10

jul11

Preconceito em Itabira/MG: 80% da população afirma que causa de suicídios é “falta de Deus”

Foi divulgado pelo site do repórter Atila Lemos semana passada (e que acabou passando despercebido entre os ateus brasileiros):

Pois bem agora que já rezei uma ladainha para vocês, na ultima sexta-feira 1 de julho decidi colocar uma enquete sobre o assunto, isso após tomar ciência que haviam dado entrada de três casos tentados em três dias. Esclareço que no dia seguinte em que lancei a enquete acabou surgindo um quarto caso em quatro dias, mas dai preferi manter a enquete do jeito que estava, pois diversas pessoas já haviam manifestado seu voto.

A enquete era a seguinte: “Três dias, três tentativas de suicídio, que está acontecendo?”, o resultado ficou assim, para 80% “É falta de DEUS no coração?”, 10,8% “Os bens materiais valem mais q vida?”, e 9,1% responderam “É Falta de Ocupação?”.

Fica patente o óbvio preconceito da sociedade em “adivinhar” que os três suicidas fracassados são ateus. Datena não é o pai da ateofobia, ele simplesmente externalizou verbal e publicamente o preconceito que ele e grande parte dos cristãos brasileiros têm contra nós.

Além de “amorais” e “tendentes à criminalidade”, somos também “potenciais suicidas” para essa imensa parcela da população – para 80% dos itabiranos, moradores da região e internautas de outras localidades brasileiras.

Toda pessoa minimamente possuidora de conhecimento sobre suicídios também sabe que atribuir impulso suicida ao ateísmo é, além de preconceito, um engodo enorme. Durkheim e sua obra O Suicídio (1897) estão aí para provar: em sua pesquisa, pioneira na Sociologia, Durkheim descobriu que protestantes se suicidavam mais que católicos e judeus. A presença ou ausência de Deus nada tem a ver com suicidar-se ou não se suicidar – no máximo a religiosidade pode desencorajar o suicídio e manter a coesão social bastante para esse efeito, mas ela de forma alguma impede que se dê cabo à própria vida.

Isso precisa acabar. Para tanto se faz muito necessária a mobilização ateísta para o combate ao preconceito ateofóbico. Nada une os ateus fora a própria descrença em deuses, mas hoje precisamos criar um segundo elo de afinidade: o interesse de acabar com a ateofobia, semelhante ao dos LGBT de combater a homofobia e o dos negros de combater o racismo.

imagrs

1 comentário(s). Venha deixar o seu também.

LUCIMARA

setembro 26 2016 Responder

O que está acontecendo meu Deus? Os itabiranos vão esperar mais o quê acontecer para tomar alguma providência? E os órgãos competentes (incompetentes ao meu ver), nenhuma ação foi tomada e já faz mais de três anos que Itabira é conhecida como a Cidade Suicida. Só o CVV não é suficiente para abranger toda uma população descrente de que o poder legislativo possa tomar alguma atitude. O que podemos fazer?

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo