18

nov11

Contra as minorias e contra os animais: a ameaça conservadora* na Espanha

*Se bem que não se deveria chamar nem de conservadora, mas de regressista mesmo, uma vez que “conservador” denotaria originalmente conservar, manter as coisas como estão.

Obs.: Não considero este post um off-topic porque ele se refere às consequências nefastas do proposto governo conservador na Espanha para várias das minorias defendidas neste blog e para muitos animais não humanos.

No avanço de uma direita que junta neoliberalismo com inspirações neofascistas na Europa, a Espanha também pode estar para colocar um reacionário no poder, no mandato de primeiro-ministro. O candidato da ameaça é Mariano Rajoy, do Partido Popular, que tem raízes franquistas e cristãs. A BBC denunciou uma pomposa quantidade de ameaças, ditas inegociáveis, que esse homem representa ao bem comum na Espanha:

– Fará um governo voltado aos “valores tradicionais”, o que denota a perseguição ou desmonte das mudanças progressistas de valores as quais marcaram a Espanha contemporânea;
– Revogará a legalidade do casamento homossexual;
– Idem para o direito da mulher a decidir pelo aborto;
– Idem para o divórcio rápido (feito em 3 meses);
– Pode determinar a restauração dos símbolos da ditadura de Francisco Franco em espaços públicos;
– Pode revogar muitas (senão todas) as proibições ao consumo de cigarro em público;
– Cortes de investimentos em todos os setores do Estado, exceto aposentadorias;
– Privatização, ao meu entender, generalizada de empresas públicas;
– Lei de imigração que obrigará o pretendente a imigrante a ter conhecimentos sobre cultura e história espanhola – numa investida para forçar a inibição das culturas originais dos imigrantes;
– Blindar a manutenção das touradas, negando ao máximo as reivindicações dos movimentos de Direitos Animais, sob o pretexto de “proteção de nossa tradição histórica e cultural”. Não sei se isso pode incluir a revogação da proibição das touradas na Catalunha.

As minorias e os touros sofrerão com o governo regressista, um governo que promete fechar os olhos para as reivindicações progressistas vindas do povo. Que promete fazer um governo não para o povo, para o bem de todos os governados, mas sim de opressão, de “benefício” apenas aos desejos sádicos de uma parcela tradicionalista, cada vez mais minoritária entre a população. Digo que os tradicionalistas têm desejos sádicos porque lhes agrada não que a sociedade se torne cada vez mais igualitária e dotada integralmente de direitos, mas sim que as minorias sejam socioculturalmente oprimidas e marginalizadas – e isso inclui que os touros continuem sendo torturados e assassinados em arenas tauromáquicas – e que apenas eles tenham direitos integrais e plenamente garantidos pelo Estado. Em outras palavras, porque defendem politicamente o sofrimento dos outros, regozijam-se com tal e desejam que apenas eles próprios tenham o pleno direito de viver bem.

Isso nos mostra como é perigoso que governos conservadores sejam eleitos. No Brasil, Dilma Rousseff é nocivamente conservadora em comparação ao governo de Lula, mas ainda assim acho que um governo sob a liderança de José Serra seria ainda pior, praticamente como o possível futuro governo espanhol de Mariano Rajoy, dada a forma como ele abraçou as parcelas reacionárias da sociedade em 2010 e ouviu carinhosamente suas reivindicações – sendo a diferença básica entre Serra e Rajoy que o primeiro não exibiu de forma tão veemente as promessas de retrocesso social em sua campanha eleitoral. (Deixo claro, porém, que isso não quer dizer que eu defenda o governo Dilma!)

Conservadorismo, especialmente quando tem a forma de regressismo, faz mal à humanidade, e também aos outros animais. Devemos ter isso em mente sempre.

imagrs

2 comentário(s). Venha deixar o seu também.

Kreator

novembro 22 2011 Responder

O ruim é que quem quer mudanças econômicas liberais precisa “engolir” o pacote “democrata cristão”, e a Espanha neste momento precisa cortar os gastos do Estado, a Social Democracia européia demonstrou-se insustentável.

É triste ver que os eleitores, tanto de lá quanto daqui não tem opção laica e capitalista, sempre tem que levar um “brinde” indigesto no pacote.

Quer um governo que não seja retrógrado, religioso e conservador? precisa levar junto no “pacote” neo-marxismo estatizante. =/

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo