01

jun13

Yamaha derrapa com publicidade machista ligada a cantadas
Anúncio machista da Yamaha, intitulado "Moto Cantada Factor". Clique na imagem para vê-la em tamanho completo

Anúncio machista da Yamaha, intitulado “Moto Cantada Factor”. Clique na imagem para vê-la em tamanho completo

Publicidade de mau gosto e machista é algo muito recorrente entre empresas brasileiras. Agora é a vez da Yamaha derrapar e investir no machismo como motivo publicitário. Com uma campanha intitulada “Moto Cantada Factor” (aplicativo de Facebook incluído), no ar desde 15 de maio, faz apologia às cantadas de rua, situação que desagrada a milhares de mulheres por dia.

Ao contrário do que o senso comum machista acredita, a maioria das mulheres não gosta nem um pouco de sofrer com assédio sexual verbal nas ruas, tal como a fanpage Cantada de rua – conte o seu caso mostra com depoimentos de centenas de mulheres. Mas a agência de publicidade que a Yamaha contratou acredita que não, elas não se incomodam  com isso e até gostam de ser assediadas por motoqueiros.

Minha namorada acrescenta, dessa vez sobre a irresponsabilidade de incitar uma violação da ordem do trânsito com buzinas desnecessárias, já que o app da campanha publicitária em questão também faz uso de buzinas (declaração adaptada para o blog):

Li num comentário em repúdio a essa campanha algo importante: a buzina tem uma utilidade bem específica no trânsito, e tem leis que (teoricamente) multam em caso de uso indevido. Esses idiotas que usam buzina para dar cantada estão usando-a de forma indevida, e isso pode até causar um acidente.

Já ouvi relatos de mulheres (e também percebi que se aplica a mim), que muitas vezes ficam confusas se uma buzina foi direcionada a nós para nos alertar sobre algo ou para nos cantar. Geralmente, quando buzinam para nós, não olhamos, não fazemos contato visual com os motoristas. Essa é a estratégia de autopreservação que a maioria de nós adota para tentar evitar a continuidade do assédio, e que nem sempre dá certo. E isso pode ser perigoso, porque, se uma buzina for utilizada no sentido de alertar alguma coisa ou evitar um acidente, às vezes ela pode ser confundida com cantada.

A Yamaha está incitando o desrespeito às leis de trânsito ao incentivar o uso indevido da buzina.

Contra essa campanha machista, a Yamaha afugenta a clientela feminina e atrai o que há de mais escroto em se tratando de homens machistas consumidores de suas motocicletas. Vale protestar (nos comentários do anúncio do app das cantadas) até que a malfadada campanha seja retirada do ar e a Yamaha Brasil se retrate.

imagrs

1 comentário(s). Venha deixar o seu também.

ganhar seguidores no instagram

fevereiro 2 2014 Responder

Adorei o post muito bom !

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo