01

jul11

Tortura em nome da ciência (Parte 55)

Neste post concentro um pacote de crueldades, com as várias torturas que foram noticiadas ontem e hoje de forma parcialmente imparcial por vários noticiários online. O pacote é útil para eu evitar publicar seis posts pequenos de uma só vez e fazer outros descerem desmerecidamente.

 

1. Gravidade zero para danificar o organismo de ratos

De acordo com o Diário da Saúde, vivissectores de universidade não revelada submeteram ratos a gravidade zero, causando resistência à insulina e degeneração óssea (perda de densidade nos ossos) no grupo-controle de animais (o outro grupo tomou a substância resveratrol, composto saudável presente no vinho tinto). A intenção era neutralizar os efeitos da gravidade zero e do sedentarismo em seres humanos.

2. Diabetes em ratos para causar retinopatia

Segundo o Diário do Grande ABC, no University Of Georgia College of Pharmacy, ratos foram induzidos ao diabetes de modo que fosse testada a substância estatina, “que previne a deterioração de nervos da retina causada por radicais livres” em diabéticos. Não foi revelado na notícia se houve grupo-controle com ratos que sofreram retinopatia diabética sem tratamento, mas é dedutível que houve. Também não foi revelado como foi avaliado o efeito protetor da estatina, se foi por exame ocular ou por dissecação.

3. Ratos já nascendo com diabetes 1

O Diário Digital de Portugal revelou que, no Salk Institute’s Cellular Neurobiology Laboratory, ratos foram induzidos a nascer com diabetes 1, no qual o corpo não produz insulina, e sofreram hipertrofia e inchaço do fígado e doença renal não especificada, o que foi tratado em apenas alguns animais com a fisetina, substância saudável encontrada no morango – o grupo-controle sofreu integralmente com a disparada de níveis de glicose no sangue e no cérebro e os problemas já citados.

4. Camundongos transgênicos com Mal de Alzheimer

Noticiou a Prensa Latina: na segunda parte de um estudo da Escola de Medicina da Universidade de Washington sobre a associação de variantes do gene APOE-e (não ficou muito claro se é um gene ou uma proteína) à eliminação de placas de proteínas beta-amiloides causadoras do Mal de Alzheimer, camundongos nasceram geneticamente manipulados de modo que nascessem prestes a contrair a doença e contivessem todas as variantes do APOE-e.

A própria notícia afirma, dando uma ideia de até onde a doença pode ter avançado naqueles animais (isso antes de assassinados para a análise dos seus cérebros):

O ma[l] de Alzheimer é uma doença neurodegenerativa que afeta a capacidade cognitiva e o comportamento na medida em que as células do cérebro morrem.

5. Mais roedores diabéticos

Uma pesquisa apresentada em conferência da Associação Estadunidense de Diabetes, segundo o Terra Notícias, deixou camundongos em condição pré-diabética e lhes aplicou aspartame suficiente para que sua glicose se elevasse a níveis comprometedores.

6. Cólera e Salmonela para ratos

Terra Notícias: Vivisseccionistas da Escola Superior de Medicina de Hannover (Alemanha) injetaram vacinas contra salmonelose e cólera em dois grupos de ratos, e para outros dois aplicaram ácido retinoico, para em seguida envenenar a todos com os agentes patogênicos – salmonelas e vibriões coléricos – causadores de diarreias mortais. Os que receberam as vacinas sofreram mais com as doenças, uma vez que tais vacinas protegeram menos do que o ácido retinoico.

 

E assim caminha a mais violenta das ciências, que gente muito interessada na tortura de animais em laboratório vem fazendo de tudo para empurrar goela abaixo da sociedade, lançando campanhas de alienação, com direito a quadrinhos altamente preconceituosos para enganar os mais jovens e FAQs falaciosos.

imagrs

3 comentário(s). Venha deixar o seu também.

Dep. Bruno Correia

agosto 18 2011 Responder

Prática de exercícios ajuda a proteger o cérebro contra a doença de Alzheimer :

http://deputadobrunocorreia.blogspot.com/2011/08/pratica-de-exercicios-ajuda-proteger-o.html

    Robson Fernando de Souza

    agosto 18 2011 Responder

    Obrigado, Dep. Bruno. Vou publicar um post com esse vídeo.

    Abs

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo