23

mar12

Guest Post: Precisamos revolucionar as massas

Abaixo um texto muito interessante do meu irmão de consciência Fernando Fontenla, alguém muito desejoso de dar sua parte ao ativismo vegano-abolicionista. Vale lê-lo e pensar que uma juventude esclarecida e politizada em favor dos Direitos Animais pode não ser apenas um sonho inatingível.

 

Precisamos revolucionar as massas
por Fernando Fontenla

A classe dominante tem interesse em uma população psicologicamente letárgica. Nós precisamos fazer tudo o que estiver em nosso poder para acordar as massas, para desaprisionar suas mentes para que eles mesmos possam se libertar. Precisamos de cada método imaginável para fazer as massas questionarem os mitos da elite pecuarista e as regras do capitalismo. Precisamos destruir a noção geral de que não há esperança em uma luta pela justiça. É hora dos cidadãos se tornarem revolucionários. É hora de fazer as massas acordarem desta hipnose drogada que as elites inventaram para manter o controle.

Nós precisamos nos levantar, nós precisamos irritar, nós precisamos agitar, nós precisamos dar espaço aos instintos revolucionários dos nossos companheiros. Nós precisamos parar de tentar ser discretos e cautelosos e começar a ativamente estimular desejos revolucionários.

Aqueles que dizem que as massas devem ser deixadas à própria sorte são os agentes dos magnatas tentando controlar a população. Aqueles que dizem que é antidemocrático alimentar a revolução são os cães do sistema. Nós devemos fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para acordar nossos irmãos e irmãs, nossos colegas cidadãos. Nós precisamos encontrar métodos eficientes de agitação, de esclarecimento, de mobilização e de organização.

Devemos fazer tudo o que formos capazes para transformar os observadores em participantes da revolução dos movimentos sociais. Sim, porque o verdadeiro veganismo busca a libertação de todas as criaturas sencientes, tanto as humanas quanto as não-humanas. A massa na rua, protestando, é a própria essência do povo em comunidade. Não devemos desprezar a massa de modo algum, precisamos mobilizar e recrutar mais gente para o movimento. Nós precisamos motivar as massas tanto disponibilizando literatura vegana quanto através de instrumentos sociais. É preciso energizar o povo.

O povo está no coração de cada pessoa que lute por uma causa nobre, vide Martin Luther King, Mahatma Gandhi, etc. Ignorar as massas tornaria o movimento vegano em um show de horrores já que ninguém vira ativista por um desejo de ser herói. Fazer isso para se aparecer iria fazer com que os nossos inimigos estejam certos quando dizem que os ativistas desejam apenas satisfazer seus egos.

Na verdade é o contrário, lutamos pelo bem dos outros e não por nós mesmos. Eu não preciso ser um touro para defender os bovinos assim como não é preciso ser negro para ser contra o racismo.

Nós precisamos transformar os observadores passivos em participantes ativos. Como? Mobilizando eficientemente os outros! Está na hora da causa vegana se tornar um movimento genuinamente popular em vez de uma convenção da nata intelectual dos ativistas. É hora de fazer ações sociais e políticas abrangentes! Nos últimos dez anos o número de veganos dobrou graças à internet, precisamos continuar crescendo e pensando grande! Vamos ativar 5% da população, depois 10% e assim por diante sempre buscando números cada vez mais altos.

A revolução não é querer se diferenciar dos outros como um herói rebelde, é tornar o povo uma força de libertação! É preciso encorajar tantas pessoas quanto possível para que elas possam participar da ação política direta, já que a representativa simplesmente não funciona. Sim, veganismo é empoderar o povo em uma verdadeira democracia.

É hora de agitar as mentes das massas para que a resistência diante da opressão se torne um objetivo comum a todos. Chega de egoísmo e vaidade, chega de lei de Gérson, chega de “antes ele do que eu”, chega de “pimenta no olhos dos outros é refresco”. Vamos deixar tudo isto de lado para construir um movimento que atraia milhões em vez de dúzias.

A esquizofrenia moral é uma doença e educação vegana é a cura! Os jovens são cheios de energia e é hora de colocar esta energia em ação pelo avanço do veganismo. Quem é contra isso ignora a lavagem cerebral que as corporações fazem nas crianças desde o seu nascimento.

É hora de fazer a revolução viver no diálogo entre os jovens. É hora dos jovens discutirem política e revolução em vez de videogames e campeonatos de futebol. É hora de desenvolver métodos que permitam aos nossos jovens terem a chance de se tornarem na vida adulta algo mais do que consumidores e escravos assalariados. É hora de construir uma sociedade onde os jovens sejam vistos como cidadãos criativos em vez de ratos de shopping center dominados pelo consumismo. É hora de desenvolver estratégias e sistemas de comunicação que atraiam e respeitem os jovens.

Os jovens são tão interessados em mudança política quanto qualquer um, é a mídia de massa que os rotula como acéfalos. Os jovens são o coração de qualquer movimento de resistência contra a opressão, nós não podemos avançar sem eles. Os jovens de hoje são os revolucionários de amanhã e é vital construir uma fundação sólida para que isto aconteça. Diga aos jovens para ler livros sobre política e veganismo em vez de histórias de bruxinhos ou vampiros. Diga aos jovens que a felicidade não está no cinema ou no fast food, mas na luta pela liberdade e justiça.

É hora de parar de ignorar os jovens e passar a mobilizá-los, nos comunicar com eles levando em conta os seus sentimentos. É hora de usar a energia criativa dos jovens para reforçar a revolução em vez de reforçar marcas de corporações gananciosas.

imagrs

Seja a primeira pessoa a comentar

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo