16

jun12

Nova página estática: resposta ao artigo carnista “Os mitos do vegetarianismo”

Terminei agora há pouco a refutação àquele que pode ter sido o maior artigo carnista da internet ainda não refutado em língua portuguesa. Trata-se do artigo Os mitos do vegetarianismo, do falecido naturopata Dr. Stephen Byrnes, escrito em inglês em 2000 e traduzido para o português não sei quantos anos depois.

O texto de Byrnes comete diversas falácias – em especial falácias do espantalho na consideração de alguns “mitos” do vegetarianismo -, incide em preconceito quase o tempo todo, usa dados obsoletos, manipula dados e usa de ceticismo seletivo – ao questionar a suposta não consideração de fatores de risco paralelos em pesquisas que criticam o consumo de carne e/ou defendem o vegetarianismo mas não falar nada sobre a mesma possibilidade de haver variáveis paralelas nas pesquisas que defendem a carne.

O texto foi respondido à maneira do Vegetariano da Depressão: com tiragem de prints e edição dos mesmos com comentários meus em vermelho. Cliquem no link abaixo para acessar a página estática, onde estão os prints respondidos:

Resposta à tradução do artigo de Stephen Byrnes “Os mitos do vegetarianismo”

imagrs

2 comentário(s). Venha deixar o seu também.

ruthiar

junho 16 2012 Responder

Muitas pessoas precisam de uma autoridade para dizer que o que elas fazem está certo.

Se eu for num médico ou nutricionista um dia para cuidar da minha alimentação quando eu mesmo cuido disso, vou escolher profissionais vegetarianos ou veganos para essa tarefa ou ao menos profissionais que respeitem minha maneira de pensar.

Faço escolhas sempre que possível e libertar os animais é uma escolha para quem queira fazê-lo. Quem quizer ser vegetarianos e deseja a libertação dos animais vai buscar literatura que dê apoio neste sentido.

Parabéns, mais uma vez, Robson ! Para aquelas pessoas que levam muito em consideração o que qualquer médico diz este artigo pode desmistificar uma camuflagem científica com premissas falsas corroborando intensões egoicas. Sim a intensão de comer carne de seres vivos que sofrem, são ofendidos e até mesmo muito magoados é egoísta, pode levar ao prazer e não leva a felicidade. Leva a diversas doenças e por isso mesmo a tendência da Medicina tradicional e aconselhar a consumirem cada vez menos carnes e laticínios que causam câncer próstata e de mamas, sem falar em constipação e obesidade.

Fica a dica para todos os brasileiros considerarem o arroz com feijão sempre presente no prato nem que seja uma vez por semana.

tuia

junho 16 2012 Responder

Velho, nem dei a menor moral pro texto dele. Começou falando que vegetarianismo é “coisa de religioso” (beeela argumentação nada preconceituosa…), e depois criticou o mesmo baseado na bíblia! Acho que nem os mais “carnívoros” conseguiriam ler sem achar falso.

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo