos [não estritos] costumam cometer um erro grave: substituir carne por ovos e queijos.

Vale ler a reportagem inteira. Abaixo os primeiros parágrafos:

Onda vegetariana
Por questões éticas, ambientais e de saúde, cada vez mais pessoas eliminam a carne de seu cardápio

Enquanto o Pavilhão da Bienal do Ibirapuera se prepara para receber mais de 22 mil visitantes na NaturalTech, única feira internacional de produtos naturais do País, que abre suas portas no dia 21, adeptos da dieta sem carne celebram uma onda de ofertas. Publicações, filmes, restaurantes, serviços, sites e blogs trazem à tona um tema ainda repleto de estigmas e, muitas vezes, alvo de piadas: o vegetarianismo. Ao mesmo tempo, mitos a respeito da alimentação que exclui do cardápio itens de origem animal estão ruindo.

O mais polêmico é o conceito de que o consumo de carne é essencial para a saúde. “Estudos científicos provam que não há nenhum único nutriente essencial que só exista na carne ou que dependa dela para ser bem aproveitado pelo organismo”, avisa o paulistano Eric Slywitch, especialista em nutrologia e nutrição clínica.

A notícia é um alívio para vegetarianos que sempre escutaram que sua dieta era deficiente. A proteína animal pode se equivaler, por exemplo, a leguminosas como feijão, grão-de-bico, ervilha, lentilha, diz Slywitch, que também é coordenador do Departamento de Medicina e Nutrição da Sociedade Vegetariana Brasileira e professor de pós-graduação do Ganep (Grupo de Nutrição Humana). Porém, os vegetarianos costumam cometer um erro grave: substituir carne por ovos e queijos.

Leia a reportagem completa aqui

 

imagrs

5 comentário(s). Venha deixar o seu também.

Fernando Cônsolo Fontenla

julho 12 2011 Responder

Isso é uma tentativa do Estadão de não perder ainda mais leitores, duvido que ele passe a fazer matérias assim de maneira regular.

Milena, vegetais como batata e cenoura são seguros mesmo sem serem orgânicos. Apenas o tomate e o pimentão são problemáticos porque eles absorvem mais veneno que o resto dos vegetais. Mas não pense que uma dieta comum é livre de venenos pois a ração dos bois é feita com soja que recebe muito Round Up, um potente agrotóxico.

Sou vegano e a minha dieta é mais econômica do que era antes de eu aderir ao veganismo.

Bárbara de Almeida

julho 11 2011 Responder

Primeiro, Lucho, gostaria de dizer que ESTA matéria do Estadão não foi golpista, igual aquelas que estamos cansados de ver, que são redigidas em prol de manter as vendas agropecuárias em alta. Não se refere ao jornal em questão, nem a todas as suas eventuais publicações. Com certeza Robson concorda com esta afirmação.

Em seguida, gostaria de dar um relato pessoal para Milena, em relação aos custos de uma dieta vegetariana. Eu parei de comer carne assim que sai da casa dos meus pais, e desde então moro sozinha, mas com visitas permanentes da minha namorada.
Meus gastos mensais, para em média duas pessoas por refeição, ao mês, sai em torno de R$150,00 a R$250,00 (já com os gastos esporádicos com besteiras, como pizza ou lanche). Ela não é vegetariana (ainda, rs), mas o que mais pesa no nosso orçamento é as carnes e derivados que ela compra. Ou seja, uma grande parte do que prende os onívoros de manter uma dieta veg é, realmente, o medo. Medo de testar novas receitas, o medo de perder o sabor das comidas que você costuma comer, medo de uma dieta veg acabe sendo repetitiva (e, com empenho não será). E você não precisa comprar um livro de receitas, isso você encontra tudo na internet mesmo.
O que tenho a te dizer é: TESTE. Mas, ao fazer isso, se empenhe, senão não irá ficar entusiasmada com os resultados. Para economizar – ainda mais- Faça suas compras de mercado no dia da promoção, compre preferencialmente o que estiver na estação, procure na internet (mas vá ao nutricionista se quiser) quais nutrientes específicos que você terá que “substituir”… Nisso, você irá ter uma dieta mais saudável e barata, garanto :)

Lucho

julho 10 2011 Responder

Agora o Estadão não faz mais parte da Imprensa Golpista, não é mesmo?

Milena

julho 10 2011 Responder

Os benefícios da dieta vegetariana são óbvios, o problema é… dinheiro. Você gasta com nutricionista, com livros de receita… Tem uma coisa que eu acho, e se eu estiver errada por favor me corrija, que é o seguinte: não vale a pena começar uma dieta vegetariana e ficar comendo um monte de vegetal cheio de agrotóxico. Aí a questão financeira aparece de novo. Uma vez eu fui pesquisar onde tinha lojas de orgânicos na minha cidade (Belo Horizonte), e só tinha em bairro nobre. E eu não tenho espaço pra fazer horta em casa, nem tempo pra cuidar. Não tô contextando o vegetarianismo/veganismo, só pra deixar claro, só tô querendo saber como eu posso introduzir isso na minha vida, eu vivo numa casa com quatro pessoas e acho que uma alimentação assim pesaria.

    Robson Fernando de Souza

    julho 11 2011 Responder

    Milena, não é necessário abraçar a expensiva culinária naturalista pra ser vegetariana. Ela é opcional. Você pode recorrer a verduras, legumes, frutas, grãos, azeite etc. – em suma, tudo o que você já compra sendo onívora tirando a carne e colocando um pouco mais de variedade de vegetais.

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo