31

mar12

Um papa que não tolera o ateísmo

É de se perder a conta de quantas notícias ao longo dos últimos anos mostraram o papa Bento XVI em um discurso qualquer difamando e caluniando o ateísmo e a cultura secular, desprovida do apego ao Deus do cristianismo. É muito frequente vê-lo acusar a “sociedade (ou cultura) sem Deus” ou a “ausência de Deus” de ser algo atroz e problemático, numa amostra de que ele não tolera o ateísmo e o secularismo que crescem nas sociedades de tradição cristã desde o Iluminismo.

Eis alguns exemplos da intolerância antissecular e ateofóbica do papa:

08/09/2007: “O papa Bento XVI disse […] que o futuro da Europa será sombrio com a diminuição da natalidade e uma rejeição aos valores tradicionais e a Deus.”
06/10/2008: “O pontífice disse que a falta de Deus na cultura moderna resulta em uma sociedade mais confusa e dividida, levando nações a perderem a sua identidade. Há quem, ao decidir que Deus está morto, se declare deus e dono absoluto do mundo.”
07/07/2009: “’Sem a perspectiva de uma vida eterna e sem Deus, o desenvolvimento é negado e desumanizado’, escreve Bento 16.”
14/05/2010: “Sem Deus, o ser humano não sabe para onde ir e não consegue sequer compreender quem seja.”
16/09/2010: “Depois de criticar o ‘extremismo ateu’, ele [o papa] elogiou a atuação dos britânicos na Segunda Guerra Mundial porque ‘se opuseram a uma tirania nazista que pretendia erradicar Deus da sociedade’”.
18/08/2011: Bento XVI pede “que os jovens evitem uma ‘existência sem horizontes, uma liberdade sem Deus’”.

Ironicamente o mesmo papa inimigo do ateísmo chamou os ateus, no ano passado, para uma cerimônia ecumênica. Aí é de se perguntar qual é a real dele, o que ele quer com os ateus cuja descrença ele vive achincalhando e tratando como um paradigma maléfico. Seria humilhá-los, numa versão light do antigo Tribunal do Santo Ofício? Ou posar de bonzinho e plantador do diálogo entre as religiões – mesmo o ateísmo não sendo uma religião – para depois esquecer tudo e voltar a descer o sarrafo nas crenças e descrenças não católicas?

Toda vez em que ele fala alguma besteira sobre o ateísmo e a secularização da sociedade, ele queima progressivamente o filme da sua Igreja e do próprio catolicismo perante o universo de ateus, e aumenta ainda mais os motivos para estes repudiarem a entidade Igreja Católica não só em seu passado, mas também em seu presente. Já que não pode mais invocar o Estado para executá-los, resta ao pontífice difamá-los perante os fiéis que ainda restam, principalmente com o objetivo presumível de controlar os católicos praticantes pelo medo de largar a ICAR e o cristianismo.

O papado está perdendo seu poder político e mesmo espiritual, mas ainda é um formador de opiniões, queiram os não católicos ou não. E a opinião que ele vem formando é carregada de um tremendo preconceito contra os ateus e a sociedade secular. Por isso, toda mobilização dos ateístas contra a intolerância que sofrem deverá, desde já, protestar contra Bento XVI (e os papas que o sucederem e repetirem tal comportamento preconceituoso).

imagrs

11 comentário(s). Venha deixar o seu também.

Nini Longo

fevereiro 18 2013 Responder

Na verdade, acredito que a crítica feita é um pensamento de imaturidade religiosa, o Santo Papa não demonstra “preconceito” contra os ateus, e sim preocupação com o ateísmo, com um mundo sem limites, sem certo ou errado que caminha para o abismo devido à falta de valores que vem sido cultivada pela sociedade atual. E ao realizar uma reunião ecumênica, ele apenas está cumprindo com seu papel de pai e pastor, ungido por Deus, e não apenas para os cristãos, mas para o mundo, ele os trás para perto de si, e por consequência para perto de Deus, e é essa a maior beleza de sua vocação, a humildade.

    Robson Fernando de Souza

    fevereiro 18 2013 Responder

    “e sim preocupação com o ateísmo, com um mundo sem limites, sem certo ou errado que caminha para o abismo devido à falta de valores que vem sido cultivada pela sociedade atual.” – E isso não é um preconceito contra o ateísmo (e, por tabela, contra os ateus, acusados de serem desprovidos de limites morais e vazios em valores)?

Antiteísta Netto

janeiro 24 2013 Responder

Além disso, faz o Brasil de cobaia porque antes do “encontro da juventude católica delirante” irá tornar “santa” a “odetinha” para Abafar a Pedofilia e o Roubo resultante das doações fascistas e uma vez aqui em terras tupiniquins irá ter o “aval” da Presidente Dilma que irá orar obediente ao invés de se impor como Chefe de um Estado que se diz “laico”.

Mariane

julho 17 2012 Responder

Homem ridículo, que deus tenha piedade dele! u.ú

Raphael almeida

março 31 2012 Responder

Robson, sabe quantas pessoas morreram na União soviética e na China , onde predominavam ideologias onde o ateísmo era uma das principais bases , one não se podia construir uma igreja : 30 milhões na União soviética e 70 milhões na china .Ai eu te pergunto o que é mais danoso a sociedade

    Robson Fernando de Souza

    março 31 2012 Responder

    Conta outra, ok? Aqui não tô acusando religião nenhuma, mas sim denunciando o preconceito do papa contra o ateísmo (que você também tá parecendo ter).

    Branca

    abril 1 2012 Responder

    E o Nazismo matou como 20 milhões e era cristão, sem contar as inúmeras guerras santas, cruzadas e genocídios causados por interpretações do Cristianismo. E a religião é nociva por causa disso? Não. O homem é nocivo.

    É verdade que muitos cristãos (e outras religiões) foram perseguidos e mortos durante os regimes totalitaristas. Isso acaba com a liberdade religiosa. No entanto, também há liberdade para não crer em nada. E tudo bem.

    O que o Robson critica são as declarações do papa, que parece entender que apenas as pessoas com fé tem merecimento e que todos os problemas do mundo se todo mundo fosse cristão, o que não é verdade.

    Robson Fernando de Souza

    abril 1 2012 Responder

    E só lhe digo uma coisa: leia mais livros de História e menos vlogs ultrarreacionários.

    Felassis

    março 6 2013 Responder

    Cara qualquer ideologia que é implantada a força é prejudicial a sociedade, nao so estou falando sobre ateísmo x catolicismo e´qualquer ideologia!!! Seguindo a sua linha de raciocínio, os crimes cometidos nesses países comunistas automaticamente releva os crimes cometidos pela igreja!! q linha de pensamento lógico vc segue???Pq eu naõ estou vendo nehuma!!

Branca

março 31 2012 Responder

Olha, ele perde credibilidade até diante de nós, católicos. Dá muita vergonha.

Posso ser católica, mas não sou uma ovelha (desafiando a metáfora, HAHAHAH!): sei perfeitamente que ele foi posto pra ser papa porque já controlava tudo antes de JP II morrer. ei perfeitamente o que é a política. Mão de Deus acho que seria mesmo se fosse OUTRA pessoa escolhida. Ele é um reacionário, que afoga qualquer impulso renovador da Igreja, como o que eu tento fazer: igualdade para as mulheres, aceitação da homossexualidade como algo normal, não-demonização das mulheres que fazem o aborto – com sua descriminalização e inclusive sua legalização (se dentro de um plano mais abrangente, que não convém mencionar agora) -, curiosidade e compreensão reais com relação a outras culturas e religiões, etc etc etc e tal.

Aí vem o Palpatine (sim, eu chamo o sumo-sacerdote da minha igreja de Palpatine, precisa ver a cara do meu confessor XD) e ajuda a queimar nosso filme, quando o motor na nossa religião em relação ao mundo é de amor ao próximo e fé, que nós conseguimos espiritualmente mas TAMBÉM com ações (a oração é pra todas as horas, e a ação, também).

Ai, JP I, por que você teve de morrer…?

    Fernando Soares

    junho 17 2013 Responder

    Seja uma católica coerente! A Igreja nunca mudará sua doutrina, isso é algo extremamente óbvio. Nem faz sentido, a não ser que você tenha uma concepção evolucionista de “verdade” (depende do tempo e época, podemos reformar dogmas, blá blá blá)

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo