09

ago11

Vídeo de pastor fundamentalista incita a intolerância de cristãos contra não cristãos

Daniel Sottomaior me repassou o link desse vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=R5hn_XvBYrgg (por bom senso e para não parecer cúmplice do crime que esse vídeo é, não o incorporei aqui)

Nele o pastor Jackson Rangel, do Ministério Ide, uma igreja batista da cidade de Cachoeira do Itapemirim/ES, faz um autêntico discurso de ódio, incitando os cristãos a romperem seus laços de amizade com qualquer pessoa que não seja cristã – o que inclui desde os ateus a religiosos não cristãos, como judeus, afrorreligiosos e adeptos de crenças orientais – e recusar relacionamento com qualquer um que não creia nos dogmas do cristianismo. Ele usa o princípio do “jugo desigual” (vide 2 Coríntios 6:14-17), usado por fundamentalistas cristãos como a inspiração divina para que se discrimine qualquer pessoa que discorde do cristianismo.

Jackson Rangel incorre em crime de intolerância religiosa:

INCITAÇÃO À DISCRIMINAÇÃO E PRECONCEITO POR RELIGIÃO
LEI 7.716/1989 – Art. 20. Praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional.
Pena: reclusão de um a três anos e multa.

Repito que o ódio e a discriminação que o pastor em questão propaga não se dirige apenas contra ateus, mas sim contra todos os indivíduos que não compartilham da fé dos cristãos.

Denunciem já à Polícia Federal: http://denuncia.pf.gov.br/

imagrs

1 comentário(s). Venha deixar o seu também.

Anna

agosto 9 2011 Responder

O que acontece na sociedade(na minha opinião, é claro), em relação a qualquer tipo de preconceito é um ciclo, seja em relação a religião, a mulher na sociedade, ao homossexual.Vamos tomar como exemplo a educação, o quanto ela tendencia e incita a desigualdade entre os sexos.Desde bem jovens,na própria escola, que supostamente é um lugar para discussões abertas e livres, os mesmos professores que ensinam sobre revoluções e lutas, banalizam e minimizam o significado destas com piadas e chacotas; Um exemplo é como ANARQUIA virou sinônimo de coisa ruim,sendo que a maioria das pessoas sequer entende que houve um movimento a respeito( não estou aqui me partidarizando também).O que eu quero dizer é que pessoas com esses “conceitos” (isto é um eufemismo) foram ensinadas por um longo período que eu chamo de “preconceitização”, e que infelizmente não tiveram senso crítico suficiente para entender o que é religião ( todos esses conceitos impostos) e o que é a mensagem de Jesus.Particularmente acho bastante interessante o que é falado sobre RESPEITO, AMOR,PACIÊNCIA, entre outros, mas vejo que nem todos partilham de mesma opinião.Acho que o ponto onde eu quero chegar é que me considero uma cristã sem religião, e me sinto envergonhada quando vejo a atitude que alguns tomam em nome de “Cristo”, e fico ainda mais triste de ver que o preconceito é uma via de mão dupla, pois muitas pessoas também agem com um preconceito invertido ( se eu digo em “voz alta” em um blog feminista q sou cristã por exemplo, já vem muitas taxações a meu respeito).Em resumo, o que digo é tristemente essas pessoas
se consideram cristãos legítimos e as vezes( muitas vezes) outros pensam que todos aqueles que se dizem “cristãos” são
exatamente os mesmos.Pois eu sou cristã,mulher, feminista, vegana ,luto( a meu modo) a favor do meio ambiente e me considero uma pessoa bastante razoável (embora muitas vezes seja chamada de “radical” e ridicularizada), e além disso meu melhor amigo não é um cristão (OH!) e estudo engenharia (curso simbolo da masculinidade!!!LOL).E isso que eu queria deixar (espero que não uma “má impressão”).No mais, parabéns pelo blog, ótimas matérias, acompanho sempre.
Anna

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo