16

fev12

Eleitora de 2010 trata cãozinho como objeto de presente e o dá a Dilma. E ela aceita

De Dilma Rousserra eu não espero mais nada de bom. Não bastasse em empreender seu governo corporativista descontentando a classe trabalhadora, os ambientalistas e as minorias demandantes de direitos integrais, ela agora descontenta os defensores dos Direitos Animais – ainda que, pelo que tudo indica, ela sequer saiba o que são Direitos Animais. Porque uma eleitora que havia votado nela em 2010*, que acredita que animais de estimação são objetos que podem ser vendidos, comprados ou dados de presente, a presenteou com um cãozinho filhote, provavelmente comprado de algum pet-shop.

O blog Social1 do NE10, de onde tirei tal notícia, ainda fala: “A cearense Márcia Diógenes soube na internet que existe um setor específico para as pessoas deixarem presentes [grifo meu], então, não pensou duas vezes e viajou para Brasília.” E, no final das contas, Dilma Rousserra aceitou o “presente” vivo, também acreditando que cães e gatos são objetos pouco mais que autômatos.

Isso me relembra que há uma demanda de que o movimento vegano-abolicionista se politize e funde um ou mais partidos, introduzindo nas câmaras municipais, assembleias legislativas e no Congresso Nacional, ainda que isso demande dez anos ou mais, o debate sobre a urgência de abolir a escravidão animal.

 

*Eu também votei nela, mas já me retratei publicamente por isso.

imagrs

1 comentário(s). Venha deixar o seu também.

Ruth Iara

fevereiro 16 2012 Responder

Dar um cão ou outro animal como presente é um costume que daqui a alguns anos vai parecer para a maioria muito ridículo. As novas gerações irão ler e achar muito estranho que isso tenha ocorrido. Assim também é estúpido arrancarem flores da terra para presentear alguém. É ridículo bijuterias e acessórios femininos com penas e hoje uma loja que as vendiam me causou uma sensação desagradável e sai da loja sem comprar nada que poderia ter comprado, pois deu vontade de sair dali logo. Falta conscientização a respeito destes agrados ridículos.

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo