05

jun12

Florianópolis: lojas de luxo estão vendendo objetos de peles para o inverno

Colete de pele de coelho, vestindo a manequim à direita, à venda na loja Pax Rio Style. Foto: Divulgação

Com a proximidade do inverno, diversas lojas de moda de luxo de Florianópolis começaram a vender artigos feitos de peles de animais. Tenta-se unir proteção contra o frio com “luxo” e “glamour”, mas esquecendo que tais itens foram feitos sem qualquer ética e com violências indescritíveis contra os animais que tinham aquelas peles em seus corpos.

Segundo denúncia que me foi passada através de e-mail enviado à ANDA, a loja Mix Urbano está vendendo botas Schutz com pele de coelho; as lojas Pax Rio Style estão oferecendo coletes também feitos com pele de coelhos; a Makenji vende peças variadas com pele de guaxinim; e a Pietra está expondo em sua vitrine uma estola de pele de raposa.

E a mesma denúncia afirma que M. Officer e Le Lis Blanc também pretendem continuar vendendo objetos de pele, além de que a Arezzo, mesmo tendo anunciado a público que não iria mais comercializar itens do gênero, teria repassado todo o estoque da sua coleção de peles de 2011 para a Schutz.

Botas de pele de coelho da Schutz à venda na loja Mix Urbano. Foto: Divulgação

Essa indústria de violência e morte não deve passar fora do olhar dos defensores dos animais. Deve-se protestar o quanto antes.

Os protestos devem ser enviados aos seguintes e-mails:
sac@mofficer.com.br (M. Officer)
sac@m5textil.com.br (também da M. Officer)
schutz@schutzonline.com (Schutz)
atendimentoonline@lelis.com.br (Le Lis Blanc)
contato@lojaspax.com.br (lojas Pax Rio Style)
mixurbano@mixurbano.net (loja Mix Urbano)
pietra@estilopietra.com.br (loja Pietra)

Para a Makenji, as mensagens de repúdio devem ser enviadas por meio deste formulário de contato.

imagrs

2 comentário(s). Venha deixar o seu também.

Jesiel

junho 5 2012 Responder

Foi só aqui que as imagens não apareceram?

    Robson Fernando de Souza

    junho 5 2012 Responder

    Consertei agora.

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo