23

maio13

Site do curso de Direito da Universidade Federal do Ceará divulga texto homofóbico
Site do departamento de Direito da UFC divulgou artigo homofóbico intitulado "Conselho Nacional de Justiça (CNJ), 'Casamento' (sic) homossexual e o fim da democracia"

Site do departamento de Direito da UFC divulgou artigo homofóbico intitulado “Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ‘Casamento’ (sic) homossexual e o fim da democracia”

Um artigo homofóbico vem escandalizando os cearenses e também o restante dos brasileiros, tanto por seu conteúdo como por ter sido publicado no site de uma universidade respeitada. O texto, intitulado “Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ‘Casamento’ [sic] homossexual e o fim da democracia”, despeja várias pérolas de intolerância contra os LGBTs em sua busca por direitos.

Sem uma data de publicação, o artigo, escrito por um professor de Hermenêutica Jurídica, afirma que o provável futuro reconhecimento do direito d@s homossexuais ao casamento civil pelo Supremo Tribunal Federal seria um “golpe de Estado”, e também que “a omissão do Congresso é o reflexo da vontade popular, que não deseja mudar o conceito de família”.

O texto também exorta que os cartórios desobedeçam o STF e se recusem a oficializar casamentos homossexuais, afirmando que isso seria “a favor da lei, da Constituição e da democracia”. Defende uma “democracia” autoritária contra os LGBTs, usando o argumento reacionário da “defesa da família”.

Em seus últimos parágrafos, recorre a uma tremenda falácia da bola de neve, ao acreditar que o conceito de mãe seria invalidado e “a família (…) está sendo destruída”, numa negação clara do direito de lésbicas de serem mães e gays de serem pais. O texto discriminatório encerra com um apelo religioso: “Deus salve a família!”.

A UFC, em específico a Faculdade de Direito, rompe com a ética ao permitir a publicação de tal obra de intolerância contra a afetividade alheia e os direitos de quem ama pessoas do mesmo sexo. E escandaliza também a comunidade universitária interna ao usar seu site como um instrumento de violação dos Direitos Humanos.

Desde já os alunos e professores da UFC estão demandados a protestar contra tal publicação e a postura da instituição de publicar uma obra de ódio homofóbico e incitação à violação de uma determinação jurídica ética. Protestos podem ser enviados pelos meios possíveis de comunicação com a reitoria e a Faculdade de Direito da instituição, como esta página de contato. Além também de divulgar a público o repúdio de cada aluno e professor de bem da universidade contra o texto e sua publicação.

imagrs

2 comentário(s). Venha deixar o seu também.

Sabrina

maio 27 2013 Responder

Gente, que absurdo! A notícia em si já é triste, mas mais triste e preocupante ainda é esse texto ter vindo de um professor.

~epix

maio 23 2013 Responder

Cada argumento mais estúpido que outro. Um professor de uma universidade fazendo uma merda dessas?

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo