07

ago12

[OFF] Nacionalismo + fascismo + Olimpíadas = crianças escravizadas e torturadas para serem atletas

Atualizado em 10/08/12 às 15:57

Desde a época do Consciência Efervescente, lá por 2009, eu não falava do regime chinês e das atrocidades que ele comete – e perante as quais o mundo convenientemente se cala, já que, se a China cortar os laços com o Ocidente, a economia dele desaba. Mas já que aqui eu posto às vezes assuntos off-topic, fora dos temas principais e secundários do Consciencia.blog.br, venho repercutir um assunto que já vem tendo uma força nas redes sociais.

A China hoje posa como potência olímpica, revezando a liderança das medalhas com os Estados Unidos. Mas isso é a um custo altíssimo: num estilo que faz o treinamento dos Cavaleiros do Zodíaco parecer brincadeira, as crianças são tomadas como propriedade do Estado fascista chinês, escravizadas, torturadas, espremidas além do limite de suas capacidades físicas e emocionais, para se tornarem “gloriosos atletas olímpicos” em prol do engrandecimento nacionalista do Estado chinês.

Imagens e descrições verbais absurdas podem ser vistas no portal do Daily Mail. Entre elas, uma menina que não parece ter 6 anos de idade chora de dor ao ter suas perninhas pisadas por uma enorme perna de homem, de modo que suas articulações se tornem flexíveis e ela se torne apta a se tornar uma ginasta medalhista. Enquanto isso, diversos meninos também aparentando 5 ou 6 anos são forçados a se pendurar com as mãos numa parede de barras horizontais paralelas e esticar as perninhas.

Abaixo, um trecho traduzido da reportagem do Daily Mail:

[…] enquanto as técnicas de treinamento parecem extremas aos olhos ocidentais, elas nos revelam por que os atletas da China [sic] em Londres-2012 parecem tão facilmente capazes de nadar, mergulhar, emergir e atirar-se no caminho rumo à vitória.

As estrelas da ginástica olímpica são conhecidas por começar [a treinar] numa idade incrivelmente tenra, e esse grupo de cranças não parecem diferir umas das outras ao batalharem para completar as rotinas demandadas nas barras, nas argolas e no solo.

A meninos e meninas que parecem não ter mais que cinco ou seis anos são dadas as tarefas de se mexer nas barras, se pendurar em pares de argolas e fazer piruetas no solo durante as rigorosas sessões de treinamento.

As crianças da mesma escola de treinamento estarão com esperanças de emular o sucesso da sensação da natação de Ye Shewin, 16, que entrou para os livros dos recordes na noite do último sábado [dia 28 de julho].

Só em janeiro deste ano fotografias aterrorizantes foram postadas na internet, mostrando crianças chinesas chorando de dor ao serem postas para trabalhar.

No caso de se esquecerem por que estão ali, uma grande placa na parede os lembra. “OURO”, simplesmente, é o que está escrito ali.

Geralmente lhes é ensinada por repetição a responsabilidade de que sua missão em vida é superar os americanos e os atletas de todos os demais países e chegar no topo do pódio.

Os pais das crianças as enviam para esses centros de exploração infantil, tudo indica que alienados e hipnotizados pela propaganda nacionalista do regime ex-socialista chinês, que “ensina” aos chineses submissos à ditadura que vale tudo, até mesmo explorar e torturar crianças, para fazer a “gloriosa China” prevalecer como superpotência inclusive olímpica e dar a ilusão de superioridade dos chineses sobre o restante da humanidade.

E o blog Page Not Found, subordinado d’O Globo, escancara outros absurdos mais. Conforme se denuncia ali, há alienação familiar total, de modo que os pequenos, mesmo já adolescentes, atletas e medalhistas, não tenham sequer o direito de visitar a família. Pais e mães se desesperam por não poderem ver seus filhos. Nem os jovens são permitidos de saber como está a família – há casos em que familiares ou parentes morreram ou estão gravemente enfermos mas os atletas não sabem. Afinal, para o regime fascista chinês, esses jovens não têm mais pai e mãe, e sim apenas um proprietário – o Estado.

E o PNF confirma o que denuncio aqui, sobre a escravidão de crianças e adolescentes com fins políticos:

As principais estrelas deixam de ser filhos e irmãos e passam a ser armas do Estado, que tenta mostrar uma China forte na política, na economia e no esporte – um trinômio que garantiria a Pequim hegemonia mundial.

Porém, substituir armas do Estado por escravos do Estado vai dar no mesmo resultado.

Isso é o que dá juntar fascismo, nacionalismo e esporte. O esporte deixa de ter sua natureza de atividade saudável, lúdica e inspiradora e passa a se tornar um meio de se escravizar crianças e adolescentes em nome da “grandiosidade” da “mãe pátria”, do Estado ditatorial que os controla. Não são atletas que querem estar ali para sua própria glória e para voluntariamente darem orgulho aos seus compatriotas, mas sim escravos de um regime totalitário, a serviço do fascismo de seu país.

E o agravante é que isso é simplesmente irrelevante para o Comitê Olímpico Internacional, tal como a corrupção nos países-sede das Copas do Mundo é algo que a FIFA, ela própria mergulhada em casos internos de corrupção, despreza.

Tenta-se assim a torcer pelos EUA de modo que não deixem a China liderar o quadro de medalhas, mas lembremos que esse outro país também não é nenhum santo, nenhum “herói do mundo”. No mais, temos no topo desse quadro um regime fascista que sonha em obter a dominação geopolítica do planeta e um Estado que classicamente impõe sua força destruidora ao mundo por vias corporativas e militares.

Eu sinceramente prefiro um país como o Brasil, parco em medalhas mas que pelo menos não explora meninos e meninas em ginásios, a uma China que escraviza e tortura crianças tão pequenas por causa de um nacionalismo fútil que acoberta ou mesmo legitima opressões esmagadoras.

imagrs

2 comentário(s). Venha deixar o seu também.

Carlos

agosto 8 2012 Responder

Oi Robson, passei na avenida Caxangá hoje, na altura do Colégio Pio XII. Pois bem, simplesmente a prefeitura detonou mais de 10 árvores antigas. No mínimo de uns 50 anos de idade.

Valeria a pena tirar umas fotos e fazer um post. Esses picaretas do PT não têm noção nenhuma de preservação ambiental.

Abraço.

    Robson Fernando de Souza

    agosto 8 2012 Responder

    O ruim é que não sei onde é, nem tenho foto das árvores quando tavam em pé.

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo