07

dez12

Flavia Maria de Toledo: Servindo a indústria do colesterol, com muito sofrimento

O artigo abaixo é um resumo de como o leite não só não faz bem ao ser humano como também faz muito mal às fêmeas e filhotes explorados pela indústria leiteira.

 

Servindo a indústria do colesterol, com muito sofrimento

por Flavia Maria de Toledo

O leite não favorece nem aos animais e nem a você, consumidor. Aquele papo de sua avó que leite é bom pra saúde está mais ultrapassado que as vestimentas dela. Dizem que o leite faz bem para evitar a osteoporose, mas sua composição na verdade ajuda a perda da absorção do cálcio.

Um copo desse líquido possui 0,051 L de colesterol, 16 g de gordura e 300 calorias. Há um desfavorecimento muito expressivo que o leite causa a saúde,porém ainda muitos acreditam que o produto faz bem. Quem assistir o vídeo do Dr. Lair Ribeiro poderá conferir essas desvantagens.

Os animais são mais desfavorecidos ainda! Em alguns locais de produção leiteira inescrupulosos, as vacas devem ficar prenhas várias vezes seguidas. Isso diminui a expectativa de vida delas de 25 anos a 6 anos. Quando ela está dando a luz, o bezerro é retirado imediatamente dela.
Como um animal de instintos, a vaca fica angustiada, mugindo desesperada dias procurando por seu filhote. O recém-nascido, retirado de sua mãe, é morto e vira vitelo. Qual a vantagem tem-se na morte de um bezerro recém nascido, em uma vaca angustiada por sua cria perdida, e em você consumidor, em danificar seu organismo?

Deixo aqui um conceito a se pensar, e fica uma sugestão para que todos que sejam responsáveis pelo que consomem. A educação, o respeito e a virtude começa em sua boca: pois está no que você fala e no que você alimenta. Se seu coração presa o afeto pelo seus próximos, respeite os apelos e instintos da natureza e de todos os animais.

imagrs

8 comentário(s). Venha deixar o seu também.

Flavio Adriano Cardoso

julho 6 2015 Responder

Olá pra você que ainda não entendeu a mensagem deste artigo. tenho 50 anos e faz 8 anos que não consumo leite (nem derivados) e nem carne (de nenhum animal), também não bebo mais refrigerante nem suco artificial (bebo leite de coco, sucos naturais, chás e água – 2 litros por dia), não como mais frituras. Conclusão: tenho mais facilidade para defecar, não tenho mais dores nas articulações, tenho mais disposição para atividades no trabalho e em casa, não tenho necessidade de tomar medicamentos (já tive gripes, resfriados, faringite viral e curo qualquer problema respiratório com limão, alho e cebola), faz 6 anos que faço Check Up de seis em seis meses e todos os 14 exames deram bons resultados (perto da nominal), tenho minha consciência limpa em relação a questão moral sobre os animais e o meio ambiente. Se tenho pena do cahorrinho, do gatinho, do coelhinho, do hamster, do passarinho, do porquinho da índia, então também tenho pena do bezerro, do pintinho, do patinho, do peixinho e inclusive de seus pais.
Abraços aos que já entenderam a abraços demorados aos outros.

Otacilio

julho 2 2014 Responder

Pelo amor de Deus, as pessoas deviam conhecer à fundo um assunto para, então, após, tecer uma crítica. Dizer que leite não faz bem à saúde, que traz problemas é no mínimo uma sandice total. Garanto, com conhecimento de causa, que o texto é no mínimo irresponsável, para não dizer, rídiculo. Quem escreve uma loucura dessa, provavelmente nunca entrou em um curral ou passou perto de uma fazenda. Não se ouvida que existem algumas pessoas, que em nome do ganho financeiro desenfreado, cometam lastimáveis atitudes. Isso também condeno veemente. No entanto, a grande maioria dos produtores rurais deste país, primam por um tratamento de excelência em seus rebanhos, principalmente o leiteiro. Tenho certeza que as vacas que tenho na fazenda são muito melhor tratadas, e com muito mais carinho e respeito, do que muitos dos criticantes tratam as pessoas das suas próprias familias. Melhor procurar conhecer a seara da pecuáira leiteira deste país e de outros também para, depois, aventurar-se a escrever qualquer coisa.

Diandra

julho 1 2014 Responder

Bom, o texto até que é bem escrito sim, mas por favor, melhor pesquisar antes de colocar informações como estas na face de pessoas que nem sempre sabem interpretar o que leem.
O leite é, sim, um alimento nutritivo, assim como seus derivados. Melhor deixar de consumir ou escrever sobre os produtos tão industrializados que, esses sim, consomem sua saúde.
Melhor conhecer melhor os sistemas de produção adotados no país e fazer uma breve comparação entre eles para poder tirar no mínimo uma conclusão sua, sem essa de não saber o que se passa realmente mas já ser contra, um baita senso comum.
Melhor justificar o seu não consumo de alimentos de origem animal de outra forma, sem afirmar com toda a certeza o descaso com esses animais, o que nem sempre ocorre.
Não quero dizer aqui que sou a favor dos maus tratos, jamais, mas crio e pesquiso animais leiteiros e achei um pouco exagerado tal texto.
Além disso, a foto da vaca acima é uma coisa natural que ocorre devido aos ligamentos posteriores serem frágeis e isso é de cada animal e o melhoramento vem pra reduzir esse problema, e ao contrário do que se vê, a busca é por animais longevos e “perfeitos”, que permaneçam o maior tempo no rebanho.

Maria

agosto 29 2013 Responder

Gostei das informações, sou uma lotosio dependente, estou procurando informações para ter mais qualidade de vida.
Parabéns pelo texto, muito bem escrito!

Joana Silva

dezembro 25 2012 Responder

Não entendi o comentário acima, deve ser algum consumidor de laticínios…..O vídeo do Lair Ribeiro é usado em muitos sites ativistas bem conceituados..como esse:
http://vista-se.com.br/redesocial/o-mito-do-leite-medico-esclarece-os-males-que-o-leite-de-vaca-causa-a-saude/

Parabéns, texto bem escrito

Jefferson Matos

dezembro 12 2012 Responder

Usar um video do Lair Ribeiro como argumento é uma piada…

Vinícius

dezembro 7 2012 Responder

Ótimo. Texto compacto e bem feito =D

    Robson Fernando de Souza

    dezembro 9 2012 Responder

    Valeu ae =)

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo