14

fev12

Lola: o serviço militar obrigatório como subterfúgio dos machistas

Ontem Lola Aronovich, do Escreva Lola Escreva, escreveu um post muito bom sobre o serviço militar obrigatório e como ele vitima os homens que ainda hoje são obrigados a se alistar. Ela acrescentou uma informação que ainda faltava aqui no Consciencia.blog.br, a de que poucos são os que realmente são recrutados e aquartelados, mesmo entre aqueles que querem servir (como servos mesmo) às forças armadas. E acrescenta que os machistas usam a questão do serviço militar como uma desculpa para tentar atacar @s feministas.

Vale a pena ler cada linha do texto de Lola. O título dá a primeira impressão de que ela faria pouco caso da questão do serviço militar para homens, mas não é isso o que o corpo do texto nos mostra. Abaixo o trecho inicial do artigo.

 

Pobres homens obrigados a servir o Exército
por Lola Aronovich

Querido leitor homem, você prestou o exército? Na sua classe social, que provavelmente é classe média, muitos amigos seus foram obrigados a se alistar? Pergunto porque o “fator Forças Armadas”, digamos assim, é uma das principais críticas que não apenas mascus, mas machistas de todos os naipes fazem às feministas. Nós feministas não lutamos para que mulheres também sejam obrigadas a servir ao exército! Queremos manter esse enorme privilégio de que só os homens são enviados pras guerras. Ahn, que guerra, cara pálida?

Eu sou contra exército. Odeio hierarquias, então nem a pau vou ter respeito por uma hierarquia militar. Também odeio guerras. Acho que as Forças Armadas (que englobam, além do exército, também a marinha e a aeronáutica) podem ser úteis pra serviços comunitários, pra vigiar fronteiras (que eu, por mim, aboliria -– imagine there’s no countries), pra auxiliar em emergências (como em deslizamento de terras), até, talvez, pra manter a segurança em casos excepcionais (greves policiais, por exemplo). Mas pra tudo isso não seria necessário um exército. Que tal substituir o serviço militar por um serviço social obrigatório, válido para todos os brasileiros e brasileiras de uma certa faixa etária? Isso eu seria a favor.

Exército é uma das instituições mais patriarcais que existem. O bullying nas Forças Armadas corre solto. É um ritual tão arraigado quanto o trote em algumas faculdades. Muitos veem esse bullying como algo positivo -– você se torna um homem após passar por aquele inferno. Grande coisa. Na minha opinião, isso é péssimo. Sou contra violência como forma de educação para crianças, quanto mais para adultos. Não é desse tipo de homem que a sociedade precisa. Quando a gente critica a Polícia Militar, em parte é por causa do “militar”. Pra mim, uma polícia deveria ser humanitária. O que é o oposto de militar.

Leia o texto completo aqui

imagrs

9 comentário(s). Venha deixar o seu também.

rafa

maio 14 2014 Responder

nao deveria haver obrigatoriedade do serviço melecal

rafa

maio 14 2014 Responder

perfeito, lola!

só não podemos nos iludir de que possamos prescindir de militares retardados enquanto outras “nações” formarem os seus.

mas militares são mesmo o cu de uma nação – infelizmente, todo mundo tem cu, porque tem medo.

Guilherme

novembro 10 2013 Responder

“Odeio hierarquias”
Nota-se… Pessoas socialmente desajustadas são rebeldes por natureza e também odeiam hierarquias, começando pela dos pais e pela dos professores…

“Também odeio guerras”
Se os EUA não tivessem preparado as suas forças armadas para a guerra, estaríamos falando alemão agora, e ela, que tem sobrenome judaico, já teria sido exterminada junto com a sua família há muito tempo…

    Robson Fernando de Souza

    novembro 11 2013 Responder

    “Pessoas socialmente desajustadas são rebeldes por natureza e também odeiam hierarquias, começando pela dos pais e pela dos professores…” – Provas, fontes?

    “Se os EUA não tivessem preparado as suas forças armadas para a guerra, estaríamos falando alemão agora, e ela, que tem sobrenome judaico, já teria sido exterminada junto com a sua família há muito tempo…” – Não é simplesmente ser contra se defender em guerras, mas sim contra qualquer país iniciar uma guerra, seja ele uma ditadura ou uma “democracia liberal”.

Marcos

setembro 20 2013 Responder

Comentário antifeminista apagado. Aqui não é lugar pra quem diz “nem machismo nem feminismo”. RFS

pizza

fevereiro 20 2013 Responder

Também não gosto de exército, mas sejamos realistas… um país não pode ficar sem exército. Não existe isso de não existir fronteiras.. Portanto se homens são obrigados a prestar serviço militar, as mulheres também deveriam.

    Robson Fernando de Souza

    fevereiro 20 2013 Responder

    Cada vez me convenço mais de que forças armadas são um problema inerente aos Estados, sejam eles antigos ou modernos. A abolição de forças armadas acaba tendo que passar pela abolição de fronteiras e Estados também – essa realidade é possível, mas vai ser preciso antes muita caminhada pro amadurecimento ético da humanidade.

Hutt

janeiro 24 2013 Responder

A lot of bulshit! Serviço Militar é só pra quem tem fibra meu caro, é Fibra de Hérois!!!

    Robson Fernando de Souza

    janeiro 24 2013 Responder

    Prefiro ser herói por meios humanistas, e não pegando em armas e aprendendo a ser robô de oficiais.

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo