30

set12

Desmentindo imagens antirreligiosas preconceituosas: Ateus (não) falando de Deus?

Flagrei ontem uma imagem que tenta defender os (neo)ateus da acusação de falar do Deus cristão o tempo todo. Mas, nessa tentativa de defesa, acaba incidindo numa sonora falácia do espantalho mista com distorção de fato, além de evidentemente ofender cristãos e, de certa forma, pagãos.

Em primeiro lugar, é claríssima a ofensa contra os cristãos em geral, xingados de “crentelhos” (crentes pentelhos) e também generalizados como se todos os cristãos atribuíssem os fenômenos naturais exclusivamente a Deus e recusasse explicações científicas. E também é evidente a redução ao simplismo da visão cristã sobre os fenômenos, como o arco-íris – que, em vez de ser colocado como, por exemplo, a lembrança de Deus à humanidade sobre o acordo feito com Noé para que não houvesse mais um novo dilúvio global, foi simplesmente “explicado” como “É Deus”.

Em segundo, a comparação do “É Deus” cristão com as explicações de algumas crenças pagãs soa maliciosa. É como se os cristãos, ao contrário dos pagãos, não tivessem uma forma mitológica complexa de explicar os fenômenos, e como se a crença baseada na Bíblia não tivesse qualquer complexidade. Alguém preconeituoso contra pagãos poderia usar o mesmo recurso reducionista para rebaixar as crenças pagãs, como dizer sobre os vulcões que “É o Deus do Fogo” ou “É Hefesto”, ou falar que o relâmpago das chuvas “É Zeus” ou “É Odin”.

Como foi dito, a imagem pode soar ofensiva também aos pagãos, uma vez que tenta unificar dezenas de religiões diferentes numa só série de explicações metafísicas – lembremo-nos que “pagão” e “paganismo” são termos guarda-chuva para designar crenças distintas das religiões abraãmicas e dhármicas, não são nomes para uma religião específica e seu seguidor. Alguém chamado “pagão” é na verdade um wiccano, um asatruar, um tengriista, um xamanista, um animista, um helenista, um dianista, um cultuador de Ísis, um kemetista, um odinista, ou um adepto de uma outra religião pagã específica.

E o mais importante: a falácia do espantalho, que invalida por inteiro a mensagem da imagem, está em passar a impressão errônea de que os cristãos estariam acusando os ateus de falar muito de Deus por estes lhe atribuirem os fenômenos naturais. Isso quando na verdade os (neo)ateus falam muito do Deus cristão quando criticam a ele e às suas falhas bíblicas (como suas contradições, omissões e absurdos morais). E essas menções negativas a Deus vêm acontecendo numa frequência tão grande na internet que a acusação dos cristãos é sim verdadeira.

E uma curiosidade a mais é que a figura passa a impressão de que os ateus usariam essas explicações científicas, seja lá a quem for, todas as vezes em que arco-íris, ciclones, erupções vulcânicas e maremotos acontecem, o que logicamente não faz sentido.

Combater preconceito com mais preconceito é algo que tira de muitos ateus a moral e razão em exigir que a sociedade deixe de discriminá-los e maltratá-los. E ironicamente é algo que os torna ainda mais suscetíveis a serem preconceituados, como pessoas arrogantes e credofóbicas.

imagrs

2 comentário(s). Venha deixar o seu também.

PAULO

junho 10 2013 Responder

Eu já desisti de tentar uma conversa saudável com um crente, pois é fácil demais defender algo imaginário que tanta gente segue e com tanto fervor, acaba sobrando argumentos de relatos (que não são fatos) e têm isso como verdade. Mas deve ser muito chato ficar defendendo um ser imaginário sem nunca tâ-lo visto, né?! Mas, enfim, não vejo nenhum argumento falacioso nessa imagem, ela simplesmente ilustra o argumento do deu$ das lacunas. Deu$ é cada vez mais um saco vazio de ignorância científica. Acredito que vc estará vivo qdo conseguirmos explicar de onde viemos e pra onde vamos, vai ser chocante, mas enquanto não conseguirmos provar que unicórnios cor-de-rosa, papai Noel e Saci Pererê não existem, acho que deu$ também vai ficar pra próxima.

Daniel

outubro 2 2012 Responder

Só bancando o advogado do diabo, como de costume,

“Em primeiro lugar, é claríssima a ofensa contra os cristãos em geral, xingados de “crentelhos” (crentes pentelhos) e também generalizados como se todos os cristãos atribuíssem os fenômenos naturais exclusivamente a Deus e recusasse explicações científicas.”

Parte dos meus amigos ateus (e as vezes até alguns não-ateus) que usam o termo “crentelho”, usam justamente pra enfatizar que não estão se referindo aos cristãos em geral, mas somente à subcategoria de cristãos, em geral evangélicos, que também são pentelhos (fazem proselitismo o tempo todo, criticam pessoas por não serem “de Deus”, etc).

Seria como eu dizer “ateus babacas publicam imagens como essas”. Não estou dizendo que ateus são babacas, e que todos publicam imagens assim, mas que a subcategoria que eu chamei de “ateus babacas” o fazem.

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo