20

abr13

A mídia que chora as mortes em Boston vira as costas às vítimas de atentados em outros países
O mesmo mundo que chora as mortes no atentado à Maratona de Boston nega qualquer solidariedade e empatia a atentados numericamente muito piores pelo mundo.

O mesmo mundo que chora as mortes no atentado à Maratona de Boston nega qualquer solidariedade e empatia a atentados numericamente muito piores pelo mundo.

Já repararam na discriminação estadunidocêntrica de povos que vem marcando essa cobertura da mídia sobre os atentados em Boston? A mesma imprensa que hoje chora e assinala ao máximo o sofrimento das famílias e amigos dos americanos mortos ou feridos com o incidente, trata com meras notas de rodapé atentados quantitativamente muito piores em países de regiões/continentes como a África e o Oriente Médio, onde esse tipo de terrorismo é rotina mas não derrama uma lágrima sequer da maioria dos habitantes da civilização euro-americana.

Se esses atentados a bombas tivessem acontecido, digamos, na Bolívia, no Chade, no Paquistão, na Mongólia ou em Taiti, não veríamos tamanha repercussão. Iríamos ver somente poucos segundos de reportagens e menções completamente insensíveis. Da mesma forma, ações assassinas das forças armadas americanas são exibidas com uma insensibilidade formidável disfarçada de “imparcialidade”, muitas vezes chegando-se ao ponto de tornar as próprias vítimas culpadas da desgraça que sofreram – vide a estratégia da imprensa de fazer sua audiência simpatizar com o opressor e odiar o oprimido. Mas como foi nos EUA, a comoção é enorme.

Aliás, ontem dez pessoas morreram em atentados a mesquitas no Iraque, e quase 30 ficaram feridas. Nem por isso vemos a mídia chorando tais mortes ou hashtags do tipo “#PrayForIraq” para repercutir tal tragédia.

Fica realmente parecendo que os americanos são mais dignos e sujeitos de direito – em outras palavras, superiores – do que pessoas de outras regiões do mundo fora da Europa e da América do Norte. É como se, digamos, cada americano morto por terrorismo tivesse a dignidade moral de dezenas ou centenas de africanos ou de latinoamericanos. Isso tem nome, aliás, nomes: discriminação, chauvinismo, racismo, elitismo.

imagrs

3 comentário(s). Venha deixar o seu também.

acácia

abril 23 2013 Responder

realmente, essa observação pra mim não é nenhuma novidade… um fato interesante: todo ano 11 de setembro é lembrado em toda mídia o terrivel atentado sobre as torres gemeas dos E.U.A onde morreram muitos inocentes mas por um acaso alguem lembra dos Bombardeamentos de Hiroshima e Nagasaki que foram ataques nucleares ocorridos no final da Segunda Guerra Mundial contra o Império do Japão realizados pela Força Aérea dos Estados Unidos da América????? pos é… se esse bombardeamento tivesse sido contra os E.U.A seriam lembrados…

Danizita L.

abril 20 2013 Responder

Nossa, não tinha parado pra pensar sobre isso, é incrível como muitas vezes somos manipulados pela grande mídia e acabamos aceitando a discriminação sem perceber.

Vinícius

abril 20 2013 Responder

Realmente triste. Isso sem mencionar o programa militar de “Drones” que Obama está pessoalmente apoiando e financiando: já matou dezenas de pessoas, incluindo crianças, em testes e “rondas” no oriente médio.

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo