21

fev13

Desmentindo imagens antirreligiosas preconceituosas: “só o ateísmo pode salvar o mundo”

Depois de mais de um mês, a série Desmentindo imagens antirreligiosas preconceituosas volta a dar as caras por aqui escancarando e desmontando mais imagens panfletárias que advogam de forma generalizante e preconceituosa contra as religiões e o próprio conceito de religião – e algumas das quais, enquanto malignizam a religião, exaltam o ateísmo como se fosse sua nêmese do bem. A imagem da vez é essa:

so-o-ateismo-salva

A imagem “toma de assalto” uma outra que já vinha circulando, comparando as falas (que creio serem mais sínteses imaginadas do ideário segregador das duas personalidades do que citações de frases realmente ditas) dos dois defensores da intolerância para fazer uma inferência falaciosa e muito preconceituosa sobre crença em Deus, religiões e ateísmo e propagar o último como “salvador” do mundo.

A frase tem três partes, todas dignas de crítica:

a) “Se (a crença em) Deus é usado para o homem (sic) poder ser perverso,…” – Aqui ficou entendido que a crença em Deus, e não interpretações literais e intolerantes dos livros sagrados de algumas religiões, é “usada” para tornar perversos os seres humanos. Ou seja, pelo que parece aqui, o grande objetivo do uso (sic) de Deus – como se a divindade fosse um objeto a ser usado – é malignizar pessoas, fazê-las “poder ser” antiéticas e descomprometidas com a integridade do próximo. Uma falácia do espantalho patente, que imagina que as religiões falam de Deus principalmente, se não somente, para embrutecer os humanos.

b) “…e a religião para que acreditem em Deus,…” – Vemos aqui um ateu antiteísta usando o mesmo reducionismo dos cristãos fundamentalistas ao tratar da relação das religiões em geral com a ideia do deus único. Para ele, as todas as crenças religiosas existentes pregam a existência de um deus único chamado Deus, ponto de vista defendido também por cristãos fundamentalistas que defendem a conservação da frase “Deus seja louvado” no dinheiro brasileiro. Mas o problema nem é tanto esse, mas sim dizer, ou deixar a entender, que todas as religiões incutem na mente das pessoas a crença num deus que os induz a praticar o mal – e, por tabela, que a religião, mesmo em seu conceito-raiz de religare – reconectar o humano ao divino -, serve para amoralizar as pessoas.

c) “…então só o ateísmo pode salvar o mundo.” – Aqui se escancara a crença de muitos neoateus de que o ateísmo está aí para salvar o mundo do mal que a religião simboliza. Reflete-se a imaginação dual-maniqueísta de opor o “ateísmo herói do bem” à “religião vilã do mal”. A ideia de fundo é dizer que “só o ateísmo salva” a humanidade de intolerâncias supostamente estabelecidas pelas religiões em geral, como o racismo e a homofobia.

No mais, a imagem faz uma relação de falsa causa, mesclada com falácia de inversão do acidente, entre a crença em Deus e a intolerância de raça e orientação sexual, como se ser teísta tivesse como consequência ser também racista e/ou homofóbico e a conversão ao ateísmo viesse salvar o teísta de ser preconceituoso.

E sabemos também que o ateísmo não salva ninguém de nada, nem mesmo do pensamento dominado por irracionalidades que levam a comportamentos antiéticos. Ser ateu não impede ninguém de ser homofóbico, racista, machista/misógino, especista/carnista, elitista, gerontofóbico, gordofóbico, reacionário ou intolerante contra religiosos, e exemplos de ateus com uma ou mais dessas características não faltam pela internet, podendo ser flagrados em alguns vlogs conhecidos até.

Nessas horas nos perguntamos: quem pode nos salvar do perigo de, no futuro, presenciar ou sofrer com ataques de ódio mútuo entre antiteístas e religiosos, com um lado vendo a si mesmo como “o bem guerreiro” e o outro como “o mal encarnado a ser derrotado”?

imagrs

3 comentário(s). Venha deixar o seu também.

Evangelista

fevereiro 14 2015 Responder

Crença e descrença não definem o caráter, só que historicamente usam as religiões como forma de manipular pessoas, infelizmente o “bem” que a religião faz é irrelevante ao câncer que ela é no macro. As crenças fundamentalistas se apropriam de deus, elas ensinam verdades absolutas e sustentam todo a forma de domínio. Concordo que não é a descrença ou o ateísmo que salvara a raça humana, mas sim uma educação sem dogmas fundamentalistas, onde possa encarar meu próximo, como meu igual, sua fé ou descrença como sendo tão importante como a minha.
Os evangélicos na maioria esmagadora nunca irão aceitar esta situação, eles nunca olharão para um espirita ou católico como um olhar que não seja o de reprovação.

Infelizmente pessoas continuaram se matando por mitos como Jeová e Alá…..

erisvan

junho 21 2013 Responder

atualmente as religiões estão incrementadas com muitas mentiras de líderes religiosos.Todas essas mentiras são ditadas verbalmente e até a bíblia corre o risco de adulteração.

Vinícius

fevereiro 21 2013 Responder

Ótima matéria! E é impressão minha ou o último parágrafo ficou com um ar poético simplista? Adorei :P

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo