10

set11

É verdade que apenas vegetarianos precisam fazer check-ups periódicos e consultar nutricionistas?

Lendo reportagens desinformativas, artigos alfacistas ou mesmo os textos de alguns profissionais, temos a impressão de que apenas os vegetarianos e veganos, além de portadores de doenças como diabetes e hipertensão, precisam checar sua saúde regularmente e tratar de balanceamento alimentar com nutricionistas. Fica parecendo que os onívoros de saúde ainda estável – mesmo os que pior se alimentam, enchendo a barriga de carnes gordurosas e/ou processadas – são isentos dessa necessidade.

Nada mais irresponsável e imprudente em termos de orientação médica. Até mesmo eu, que não tenho formação em ciências da saúde, posso perceber que grande parte daquele conteúdo que tenta criticar o vegetarianismo (e que pode ser visto em abundância (aqui também) no meu tumblr Vegetariano da Depressão) induz as pessoas ao erro.

É corriqueiro ver até mesmo presidentes de associações de nutricionistas dando a impressão de que apenas os vegetarianos são suscetíveis a problemas de má alimentação e por isso devem monitorar sua saúde. Não lembro de ter visto sequer uma reportagem ou artigo a citar o vegetarianismo recomendando que todas as pessoas, sejam elas comedoras de carne ou vegetarianas, façam baterias periódicas de exames de sangue, coração, urina, fezes etc. Pelo contrário, muitas vezes ficava a impressão de que o check-up seria muito mais para evitar iminentes ameaças (doenças ou deficiências nutricionais) supostamente inerentes e peculiares ao vegetarianismo do que para simplesmente manter a saúde em dia.

Outro detalhe que também nunca vi em textos assim foi a recomendação de que, além dos vegs, também os onívoros deveriam procurar assistência nutricional. Curiosamente isso não acontece mesmo quando vemos explodir as estatísticas dos problemas de saúde decorrentes do consumo desmedido de carnes. Mas curiosamente o vegetarianismo, mesmo até hoje não tendo desencadeado qualquer aumento digno de nota nos casos de distúrbios nutricionais ou doenças de origem alimentar, é marcado de forma alarmante e desnecessariamente rigorosa como um hábito alimentar demandante de orientação e monitoramento.

Isso dá a forte impressão aos onívoros de que eles podem comer o junk food que quiserem – hambúrgueres fritos, bifes cheios de sangue e gordura, cachorros-quentes, pizzas gordurosas etc. – e, mesmo alimentando-se muito mal, não precisam de qualquer orientação nutricional ou acompanhamento médico periódico. Parece-lhes que não precisam se preocupar com nada, mesmo que estejam despercebidamente à beira de uma isquemia. Uma grave omissão e indução ao erro que vem ajudando a elevar mais e mais os números das doenças cardiovasculares, diabetes, câncer e obesidade.

Daí surge a pergunta que intitula este texto, a questão que não vai mais querer calar enquanto persistir esse tratamento dois-pesos-duas-medidas do vegetarianismo e do onivorismo: É verdade que apenas vegetarianos precisam fazer check-ups periódicos e consultar nutricionistas?

Afinal de contas, os vegetarianos e aspirantes ao vegetarianismo precisam de orientação nutricional? Muitos precisam sim, uma vez que estão parando de comer carne, ou pararam há muito pouco tempo, mas ainda não sabem por onde começar na substituição nutricional da mesma. Mas desde quando isso quer dizer que somos os únicos que precisam dessa assistência profissional?

E de exames periódicos? Precisamos sim também, como qualquer pessoa. Mas não mais do que os onívoros. Aliás, mesmo os comedores de carne que desfrutam da culinária natural piscitarista (que inclui carne de peixe), dita pelo senso comum como a mais saudável, também precisam checar se seu organismo continua ok.

Está mais que na hora de os especialistas da nutrição e do jornalismo se profissionalizarem de verdade no que se refere à imparcialidade e ao tratamento dedicado ao veg(etari)anismo. E dizer, com coragem e profissionalismo, que os vegetarianos e veganos não são os únicos que precisam cuidar regularmente da saúde com orientação médico-nutricional.

Está na hora de começarem a realmente respeitar os dois lados – os vegetarianos, que demandam esclarecimentos e conselhos sábios, e não paranoia, e os onívoros, cuja necessidade de adequação alimentar vem sendo perigosamente negligenciada pela maioria dos especialistas que verbalizam nos meios de comunicação e dos formadores de opinião não vegetarianos.

imagrs

8 comentário(s). Venha deixar o seu também.

Karen B

setembro 11 2011 Responder

Tenho acompanhado este blog há algumas semanas por recomendação do meu namorado e se tornou um dos meus sites favoritos na internet…sério, por mais crítica que eu seja, não encontrei nada de que eu discordasse aqui – pelo contrário, me senti representada em cada artigo. Acho que é como dizem em inglês (na falta de um ditado exato em português), “Great minds think alike”, hehe.

Engraçado que esses dias me aconteceu algo relacionado a esse texto: minha mãe, preocupadíssima, insistiu que eu fizesse exames de sangue PRA ONTEM (faço anualmente), porque poderia estar com anemia por não comer carne e qualquer outra deficiência horrível de algum nutriente. Fiz o exame, e tudo PERFEITO.

Mas engraçado que ela nunca exigiu o mesmo do meu irmão creófilo cuja dieta é baseada em miojo, frango, ovo cozido e batata diariamente (diz ele que é “para ganho de massa muscular”), e que frequentemente come coisas como hot-dogs, baurus, pizzas de calabresa, torresmo e afins.

Bom, enquanto vejo pessoas na minha família inteiramente creófila tendo hipertensão, osteoporose, AVCs, infartos, obesidade e todo tipo de doença relacionada ao consumo de produtos de origem animal, numa refeição em família sempre tem o dedo apontado (juntamente com o garfo que espeta um pedaço de carne gorda) juntamente com a advertência lançada: “olha a falta de proteína e de ferro! vai ficar com anemia!” (fora “mas comer carne é tradição do nosso povo gaúcho e a tradição deve ser seguida! tá na bíblia que deus fez os animais para serem comidos! vegetarianismo é coisa de religião oriental do demônio!” e várias outras besteiras que já ouvi.

Sinceramente gostaria MUITO de estar errada, mas provavelmente o que vai mostrar quem tem razão nessa história são os resultados dos exames médicos e (tomara que não, mas como já aconteceu antes) a causa mortis nos atestados de óbito.

    Robson Fernando de Souza

    setembro 11 2011 Responder

    Karen, obrigado pela apreciação do blog e também do texto =)

    Posso divulgar seu comentário lá no Vegetariano da Depressão?

      Karen B

      setembro 11 2011 Responder

      Merece, e com certeza que pode! :) Também acompanho o Tumblr, é praticamente uma terapia do tipo “rir para não chorar”, hehe.

        Robson Fernando de Souza

        setembro 11 2011 Responder

        Valeu, Karen =) bjão

          Karen B

          setembro 11 2011

          Acabei de ver postado lá, valeu!=D Tudo de bom pra ti, que continues com o excelente trabalho e abraço!

          Robson Fernando de Souza

          setembro 11 2011

          Abração pra vc tb =)

      Karen B

      setembro 11 2011 Responder

      *desculpe se o post estiver duplicado…como uso bloqueador de script no firefox e não me apareceu nenhuma notificação de que minha resposta tivesse sido postada, estou escrevendo novamente*

      Merece, e com certeza que pode postar sim.:) Também acompanho o Tumblr, é praticamente uma terapia de “rir para não chorar”, hehe.

        Robson Fernando de Souza

        setembro 11 2011 Responder

        Muitas vezes dá isso mesmo no Firefox: vc comenta num blog que modera comentários e aparece como se vc não tivesse comentado nada. Nem aviso de que o coment espera aprovação, nem nada. É uó demais isso.

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo