27

mar13

O silêncio da sociedade sobre Blairo Maggi na Comissão de Meio Ambiente do Senado
O rei da soja matogrossense Blairo Maggi ocupa um lugar de onde nunca deveria sequer se aproximar: a Comissão de Meio Ambiente do Senado

O rei da soja matogrossense Blairo Maggi ocupa um lugar de onde nunca deveria sequer se aproximar: a Comissão de Meio Ambiente do Senado

Leia também: Invocar protestos contra Blairo Maggi não significa recuar da mobilização contra Marco Feliciano

Enquanto o Brasil ferve para derrubar o pastor Marco Feliciano da presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) da Câmara, um silêncio de cemitério generalizado permite que o ruralista Blairo Maggi, ganhador da Motosserra de Ouro do Greenpeace alguns anos atrás e hoje presidente da Comissão de Meio Ambiente (CMA) do Senado, trabalhe em paz aguardando, com seus colegas de latifúndio, a próxima lei ambiental para rejeitar e a próxima lei pró-ruralismo para aprovar.

Mal sabe o Brasil que o barão da soja Maggi assumiu a CMA quase na mesma época em que o fundamentalista Feliciano assumiu a CDHM, e que a comissão ambiental tem entre seus 17 titulares os ruralistas Garibaldi Alves Filho, Ivo Cassol, Kátia Abreu e José Agripino e tem o também ruralista Eunício Oliveira como suplente de seu “companheiro de latifúndio” Ivo Cassol, não contando, em contrapartida, com nenhum nome ligado direta e conhecidamente à politização da causa ambiental (fontes: site do Senado e Wikipédia).

Embora a situação da CMA aparente ser menos desconfortável do que a CDHM da Câmara Federal por não ser essencialmente encabeçada pela “gang” endinheirada das terras, é mais que incômoda a presença de cinco ruralistas, diretamente interessados no desmonte das leis ambientais brasileiras, outrora conhecidas como uma das mais rígidas legislações de proteção ambiental do mundo, e na concessão de cada vez mais privilégios socioambientais ao agronegócio que desmata, polui, degrada, escraviza, intimida e mata.

Corremos o sério risco de ver sendo barrados projetos de lei do Senado que visem a ampliação dos direitos ambientais dos brasileiros e, por isso, ver o verde do território brasileiro ser ameaçado de morte. Mas infelizmente não se vem conseguindo passar esse alarme ao Brasil. O movimento ambientalista brasileiro ainda está longe de ter a força crescente dos movimentos defensores dos Direitos Humanos e da libertação das minorias políticas e, por isso, pouco tem conseguido fazer para acordar a opinião pública sobre o problema de ter ruralistas numa comissão de meio ambiente.

Não só os Direitos Humanos estão ameaçados com Feliciano e o PSC na CDHM da Câmara, como também os nossos direitos ambientais também correm risco severo com Blairo Maggi e mais quatro defensores do latifúndio na CMA do Senado. Por isso, o ideal seria que o povo que grita e protesta contra Marco Feliciano também faça o mesmo contra os ruralistas que estão na comissão que deveria assegurar a integridade da porção brasileira da biosfera.

imagrs

78 comentário(s). Venha deixar o seu também.

Maribel Melo dos Santos

maio 9 2016 Responder

Uma proposta bizarra e inconsequente a PEC 65.um ser latifundiário,que tem por objetivo implodir a Legislação Ambiental existente!

sancler

fevereiro 3 2015 Responder

fevereiro,03,de 2015.

A meu ver não consigo entender, como essas pessoas que lucram com o desmatamento e a destruição em massa da natureza,conseguem votos e até mesmo vencer uma eleição sendo como são!
Será que essas pessoas que vivem a desmatar comedidamente a natureza não sentem que estão fazendo mal a elas e mais ainda a sociedade.
O clima esta mudando a cada ano,e cada vez mais a temperatura esta mais alta, sera que eles os maiores desmatadores não sente na pele, o calor do sol que nós sentimos.
É por isso que todos nós da sociedade temos que entrar na luta em conjunto com o greepaece e arregaçar as mangas nos manifestos e pedir um abaixo assinado contra o REI DOS DESMATAMENTOS e todos os seus aliados e cumplices!
Se nós os colocamos lá em cima, também podemos tirá-lôs e fazer valer a lei de proteção do meio ambiente.
Nós não podemos jamais ter medo de ser contra eles,pois se analizar-mos,nós é que somos patrões deles e não eles de nós.
Se puxar-mos uma única linha esta irá se arrebentar,agora se juntar-mos dez novas linhas conjuntas,podemos aplicar a força que for, que não conseguiremos de forma alguma romper a barreira.
E isto se aplica a união das pessoas num manifesto em conjunto quando necessário for,por tanto, vamos dizer não a estes desmatadores da natureza e sim a natureza.

Andre

outubro 26 2014 Responder

Agora sim esse Brasil vai para frente com pessoas racionais igual Blairo Maggi no meio ambiente. Sera que e tao dificel de se ver que AMBIENTALISTAS tem criado leis para travarem o desenvolvimento geral do pais, ao inves de legalizarem preferem dificultar processos , endurecer fiscalizaçoes e deixar pessoas cada dia mais sem recurso. Nao sou contra a preservaçao, mas as coisas tem que ser viaveis e lucrativas. Convido vc que escreveu essa materia acima a vir morar na amazonia como eu moro pra vc enchergar com seus proprios olhos que essas leis ambientaid que se tem aprovado so esta dificultando a legalizaçao. Tanto se preocupam em aumentar a rigidez ambiental e esqueçem de ao menos dar documento das terras as pessoas que residem aqui a anos. E ainda chamam de grileiros e invasores as pessoas que vieram para ca incentivadas pelo governo federal da epoca. A hipocrisia e a umilhaçao tem preponderado na amazonia com as ideias dos tao falados ambientalistas. E mais uma coisa tenho a falar, o desmatamento so tem aumentado em todo brasil, o ibama so tem multado as areas e embargado, e ninguem e preso, enquanto isso madeireiros tem perdido seus bens quando ibama os prende ou queima seus maquinarios pois tentam legalizar planos de manejos e o governo insiste em nao deixar, tudo tudo tudo pela falta de documentos das terras. Vamos ser mais concientes e deixar pessoas sentatas a administrar esse brasil.

    Robson Fernando de Souza

    outubro 26 2014 Responder

    Blza, e vamos abrir as portas da Amazônia, do Pantanal, do Cerrado, da Caatinga, do restante da Mata Atlântica etc. pro desmatamento.

José

julho 2 2013 Responder

Posto frases no Facebook e enche de likes, o que é bacana e tal, a interação com os amigos.

Mas posto notícias como essa e absolutamente ninguém se interessa. E olha que grande parte de pessoas da minha lista são todos graduados e portadores de bom nível de instrução.

Não se pode culpá-los, o dia-a-dia é corrido e a noite todo mundo quer relaxar. Mas precisamos inverter prioridades e mudar nossa mentalidade.
O “reacionário” precisa passar a se chamar “consciente”.
Precisamos parar de “pedir” e começar a “exigir” mudanças de forma pacífica mas firme, intolerante e rigorosa.

adriana

julho 1 2013 Responder

Prezado Robson, já leu sobre o programa MT legal? Pelo visto não. Achei seu texto preconceituoso e superficial.Quem produz também preserva. É uma questão de equilíbrio. E é nesse ponto de equilíbrio é que se deve trabalhar. Tanto a floresta quanto a produção de alimentos são importantes para os brasileiros.É com soja que se alimenta a polulação,ou podemos ficar sem alimentos? O Sr. Blairo tem feito um excelente trabalho para colocar em prática esse ponto de equilíbrio vai estudar mais. Não assino petições mal fundamentadas. Compará-lo com Feliciano foi no mínimo preconceituoso.

Osvaldo Filho

julho 1 2013 Responder

Sou feliz por morar em Alagoa-MG, 100% em área de preservação ambiental (APA Serra da Mantiqueira e Parque Estadual Serra do Papagaio). Ainda estamos no entorno do Parque Nacional do Itatiaia e no Corredor Ecológico Mozaico da Mantiqueira. Show, não é? Nem tanto.
Falo isso porque tenho contato com pessoas da roça, que nasceram e foram criados na zona rural. A cada dia está mais difícil viver aqui.
Fala-se tanto em desenvolvimento sustentável. Na roça o desenvolvimento está ficando insustentável. Tudo é muito caro: a ração, os remédios, os insumos… o que tira de leite ou o que planta quase não dá para as despesas.
Falta mão de obra. Os nossos filhos estão indo embora pra cidade. Êxodo rural! Na hora de aposentar, é aquela briga para conseguir um benefício do INSS.
Não obstante, vem a Polícia Ambiental e multa a estrada recém-aberta para chegar no retiro ou na casa, o poço de truta, o corte da árvore para lenha do fogão de barro ou que ia cair em cima da casa.
Quem mora na cidade grande, nos grandes centros, nas capitais, desconhecem a labuta de quem mora na roça. Quem mora no cinza não sabe como é viver no verde. Comer arroz e feijão, sabe. Plantá-los? Não.
Se faz necessário urgentemente um bom senso, um equilíbrio, uma harmonização entre ruralistas e ambientalistas.
Uma árvore ou um animal não pode ter mais valor do que uma pessoa. Ambos tem que ser tratados de igualmente, o respeito tem que ser mútuo.
Quem mora aqui herdou uma cultura de preservação dos seus ancestrais, amamos nossa terra, nossas montanhas, nossas nascentes de água. Não queremos destruir! Tanto que preservamos. Mas precisamos (muitos nem querem mais) produzir!
Se todos ruralistas deixarem de produzir alimentos, os ambientalistas morrerão de fome!
Exagerei? Sim, é claro. Não quero que chegue neste ponto, não quero que ninguém morra de fome.
O que eu quero é que ninguém seja extremista: produzamos somente o que somos capazes de consumir!
Eu quero que tenha alimento na mesa, cedo-tarde-noite, dos que moram na cidade, mas eu quero que tenha condições dignas para quem vive no campo.
O ruralista tem que ser respeitado.
O ambientalista tem que ser respeitado.
Os dois tem que conversarem, um ouvir o outro, um entender outro. Só assim chegaremos a um denominador comum.

    adriana

    julho 1 2013 Responder

    Isso mesmo Sr. Oswaldo! Concordo com sua resposta.

Alexander Timote Ferreira

abril 13 2013 Responder

Fora canalha

    Anónimo

    abril 14 2013 Responder

    Eu ja estou fora! O que esta dentro dessa merda de país é vc. Nesse pais todos estao fundidos. Do mais rico que nao pode sair com seu Ferrari até o mais pobre. Que país é esse? Eu te digo. De mulheres que vendem seu corpo, do fútbol onde nada mais importa a nao ser o futebol e dos políticos, que levam todo o dinheiro do trabalhador! Me da pena para os que estao ai!

Anónimo

abril 12 2013 Responder

País de idiotas e safados!!! Estou 11 anos morando fora do Brasil. Vergonha de ser Brasileiro. Que exploda esse país.

Carlos Gomes

abril 10 2013 Responder

Que bom que já há algo na Avaaz…

Daniel

abril 9 2013 Responder

Cara isso deveria ser colocado no face pra ser compartilhado, eu não sei fazer isso, quem souber faça aí pra gente compartilhar e atingir o máximo de gente possível… não dependemos mais da mídia televisiva e jornais como era antes….

Rê_Ayla

abril 7 2013 Responder

engraçado que as pessoas esquecem que meio ambiente é um dos Direitos Humanos, defendido inclusive em tratados internacionais de Direitos Humanos dos quais os Brasil é signatário…

Marcelo Rabelo da Mata

abril 3 2013 Responder

Nao sou fã do blairo maggi,mas Greenpeace é pura politica internacional para freiar o BRasil.Apoias greenpeace e outras “ONGs” idiotas, é continuar com o Brasil atrasado. Blairo é o maior produtor de soja do mundo, quer q ele desmate igual um sitiante? por favor né, [Trecho apagado por grosseria. RFS]

    Robson Fernando de Souza

    abril 3 2013 Responder

    Afinal, ser desenvolvido é destruir tudo o que tem de verde em seu país, né? ¬¬

José Carneiro

abril 3 2013 Responder

Escuto muitas pessoas dizendo isso: os manifestos não podem focar a CDHM, o congresso inteiro está podre. sabe o que penso sobre isso? os manifestos em relação à CDHM partem de movimentos sociais que atuam com direitos humanos. estes mesmos movimentos não podem ser responsabilizados pela omissão de ativismo contra outros aspectos torpes do poder legislativo. acontecem protestos contra a CDHM porque há ativismo político de direitos humanos. quer fazer mais? bom começo.

    Robson Fernando de Souza

    abril 3 2013 Responder

    Algum canto no artigo falou que não se deve focar a CDHM?

Eco Hábito

abril 3 2013 Responder

Tremendo cara de pau esse nosso colega… isso é Brasil, lamentável esse caso.

Luiz Fernando

abril 2 2013 Responder

Qual o problema dele assumir o comando da comissão do meio ambiente? Ele já fez alguma coisa errada? Não! O patrimônio que ele construiu foi fruto de muito trabalho. Ou vcs acham que é facil ser agricultor? Ter que ficar dependendo de condições climáticas para ter algum lucro. Se der uma geada perde toda a lavoura. Nós plantamos alimento e o preço aqui no Brasil é baixo. Agr começa com essas ideias de tirar terra da mão de agricultor que o preço vai la emcima. Daí vcs vao reclamar pq atingiu vcs né. Agr vcs ambientalistas devem todos usar carro e poluir o planeta com gasolina, devem produzir lixo e tudo mais. Agr nós agricultores que somos os culpados de tudo né. Olha a floresta de concreto que vcs construiram antes de falar mal da gente.

    Leozao

    abril 2 2013 Responder

    Caro amigo, o problema é que os interesses que ele procura defender não são ambientais, ele deveria ser membro é da Comissão de Agricultura e Reforma Agrária, “vocês” já tem uma comissão para defender seus interesses.

    Só pra relembrar o que escrevi em outro post “A essência do meu comentário foi, e é, de que quando estamos diretamente envolvidos temos uma necessidade maior de nos manifestarmos”

    Gil Serique

    junho 29 2013 Responder

    AGRICULTOR ERA MEU AVO, ESSA CARA É UM CRIMINOSO

    José

    julho 2 2013 Responder

    Vc só pode estar de brincadeira!

    Olha, a culpa não é só do governo não, a sociedade brasileira, a parte que me parece representada pelo Sr. Luiz Fernando, que está focada nos interesses pessoais e imediatistas em detrimento do desenvolvimento do país, tem muito o que aprender para que o Brasil e outros países do 3º mundo entrem no trilho do crescimento com gestão eficiente e inteligente. Lamento.

jorge saboya

abril 2 2013 Responder

Um país de gente safada e sem vergonhadesprovida de valor que do alto de sua ignorância orgulha-se de eleger corruptos .
Na primeira noite, eles se aproximam e colhem uma flor de nosso jardim.
E não dizemos nada.
Na segunda noite, já não se escondem, pisam as flores, matam nosso cão. E não dizemos nada.
Até que um dia, o mais frágil deles, entra sozinho em nossa casa, rouba-nos a lua, e, conhecendo nosso medo, arranca-nos a voz da garganta.
E porque não dissemos nada, já não podemos dizer nada.

Fernando

abril 1 2013 Responder

Concordo que existe certo jogo de interesses. Mas vamos pensar que o que mantém a balança comercial favorável no Brasil é a agricultura, é a pecuária.
Todo mundo pensa no meio ambiente, mas na hora de comprar uma roupa nova, uma televisão, um carro novo, viajar de avião ninguém pensa no meio ambiente.

Kleber B.good

abril 1 2013 Responder

Sinto em informar, mas o direcionamento midiático já está na internet. Primeiras aparições polêmicas de Marco Feliciano surgiram através do youtube!

    Robson Fernando de Souza

    abril 1 2013 Responder

    Concordo contigo, Kleber. O problema aqui é que Blairo Maggi, ao contrário de Feliciano, não costuma vomitar pérolas de intolerância em cultos e discursos – pelo menos não vi ainda vídeos flagrando pérolas antiambientais dele – daí a munição da população contra Maggi é muito menor do que a crescente munição contra Feliciano.

      adriana

      julho 1 2013 Responder

      Robson se você pesquisar mais verá que ele não solta pérolas porquê é engenheiro agrônomo, preocupado com o equilíbrio e sustentabilidade entre produção e meio ambiente. Esse é o X da questão, EQUILIBRIO. Veja o MT legalhttp://www.ebah.com.br/content/ABAAAA4T8AB/cartilha-mt-legal criado por ele. Até o Greempeace reconheceu a importância do projeto para o Estado. Cuidado com o preconceito heim!!!Quem é preconceituoso sim pode ser comparado ao Feliciano.
      Ruralista X Ambientalistas. Isso é ridículo. Somos todos brasileiros que precisam de comida e de natureza.

        Robson Fernando de Souza

        julho 1 2013 Responder

        Você concorda com os meios usados por ruralistas pra fazerem valer seus interesses, como rejeição ou enfraquecimento de leis ambientais, oposição a leis trabalhistas, grilagem, concentração fundiária etc.? E concorda que as terras continuem concentradas nas mãos de poucos e a reforma agrária não seja realizada? Só pergunto isso.

          adriana

          julho 1 2013

          Oi Robson pelo que tenho lido ele está buscando o equilíbrio entre duas vertentes que são importantes para os brasileiros, produção de alimentos com sustentabilidade ambiental, veja nesse depoimento:http://jmeioambient e.blogspot.com.br/2011_02_01_archive.html
          Para que de certo, não pode haver guerra entre as duas vertentes e sim diálogo e ele está aberto a isso. Ao contrário do Feliciano que impõe a visão dele sobre tudo e todos. Vc concorda? Sobre grilagem isso é uma questão social a pessoa entra em terras ilegais e toma posse. Ele está agindo em cima do problema com o programa MT legal para que todos cadastrem as propriedades e as coloquem de acordo com as leis ambientais. Sobre concentração na mão de poucos isso é mais um questão economica pois o pequeno produtor não consegue se manter na atividade pois o custo de produção é muito alto e ele nao consegue financiamento para plantar, quebra e acaba vendendo para o que consegue financiar a producao. A solucao seria o BNDES parar de dar dinheiro para o filho do Lula, Petrobras, Friboi,etc.. e financiar os pequenos pelo que li o Blairo estava tentando negociar as dividas dos pequenos com o Banco do Brasil para ajudar. Então não entendo a razão da sua revolta com ele. Ele está fazendo tudo certo.

          Robson Fernando de Souza

          julho 1 2013

          Fora ser um grande concentrador de terras e ter sido um desmatador idem?

          adriana

          julho 1 2013

          Então você não gosta dele só porque ele é um agricultor bem sucedido? Pois saiba que o maior concetrador de terras segundo o ultimo senso do IBGE foi: Em 10 anos, as terras destinadas à atividade agrária perderam 23 milhões de hectares. E uma das explicações, segundo o IBGE, foi a demarcação de 60 milhões de hectares em reservas indígenas e unidades de conservação. Está chocado? Cuida com o preconceito, o Blairo defende os interesses da classe produtiva mas também apoia a sustentabilidade ambiental. O maior terror de ambos é o governo que toma e depois não tem capacidade de policiar e preservar.

        José

        julho 2 2013 Responder

        Quando o Greenpeace lhe concedeu o prêmio de Motosserra de Ouro foi, então, por preconceito?

        É bom lembrar que sem natureza não tem comida.

      adriana

      julho 1 2013 Responder

      Ou as duas vertentes se unem de defendem o uso da terra de maneira sustentável para beneficio da população que quer comida e natureza ou vão se deparar com essas noticias: Em 10 anos, as terras destinadas à atividade agrária perderam 23 milhões de hectares. E uma das explicações, segundo o IBGE, foi a demarcação de 60 milhões de hectares em reservas indígenas e unidades de conservação. E vão ficar sem nada, nem comida nem natureza. Vai ficar tudo com os grigos e é isso que o Greenpeace quer.
      Ruralistas e ambientalistas unam-se!

        adriana

        julho 1 2013 Responder

        Desculpe, as duas vertentes precisam se unir para defender o uso dos recursos de acordo com as necessidades da população de forma equolibrada. O triste é ver o governo confiscando terras e dando para os índios que depois vendem o direito de exploração para os Gringos. Ai ficamos sem comida e sem natureza. Veja: http://www.estadao.com.br/noticias/vidae,por-milhoes-de-dolares-indios-vendem-direitos-sobre-terras-da-amazonia,846761,0.htm

          José

          julho 3 2013

          Mas a solução não é eliminar os índios Adriana, se não deveriamos eliminar os brancos de suas terras também.
          Você está supervalorizando uma minoria de índios mal intencionados e defendendo uma punição a todos eles.
          A mesma falta de fiscalização e de ética na gestão pública que permite o Sr. Maggi destruir o meio ambiente e presidir a CMA, é a que permite também ações inescrupulosas de alguns indígenas.

          Por isso que o Brasil precisa de uma reforma de sua essência de gestão, para eliminar índios nocivos e espertinhos do agronegócio.

          Então, não tente apagar o fogo pelo topo da chama, pensando em interesses próprios. Ninguém mais é bobo e ingênuo a esse ponto.

          Se você tem seus interesses é direito seu lutar por eles, mas não venha com hipocrisia em um debate que visa o bem do país e qualidade de vida de toda a sociedade.

          Robson Fernando de Souza

          julho 1 2013

          Você realmente é contra demarcação de terras indígenas por causa de alguns índios que aprenderam desonestidade com brancos?

          adriana

          julho 2 2013

          Porque eles estão vendendo o direito de exploração das reservas e florestas para ingleses, irlandeses,etc.. Eles estão agindo muito pior do que os brancos.
          Estão abrindo mão da terra por dinheiro sem produzir nada como sempre fizeram, trocando badulaques pelo pau brasil. Não estão produzindo nada. E não são poucos índios que estão fazendo isso. Se você ler o artigo vai ver que já tem mais de 30 contratos assinados onde os índios lucram milhões e colocam em risco a fauna e flora brasileira e inclusive as patentes sobre plantas e sementes exóticas que os gringos estão explorando. Depois não venha reclamar que tem que pagar remédios caríssimos cujos princípios ativos apesar de brasileiros foram patenteados por empresas gringas.

          Robson Fernando de Souza

          julho 2 2013

          E você jura que outros povos têm obrigação de produzir algo pros “civilizados”, em vez de simplesmente viver soberanamente em suas terras?

          adriana

          julho 2 2013

          Como disse antes tem muita terra concentrada na mão dos índios e esses estão simplesmente vendendo para os gringos. Acorda Brasil!

          José

          julho 2 2013

          Adriana se isso é verdade está errado. Mas não quer dizer que os outros indígenas, a maioria, tem que pagar por isso.
          Você está confundindo as coisas.
          Eles estavam aqui antes de chegarmos.
          ALém de direito moral é lei, os locais onde habitam é deles e não há o que discutir.
          Agora, se você tem interesse pessoal a não demarcação, sempre trará argumentos favoráveis a ti.

Flávio Bambini

abril 1 2013 Responder

A preservação do meio ambiente deve partir da produção sustentável, infelizmente os “Eco-chatos” só pensam na preservação, sem saber que alguém tem que pagar o custo e alguns produtores só na produção. Se tivéssemos pessoas capazes e equilibradas facilmente se daria solução ao problema. A pergunta que fica é O que a população urbana gasta ou investe para preservar o meio ambiente?, se todos da cidade tivessem que ter 20% de seus terrenos ou casas cobertos de mata nativa ( não pode ser gramado )e ainda serem responsáveis pelas mesmas, como seria o pensamento de cada um em relação ao assunto, ou a cada 8 quarteirões 2 serem de matas nativas… as cidades melhorariam muito e ninguém fala sobre isso … e o produtor que degrada… daí a posição do Blairo realmente é sacanagem, pode até ajudar na conservação, pois ele já desmatou e agora é só segurar a concorrência…

Roberto

abril 1 2013 Responder

Está na hora da faxina

Johanna

abril 1 2013 Responder

Eu fiz uma peticao no Avaaz justamente para cassar essa nomeacao e nao chegaram a 800 assinaturas ainda. quem sabe vcs ajudam por aqui!
http://www.avaaz.org/en/petition/Renunicia_de_Blairo_Maggi/?chnGreb

Maria celia Teles Macêdo de Albuquerque

abril 1 2013 Responder

É botar o bloco na rua e a boca no trombone. Eles é que sào a minoria só que a maioria não se da conta disso. Vou publicar diariamente contra esse absurdo de ter esse sujeito na presidência do meio ambiente: mulheres , gays e lésbicas,pretos, brancos, índios e quem mais quiser vamos unir essa mesma força usada pra tirar Marcos Feliciano dos Direitos Humanos, contra esse crapula desmatador que preside o Meio Ambiente. VAMOS FAZER BARULHOOOOO, com diz Marcelo D2

Luca

abril 1 2013 Responder

Agora os gays que são cidadãos de segunda vao ter que lutar pelo povo braseiro que nao se mexe e só reclama? Os movimentos negros nao se manifestas os enologistas tb nao e reclamam pq os gays saem as ruas para lutar por seus direitos ? Faça-me o favor ! Se vc tem um causa lute por ele nao jogue sua causa no colo dos outros! Nao reclame de quem luta por seus direitos! Reclame de quem nao faz nada!

    Robson Fernando de Souza

    abril 1 2013 Responder

    Onde foi que você encontrou isso?

      Leozao

      abril 1 2013 Responder

      Também fiquei curioso, mas algo me diz que foi mais uma interpretação precepitada do que escrevi.

Bruno Maia

março 31 2013 Responder

Robson, fui o autor da petição com quase meio milhão de assinaturas e também quem criou o primeiro evento protesto. Acabei me transformando num dos principais articuladores dos protestos. Nossa intenção é aumentar o escopo dos protestos sim. Mas se com Feliciano, que é peixe pequeno o negócio ta difícil, imagine com Maggi. Ajude-nos a derrubar o Feliciano pra que a gente possa atacar em outras frentes! Não da pra abraçar o mundo. É um leão por dia! Abraços.

Fabiana

março 31 2013 Responder

É um absurdo atrás do outro. Como permitiram que Blairo Maggi assumisse um cargo de presidente da Comissão de Meio Ambiente??? Eu não entendo como esses absurdos continuam ocorrendo no Brasil. Uma pessoa para assumir um cargo desse tem que ter no mínimo consciência Ambiental, o que Blairo Maggi não tem. Em 2005 numa reunião governamental ele disse: “Esse negócio de floresta não tem futuro.” Se quirem mais informação vejam o site abaixo:

http://vista-se.com.br/redesocial/blairo-maggi-ganhador-do-premio-motoserra-de-ouro/

Bjs,
Fabi.

Marina

março 31 2013 Responder

O Brasil está todo errado!!Nós temos que nos unir e ir para rua tirar esses canalhas do poder!!

Aline

março 31 2013 Responder

Não tenhamos uma visão limitada, referindo-se aos protestos contra o Marco Feliciano – que não partem somente de grupos LGBTS, mas também de grupos defensores de direitos iguais para mulheres e contra o racismo, que fique claro – como “defender o próprio rabo”. Negar que mulheres e negros, e por que não homossexuais também, fazem parte dessa “coletividade” não faz sentido. Se for para o estatístico, esses grupos formam a coletividade desse país de fato, e sua luta por direitos e dignidade não anula de forma alguma a questão ambientalista. O problema está no foco da mídia sim, é ela quem está direcionando a opinião pública para esses manifestos – que são justos – e sem dúvida alguma a mando – pago – dos interessados em eclipsar a visibilidade da ala ruralista. Quando se mistura direitos individuais, extremismos religiosos e políticos é óbvio que o caldo tende a engrossar e é isso que mídia adora explorar. A questão ambiental ainda não tem esse potencial para causar polêmica e ferir diretamente a integridade dos indivíduos, justamente porque não há tanta informação disponível e não há o interesse em produzi-las/disseminá-las.

    Leozao

    abril 1 2013 Responder

    Acho que você não entendeu meu comentário. A essência do meu comentário foi, e é, de que quando estamos diretamente envolvidos temos uma necessidade maior de nos manifestarmos.Agora quando o assunto envolve o coletivo (quando falei e falo isso não excluo ninguém e mesmo relendo oq escrevi não entendi como chegou a essa conclusão)costumamos preferir deixar que os outros membros desse coletivo atuem.Eu acho que essa forma de egoísmo faz parte da natureza das pessoas, ou pra não generalizar, da maioria das pessoas. Um exemplo, de certa forma meio tosco, para ilustrar isso é comparar a reação da frase -Morte aos gays ditas a um homessexual com a frase -Tem que desmatar tudo mesmo – dita a qualquer pessoa (com um mínimo de consciência) ambas não vão gostar, mas te garanto que a reação da primeira vai se consideravelmente mais intensa.
    Também não estou dizendo que é só isso a motivo, só destaquei um pouco citado. Concordo com a questão da manipulação da mídia, mas ainda há outros motivos que também devemos destacar como as o conformismo das pessoas que acham que compartilhar sua opinião no facebook já estão fazendo sua parte, sendo verdadeiros ativistas, onde na verdade só estão esperando que os outros tomem uma atitude de verdade, ops, voltei ao ponto inicial.

Cristiano Santos

março 31 2013 Responder

Não acho que exista um silêncio de cemitério sobre o caso do Maggi, assim como sobre os casos do Renan, do Genoíno e do Cunha. Existe mais barulho sobre o caso do Feliciano,e isso é porque “o mov. ambientalista está longe de ter a força dos mov. pelos DH”. Não dá pra dizer que as pessoas estão se mobilizando por determinadas causas em dileção a outras. Quem se revolta com uma das situações, se revolta com as outras também. Eu mesmo estive em várias manifestações do ‘Veta Dilma (na época do cód. florestal)’, no dia do basta, no “fora feliciano” e assinei e divulguei todas as petições contra Maggi, Feliciano e Renan. Conheço muita gente que também se envolve com todas as questões. O que eu acho que ocorre é justamente uma inabilidade em mobilizar as pessoas para as causas ambientais. Talvez seja falha nossa, enquanto educadores e ambientalistas. Talvez seja mais uma ‘tragedia dos comuns’, sei lá… O que acho mesmo é que cada vez menos estão ouvindo aqueles que gritam. Vide a aprovação do código florestal e a permanencia do Renam e do Feliciano, mesmo com toda a pressão contrária. O que fazer? Só me resta gritar, ainda que não seja ouvido…

    Cesar

    julho 1 2013 Responder

    Infelizmente, Cristiano, as questões ambientais ou, melhor, a degradação ambiental na grande maioria das vezes não é visível à todos, principalmente, àquela distante das cidades, pois em muitos casos, o acesso se torna difícil, ainda mais em propriedades particulares. Então o que ouvimos e assistimos com relação a degradação ambiental, certamente, são minoria, diante do que realmente está ocorrendo !!!!

Teca Arantes

março 31 2013 Responder

Infelizmente a coisa aconteceu junto com o Feliciano e racismo e homofobia são mais fortes aqui no Brasil para agitar a opinião pública do que meio ambiente. Esses assuntos atingem fatores pessoais e a consciência de comunidade ainda perde nesses casos…

Carolina

março 31 2013 Responder

Já está disponível uma petição (Avaaz) contra o troféu moto serra Blairo Maggi na presidência da Comissão do Meio Ambiente. Vamos compartilhar e fazer barulho!
http://www.avaaz.org/po/petition/Renuncia_de_Blairo_Maggi_da_comissao_de_meio_ambiente_da_Camara_dos_Deputados/?fMvpcbb&pv=8

Leozao

março 31 2013 Responder

Entre os fatores que levam a essa situação, destaco que há muito mais “minorias” agindo para defender o próprio rabo do que interessados em defender algo mais coletivo. Quando o problema tem a ver diretamente conosco precisamos nos mexer, quando tem mais gente envolvida no problema preferimos esperar os outros tomarem uma atitude, o problema é que eles esperam o mesmo da gente.

james

março 31 2013 Responder

Como biólogo ,concordo em gênero, número e grau com seu texto. Um absurdo Blairo Maggi na CMA. O fato do blairo não estar em destaque como o marco feliciano talvez seja nossa culpa. Acredito que seja um pouco de inabilidade da nossa parte em nos fazer sermos ouvidos. Temos que aprender um pouco com o movimento GLBT que consegue tanta mobilização. Colocamos a culpa demais na mídia ou na falta de informação da população, mas não fazemos muito para tornar fatos como esse divulgados nacionalmente e massivamente.

    Carlos Gomes

    abril 10 2013 Responder

    Parabéns pela lucidez, amigo. Em vez de chamar de “cortina de fumaça” o caso Feliciano, teve o bom senso de perceber que é mais importante fazer o movimento ambientalista crescer, do que criticar inutilmente outros movimentos legítimos.

Danizita L.

março 28 2013 Responder

Também estava me perguntando sobre isso, esse destruidor de florestas ocupando esse cargo é um absurdo e não há reação contra isso!!!

Ana Sophia Carolina

março 27 2013 Responder

Cortina de fumaça. Enquanto a população se ocupa com Marco Feliciano, que possivelmente foi muito bem pago para ser o fantoche da vez; coisas tão ou mais importantes acontecem por trás da cortina de fumaça. Além do Maggi tem o Renan Calheiros também, não? Como fica?

    ana luiza

    abril 7 2013 Responder

    Também acho. O casamento gay se tornou a causa mais discutida no Brasil e ninguém mais se importa com a violência no campo, a situação ambiental, violência urbana ou o crescimento pífio da nossa economia. É um jogo de fumaça e o povo cai como um patinho

    Adilson Peres

    abril 12 2013 Responder

    O maggi é um cara que so cuida de seus interesses, não ta nem ai pra nada alem dele mesmo. agora ele ta com uma lei pra ficar 5 anos sem pescar. Agora para e pensa, o que agride mais, as desmatas para soja ou um coitado de um pescador que fica la na beira do rio tomando pregada de mosquito. fala sério esse cara é o maior charlatão que o Mato Grosso ja viu.

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo