13

ago12

Desmentindo imagens antirreligiosas preconceituosas: de novo “religião vs. ciência”

Uma outra imagem preconceituosa, que queima o filme dos ateus, foi vista por mim no Facebook recentemente:

Nada mais falacioso e ateo-cristocêntrico. A mensagem é inválida porque:

a) comete a falácia de dizer que milhares de anos de reinado das mais diferentes religiões politeístas nos mais diferentes recantos do mundo, de princípios muito diferentes do fundamentalismo cristão, teriam levado a humanidade a uma era de obscurantismo católico na Europa;

b) distorce a cronologia da Ciência, ignorando tanto que o modelo moderno hoje vigente de ciência tem não 200, mas mais de 400 anos, alicerçado pelos instrumentos de Galileu Galilei e pela modelação da Ciência Moderna por nomes como Francis Bacon e René Descartes, como que a Ciência em si existe há milênios – tendo inclusive passado sem grandes arranhões pela dominação católica da Europa na Idade Média -, ainda que tenha mudado de forma e de métodos ao longo desse tempo;

c) recorre à dicotomia conflitiva “religião X ciência”, que só faz sentido quando está em jogo o fundamentalismo cristo-islâmico, não tendo existido, por exemplo, nas civilizações politeístas do passado (maias, astecas, persas, mesopotâmicos, chineses, egípcios, romanos, gregos etc.) ou na era dourada do islamismo (entre os séculos 8º e 13);

d) a tecnologia que levou o ser humano à Lua tem alicerces científicos muito anteriores aos “200 anos” a que a imagem se refere, tendo ganhado suas bases, para se estipular uma antiguidade mínima, desde Galileu Galilei e suas observações astronômicas;

e) confunde maliciosamente religião com fundamentalismo religioso;

f) como toda “boa” imagem neoateísta, generaliza os males do fundamentalismo medieval católico a todas as religiões existentes, mesmo aquelas que existiam milênios antes do surgimento do cristianismo e as religiões modernas que buscam ao máximo a conciliação com a ciência – e acabam sendo muito atrapalhadas pelo reacionarismo neoateu;

g) deixa a entender, de forma mais que equivocada, que o império das “religiões” teria sido completamente extinto há 200 anos e, nessa época, teria sido imediatamente elevado à hegemonia um “império da ciência”, ignorando que ciência e religião até hoje coexistem, havendo conflito entre a ciência e o fundamentalismo religioso, e não da ciência contra as religiões em geral;

h) esquece que muitos religiosos do passado foram grandes cientistas, sendo o caso mais conhecido o de Isaac Newton, detalhe que invalida o “fato” de que religião só faz atrapalhar a ciência;

i) recorre ao há muito abandonado dogma positivista de distinção “evolutiva” entre, seguidamente, a “era teológica”, a “era metafísica” e a “era positiva/científica”.

Essa mensagem-imagem novamente mostra como falta a muitos neoateus noções de História – incluindo a própria História da Ciência -, Antropologia e Sociologia. E, assim como as demais imagens criticadas pela sequência de posts Desmentindo imagens antirreligiosas preconceituosas, acaba realçando um defeito que muitos religiosos podem passar a acreditar que os ateus em geral possuem: o de inventar argumentos falaciosos e descabidos para tentar combater as religiões e impor uma sociedade totalmente ateísta.

Assim, novamente o neoateísmo acaba contribuindo para aumentar o preconceito religioso contra os ateus, ao criar um novo estereótipo negativo para nós. Não bastasse sermos taxados de amorais, demoníacos e depressivos, ainda seremos vistos como mentirosos, desonestos e credofóbicos.

imagrs

1 comentário(s). Venha deixar o seu também.

vinícius h

agosto 13 2012 Responder

Ótima análise. É sempre bom ver que nem todo Ateu é um Neoateu anti-teísta reaça. Seus posts sobre ateísmo me fez perder preconceitos contra ele.

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo