08

maio12

Resposta às matérias da Superinteressante “E se…” sobre vegetarianismo e “cadeia alimentar”

Vêm repercutindo no Facebook, a efeito retardado, três reportagens lançadas pela Superinteressante em anos distintos, da série “E se…”, que tocam no assunto vegetarianismo.

A primeira, intitulada E se… fôssemos vegetarianos?, foi publicada na edição de outubro de 2003. A segunda, intitulada E se a gente parasse de comer carne?, em abril de 2011. A terceira, E se não estivéssemos no topo da cadeia alimentar?, em fevereiro de 2012. Tais matérias são carregadas de tendenciosidade, muito rasas quando um mínimo de profundidade é requerido, negligenciam fontes pró-vegetarianas e priorizam ao máximo fontes ligadas à pecuária e à indústria da carne. Não é à toa que muitos vêm acusando-as de serem reportagens compradas pelos pecuaristas e por empresas frigoríficas.

Comento nas imagens abaixo, dentro dos próprios prints, cada texto, na linguagem tipicamente utilizada no tumblr Vegetariano da Depressão (os prints foram publicados originalmente lá). Clique em cada imagem para vê-las no tamanho completo.

 

imagrs

4 comentário(s). Venha deixar o seu também.

fabio

outubro 17 2012 Responder

Olá Robson.
Achei alguns comentários seus pertinentes, mas outros já puxam pelo lado do fanatismo vegetariano. Há algum tempo vi um documentário no national geographic falando sobre a origem do homem e infelizmente não tenho gravado para informar as fontes, mas tratava-se mais ou menos do que o autor comenta sobre a evolução do ser humano após consumo de carne. Houve um grande período de estiagem e o alimento alternativo foi tutano de osso. Encontraram ferramentas para quebrar carcaças de animais. Depois encontraram ferramentas para corte (açougueiros primitivos) e só muito tempo depois, que desenvolveram inteligência para caça. Para caçar é necessário ter estratégia e grau maior de inteligência.
Vários estudos demonstram os efeitos causados pela alimentação com proteína.
O autor apenas fez suposições. Não achei necessário tanto radicalismo na resposta. Cada um tem sua opinião. Eu não sou cientista para afirmar que isso ou aquilo é 100% verdadeiro. Você é? Um cientista de verdade está sempre aberto a mudar de opinião se novos fatos forem mais convincentes.
Também sou ateu, mas não prego a desevangelização. Algumas pessoas precisam de algum tipo de fé como regulador moral e se eu tirar isso, a pessoa pira.
Se você é vegetariano, é uma opção sua. Particularmente eu sou contra, mas não vou sair por aí pregando fanatismo.
Sei que nem todos os vegans se baseiam na soja como principal fonte de alimento, mas sou totalmente contra consumo de soja para homens, principalmente crianças por causa dos fitoestrógenos.
Cada um é cada um.

    Robson Fernando de Souza

    outubro 17 2012 Responder

    E por que alguns argumentos “puxam pelo lado do fanatismo vegetariano”?

    E você acredita que alimentação é mera questão de opção, mesmo ela implicando a matança de bilhões de animais ao ano e destruição ambiental que nenhuma outra atividade promove, e que contrariar a coisa da opinião é fanatismo?

Dani

setembro 9 2012 Responder

Comentário grosseiro e preconceituoso (generalizante) apagado. Comente com civilidade da próxima vez. RFS

Nicole M. Ripka

maio 8 2012 Responder

Boa noite Robson!

Estou entristecida com a situação! Uma revista de renome como a Superinteressante publicar artigos tão ofensivos com relação ao vegetarianismo, contendo informações insolentes e persuasivas, artigos comprados por àqueles que visam apenas o lucro, sem se importar com as vidas e os danos causados ao meio ambiente, que muitas vezes são irreversíveis.

Não me conformo, vou enviar um email repudiando a posição deles, não porque sou vegana, mas porque seus argumentos deveriam ser no mínimo sensatos com relação a nós, que já somos excluídos, isso sem contar que a maneira que o assunto foi abordado foi humilhante! Me senti como um extraterrestre… Dados concretos não foram apresentados, não houve sequer chance de debate para quem é vegetariano, apenas um lado da moeda nos foi apresentado, e infelizmente isso dará aos “carnistas” mais um argumento errôneo para se gabarem de sua posição com relação aos animais.

Eu não tinha conhecimento desses artigos, porque se os tivesse, com certeza já teria entrado em contato através do fale conosco muito antes! Mas bem, irei com certeza contestar a altura por tais ofensas publicadas equivocadamente nas matérias.

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo