22

set11

Tortura em nome da ciência (Parte 66)

Enquanto estamos vivendo, comendo, estudando, nos divertindo e dormindo, a vivissecção não pára de torturar e matar animais nos laboratórios do mundo inteiro. A ciência que jura tratar animais com “responsabilidade, ética e respeito” trata-os como meros objetos autômatos, dos quais até mesmo a dor é tratada como nada mais do que uma mera variável biológica para os cientistas vivisseccionistas.

Pois bem, abaixo uma lista com algumas das pesquisas que resultaram na tortura de ratos e camundongos, noticiadas entre 11 e 21 de setembro.

 

1.Ratos transgênicos dominados por sedentarismo crônico

Ratos transgênicos nasceram com defeito congênito nos genes ligados à proteína AMPK, e por isso continham menos mitocôndrias nas células do que ratos nomais, o que os levou a uma vida de sedentarismo crônico. A intenção era pesquisar a causa genética do sedentarismo físico humano.

2. Camundongos induzidos ao diabetes

Camundongos tiveram diabetes do tipo 1, o pior dos dois tipos, provocado em seus corpos, e foram operados para a instalação de um catéter próximo ao fígado para o controle do diabetes. 200 dias depois o catéter foi removido e os animais voltaram a ficar diabéticos. Os vivisseccionistas pretendem estender sua pesquisa para porcos e cães, lhes provocando a doença e fazendo os mesmos procedimentos.

3. Câncer de mama, intestino, pulmão e próstata contra camundongos

Camundongos foram adoecidos com câncer de mama, intestino, pulmão ou próstata para o teste do remédio da flor do açafrão-do-prado. Metade dos camundongos acabaram curados e todos diminuíram o ritmo do crescimento dos tumores (mas continuaram com a doença).

4. Camundongos obesos

O estudo de circuitos cerebrais que controlam a fome e a saciedade induziu camundongos à obesidade. Não foi informado se os animais obesificados sofreram consequências em sua saúde.

5. Mais camundongos induzidos ao diabetes

Outra pesquisa induziu camundongos ao diabetes e testou os efeitos benéficos do transplante de células-tronco uterinas no pâncreas desses animais. Porém, houve animais que não receberam essas células e “continuaram com altos índices de açúcar no sangue, desenvolveram catarata e ficaram letárgicos”.

6. Crueldade dupla: óleo de peixes mortos atrapalha quimioterapia em camundongos

Suplementos com óleo extraído de peixes mortos atrapalharam a quimioterapia de camundongos infectados com câncer. Não foram dados detalhes sobre o progresso do câncer ou sobre o destino dos animais.

7. Pânico e estresse pós-traumático afligem animais

Para o teste de uma substância canabidiol, derivada da maconha, ratos foram presumivelmente induzidos a ataques de pânico e estresse pós-traumático. O estudo não foi conclusivo no que se refere à aplicação em seres humanos.

8. Mieloma contra ratos

Para o teste do medicamento da molécula JQ1, cientistas infectaram ratos com mieloma, uma espécie de câncer incidente em tecidos sanguíneos e conjuntivos. Apenas alguns animais foram tratados com JQ1: os que não foram tratados viveram menos (presume-se que sofreram até a morte ou foram sacrificados ao ser diagnosticada a irreversibilidade).

9. Mais câncer contra ratos

Ratos foram infectados com câncer de pele, pulmão, cólon e outros tipos para que fosse testado um tratamento com iodo radioativo. Não foram dados na notícia mais detalhes sobre a situação dos animais.

10. O feijão transgênico vem aí, e não é nem um pouco vegano

Para quem ainda não sabe, alimentos transgênicos são testados em animais para que sejam considerados “seguros” e comercializáveis no Brasil. O feijão transgênico, recentemente aprovado pela CNTBio, foi testado em ratos, e alguns cientistas estão acusando que os testes nos ratos foram irregulares. É possível averiguar na notícia que os ratos foram assassinados de modo que o peso dos seus fígados fosse medido.

11. Ratos induzidos à infecção generalizada

A USP realizou uma pesquisa em que ratos foram induzidos à infecção generalizada, de que geralmente ouvimos falar como um dos sintomas terminais de doenças fatais:

Nos estudos desenvolvidos com ratos, a infeccção generalizada é estimulada pela indução de uma infecção (peritonite) por meio de uma perfuração do intestino do animal. Esse tipo de modelo experimental é o que mais se assemelha com os sintomas clínicos em humanos que sofrem de diverticulite e perfurações intestinais decorrentes de acidentes, que podem provocar infeções generalizadas.

A intenção era verificar os efeitos da infecção generalizada nos neurônios das vítimas desta.

12. Câncer de pâncreas contra mais de 50 ratos

Mais de 50 ratos foram infectados com câncer no pâncreas em experiência de terapia com vírus projetado. Na notícia não foram dados muitos detalhes sobre o destino dos ratos ou se algum foi curado.

13. Ratos privados do sono

Ratos foram forçados a não dormir em experiência, e acabaram sofrendo de disfunção erétil. Tinham excitação mas não conseguiam fazer penetração.

14. Ratos obesos e diabéticos

Se um deles já é demais, dois é terrível. E dois induzidos é crime contra a vida. A Universidade de Granada (Espanha), junto com dois hospitais, causaram diabetes e obesidade em ratos, num “modelo experimental que simula o desenvolvimento da diabetes humana”. Chegou-se à suposta conclusão de que dormir totalmente às escuras pode ajudar a controlar melhor o diabetes.

imagrs

Seja a primeira pessoa a comentar

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo